A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

28/01/2014 15:46

Empresária tenta trazer show para Campo Grande, mas emperra na falta de espaço

Ângela Kempfer
Vontade é trazer Humberto Gessinger e o show Insular. (Foto: divulgação)Vontade é trazer Humberto Gessinger e o show "Insular". (Foto: divulgação)

Humberto Gessinger tem uma fã que está disposta a fazer de tudo para trazer o vocalista do Engenheiros do Hawaii a Campo Grande. Desde o ano passado, esse é o plano da dona de estúdio de dança do ventre Nidal Abdul.

Veja Mais
Ludmilla é uma fofa e mostra o que o funk pode ensinar ao nosso sertanejo
Coletivo de DJs organiza festas com música para 'dançar mais e reparar menos'

O valor do cachê, as despesas para bancar a apresentação ou o trabalho que um projeto do tipo rende, nunca foram empecilhos. Mas quando ela achou que tudo estava muito bem encaminhado, percebeu que a cidade não tem condições de receber estrutura a ser montada para 3 mil pessoas. Descobriu o que os produtores culturais daqui já dizem há muito tempo.

Na verdade, local existe, mas na avaliação dela, os valores cobrados são “surreais”. O cenário para o show “Insular” demanda palco com pé direito de 9 metros, o que complica bastante a empreitada de Nidal. O lugar mais barato, que viabilizaria espetáculos como o de Humberto, sai por R$ 15 mil, mas o palco não tem a profundidade exigida pelos produtores do cantor gaúcho.

A opção perto do ideal valeria um carro, com aluguel entre R$ 30 mil e R$ 50 mil, preço fixado pelo espaço de festas Ondara. O Rádio Clube Campo, outro local normalmente usado para eventos de tal porte, está proibido de realizar shows por ordem judicial. “Não sou rica, não vivo disso, mas também não posso ter prejuízo”, lembra.

Há o Parque do Peão CLC e o Jóquei Clube, mas são extremos nessa realidade, para públicos superiores a 8 mil pessoas.

Nidal abriu a participação em Campo Grande como promotora de shows com a banda Nenhum de Nós, no Palácio Popular da Cultura. Mas desta vez o custo total da apresentação impede a volta ao teatro que tem a maior capacidade de público hoje na Capital, 1.050 lugares. “Já no Nenhum de Nós não tive um centavo de lucro. Para fazer um show como do Humberto no Palácio, teria de cobrar R$ 250,00 pelo ingresso, porque o publico é pequeno”, reclama.

Para fazer a vontade vingar, ela se propõe até a investir na ampliação do palco do Clube Estoril, mas não sabe se os produtores de Humberto Gessinger vão aceitar. “Tenho muita vontade de trazer. Já perdi até a vergonha na cara nessa negociação, mas diante de tanta dificuldade, não sei se vou conseguir”.

Para Nidal, fã de bandas dos anos 90, a cidade merece a presença de caras com Humberto, Frejat... ou de bandas como Ira e Ultraje a Rigor. “Mas não tenho patrocínio. O povo só quer apoiar eventos sertanejos”, comenta.

Mas no caso de frustração com Humberto Gessinger, ela já pensa em uma alternativa. “Estou pensando no Biquini Cavadão”. Para os empresários dispostos a investir na cidade, ela deixa a dica: "Se eu tivesse um milhão de reais, construiria aqui na cidade, não lá longe, um espaço para shows de público superior a 3 mil pessoas".




admiro muito pelo q a Nidal esta fazendo...e precisamos urgente de um espaço pra esse tipo de shows...a populaçao só tem a ganhar...quero musica boaaaaa
 
Arthur Vilela em 30/01/2014 00:08:55
O que é uma imensa pena, tendo em vista que "o gosto" musical de grande parte dos campo-grandenses é o sertanejo! Não que não seja um estilo musical audível, já que o mesmo faz parte da chamada "cultura" do estado, porém não existem espaços específicos para outros eventos que não sejam SERTANEJO. Triste em saber disso, pois o Humberto Gessinger, no meu ponto de vista, é um dos melhores músicos e compositores do país.
 
