A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

08/12/2014 16:08

Empresa vai entrar com ação contra Julio Iglesias para exigir ressarcimentos

Ângela Kempfer
Turnê do cantor foi a última pelo Brasil. Turnê do cantor foi a última pelo Brasil.

Os organizadores do show de Julio Iglesias em Campo Grande decidiram acionar a justiça para exigir que a empresa do cantor faça o ressarcimento de todos que não puderam assistir a apresentação no dia 3 de dezembro.

Veja Mais
Coletivo de DJs organiza festas com música para 'dançar mais e reparar menos'
Com poucas opções, veja onde curtir as festas de fim de ano em Campo Grande

Segundo um dos responsáveis pelo evento aqui na cidade, Rodrigo Insfran, houve quebra de contrato, com a alteração da data do show por 4 vezes. Por isso, os promotores locais resolveram não assumir a responsabilidade na devolução do dinheiro. “Nós não erramos em nada, cumprimos tudo que foi exigido. O contrato dizia que a data não poderia ser alterada com menos de 15 dias de antecedência, e eles mudaram duas vezes na véspera”, justifica.

Primeiro, o cantor espanhol estaria aqui em 21 de novembro, mas pediu o adiamento até 5 de dezembro, alegando problema em uma das pernas. Em seguida, o artista jogou a apresentação para o dia 7 deste mês, mas faltando menos de uma semana para o evento, antecipou a data para a quarta-feira passada. Os fãs só foram comunicados da nova mudança um dia antes.

Apesar da garantia de que o ressarcimento seria feito, até agora ninguém conseguiu receber o valor pago, que varia de R$ 3,4 mil a R$ 5,8 mil a mesa para 8 pessoas, o equivalente a R$ 425,00 ou R$ 725,00 por pessoa.

Sobre a falta de informações sobre a devolução, Rodrigo afirma que até sábado ainda havia a possibilidade de um acordo amigável com a empresa de Julio Iglesias, mas que agora tudo deve ser resolvido na justiça. “A gente não estava falando nada, porque eles sempre garantiram que ficariam responsáveis pela devolução para quem não pudesse ir nas novas datas. Mas no sábado, todos foram embora sem resolver nada”, justifica.

Outro empresário que investiu na atração, Fabiano Ribeiro Rodrigues, da Xaxá Produções, diz que pensou em pedir o cancelamento, por quebra de contrato. Mas por respeito aos fãs, aceitou a decisão dos sócios.

“Eu estava tratando de outro evento, o jogo do Santos e São Paulo em Cuiabá, que foi no dia 7. Por isso me afastei da organização aqui, por confiar na seriedade da equipe do Julio Iglesias. Mas percebi que não era como eu pensava quando eles começaram a trocar as datas e não deixavam nem opção para a gente escolher. Compramos um show para uma sexta, por exemplo, que é mais caro, e acabamos com a apresentação em uma quarta”, reclama.

A estimativa é de que são necessários mais de US$ 30 mil, ou cerca de R$ 80 mil, em ressarcimentos. Mas os organizadores locais avisam que não vão arcar com o prejuízo. “Também fomos muito prejudicados. Por isso estamos entrando com ação por danos morais também”, diz Rodrigo.

No dia 3, cerca de 1,1 mil pessoas estiveram no Diamond Hall para a apresentação, mas ele garante que o lugar só encheu porque centenas de cortesias foram distribuídas poucas horas antes. “Como eles adiantaram o show, ficamos com medo de ninguém aparecer. O Julio só sobe no palco com mais de 500 pessoas no público, então, tivemos de sair distribuindo cortesias para garantir a apresentação”, comenta.

Os organizadores não divulgam um telefone para que as pessoas que se sentiram lesadas entrem em contato. Apenas orientam para que todos também sejam parte na ação contra Julio Iglesias.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.