Ricardo Boretti em 29/01/2014 19:11:18
Que a cidade está carente dos mais variados gêneros de shows não há dúvidas, agora tem que haver um bom censo dos empresários, que querem ganhar muito em um único evento, basta ver os preços cobrados em shows anteriores, façam como as empresas de ônibus que se uniram e criaram a cidade dos ônibus, que logo será inaugurada, se unam e criam um local apropriado para até 5 mil pessoas, garanto que a cidade corresponderia a altura e, a propósito pessoas como esses Marco Aurélio e Marcos Paulo M Santos, que comentaram abaixo, vazam daqui, essa cidade não precisa de vocês.
 
Victor Antunes em 29/01/2014 09:31:34
nosso estado é berço de sertanejo e tem uma das populaçoes mais velhas do pais, isso se deve a otima qualidade de vida oferecida a geração de segunda e terceira idades.
pra termos por aqui um espaço digno, a altura pra cantores e bandas do pop rock brasileiro ou até mesmo pro internacional teremos que esperar essa duas gerações MORREREM. cruel isso, mas é a realidade por aqui, infelizmente.
 
marco aurelio em 29/01/2014 09:05:53
Campo Grande precisa urgentemente respirar boa música!! Não é possível viver só de música sertaneja!!! Infelizmente esta é nossa realidade, bons shows...valores absurdos!
 
Kelly Sandim em 29/01/2014 08:45:25
Ótima escolha! No aguardo para que tudo dê certo! Ira, Capital, Frejat, Ultraje são ótimas escolhas tbm!!!! o/
 
Juliana Manzano em 29/01/2014 07:34:22
Leonardo,Com um milhão de reais talvez vcs construiriam, um local p/ 300 pessoas: talvez, bem simples. um projeto p/ 3 mil pessoas eu digo q teria q ter no mínimo r$ 60 milhões.
 
Ozeia Rodrigues em 29/01/2014 06:56:49
O problema é que a maioria "Infelizmente " do povo daqui também só sabe ir em festas regadas a muita bebida alcóolica, se fosse Open Bar pagariam os R$250,00.
Deveria haver uma união dos empresários, se houvesse lugar com estrutura adequada poderia ser no centro, mas preferem esquecer do entorno e pensar em sí mesmos por isso que o rádio clube está proíbido de realizar shows, lembre-se as proibições ocorrem após os abusos.
Olhem as configurações do credicard Hall:
6.938 lugares
Utilizando: Pista + Camarote + Plateia superior
5.712 lugares
Utilizando: Pista + Poltronas + Camarote + Plateia superior
3.995 lugares
Utilizando: Cadeiras + Poltronas + Camarote + Plateia superior
3.820 lugares
Utilizando: Mesas + Poltronas + Camarote + Plateia superior
Peguem bons exemplos.
 
GIlson Gomes em 29/01/2014 06:26:21
Um absurdo, nossa capital não ter um espaço decente para um show diferente. Nada contra sertanejo, mas existem outros públicos, que deveriam (e gostariam) de ser atendidos. Um espaço mais próximo, acessível, banheiros decentes... utopia...
 
silvana mendes em 28/01/2014 23:37:51
que pena! ficamos sedentos de outras opções culturais, fica a torcida!!
 
Meire Netto em 28/01/2014 21:46:14
Por que não fazem uma "vaquinha" no site do PT como no caso do Genuíno e arrecadam R$600.000,00 em uma semana para a construção do local de shows?...É a melhor forma de retornar com o dinheiro do mensalão para a população!
Depois façam isso para Hospitais, Escolas etc...
 
Paulenir de Barros em 28/01/2014 20:28:39
Quem perde é Campo Grande, uma cidade com tanto a oferecer, infelizmente nesse " ramo" é composto de muitas " casinhas" é difícil, muitas influências e nenhum incentivo, mas tenho certeza que em breve a noticia será outra, e alguém pode se manifestar de forma positiva, é um belo show, é um ótimo cantor, seria uma pena não acontecer por esse motivo!
 
Leonardo Alencar em 28/01/2014 20:07:00
Que tal conversar com o governo do estado e tentar trazer essa atração através do MS Canta Brasil? Acredito que o palco seja do tamanho necessário, e como já tivemos grandes nomes como Biquini Cavadão, Jota Quest, até mesmo Paralamas do Sucesso, negociar uma inserção deles neste projeto seria algo a se pensar, afinal o MS Canta Brasil é o que tem salvado os ouvidos de quem ainda gosta do bom e velho Rock Nacional!
 
muller batista de carvalho em 28/01/2014 19:36:56
Pagaria fácil esse valor pra ver o Humberto por aqui.
 
Leandro Nonato em 28/01/2014 17:48:37
É minha cara, voce construiria e a prefeitura e associação de moradores tratariam de destruir seu sonho, interditando o local como aconteceu no Radio campo, os locais para show são fora da cidade por esse motivo, o campo grandense não quer barulho, não quer que a cidade cresça, ele quer reclamar de tudo e transformar a cidade em um grande asilo, que é realmente o que Campo Grande está virando, quanto às suas opções, traga o Ultraje, traga o Biquini, traga o Ira, vamos mudar a mentalidade sertaneja que existe na cidade, ninguem aguenta mais, prefiro, apesar de achar ruim, o engenheiros e o frejat, que são os piorzinhos de suas opções, mas chega de sertanojo por favor.
 
maximiliano nahas em 28/01/2014 17:45:25
Pois é, né?! CG só tem espaços bons pra shows ruins, pois esses sim, lotam!! Um alerta ao povo de CG... Acordem!! Parem de ficar satisfeitos com qualquer barzinho novo! Precisamos de locais adequados, shows e atrações melhores e valores justos!
 
Fabiana Fernandes Gomes em 28/01/2014 17:42:23
Ola sou agenciador produtor e divulgador de eventos aqui em Campo Grande Caso eu possa ajudar passem meu contato a esta empresaria tenho alguns contatos bons para que isso aconteça ..
E-mail: antonio_cmartins@hotmail.com
Fone: 67 9105-1003
 
Antonio Cesar em 28/01/2014 17:33:06
Parabéns para a empresária pela iniciativa e pelo bom gosto musical. Espero que consiga êxito na sua empreitada e com preços acessíveis .
 
Marcelo Campos em 28/01/2014 16:55:40
Deixa quieto! Não precisa se esforçar tanto não, vai num show dele lá na cidade dele.
 
Cyro Chan em 28/01/2014 16:40:34
Eu adoraria ver um show do Humberto Gessinger em Campo Grande. Talvez uma das alternativas seja um financiamento coletivo para o aluguel de um espaço adequado, o que já é uma perspectiva real há alguns anos nos grandes centros. O site http://catarse.me/pt pode ajudar. O valor doado por pessoas poderia gerar desconto em ingressos.
 
João Brasil em 28/01/2014 16:37:13
Parabéns à Nidal, admiro seu empreendedorismo em uma vertente musical tão carente de apresentações na nossa cidade. E lamento a falta de apoio (patrocínio) e a falta de bom senso no preço dos espaços para locação.
 
Paulo Leite em 28/01/2014 16:28:41
"Se eu tivesse um milhão de reais, construiria aqui na cidade, não lá longe, um espaço para shows de público superior a 3 mil pessoas". [2]

 
Leonardo Alencar em 28/01/2014 16:18:26
Essa cidadezinha nao tem um local de show decente e com preço razoável p/ atender exigências da producao. Ou é palco no meio do mato cercado por boi, ou é num teatrinho malacabado.
 
Marcos Paulo M. Santos em 28/01/2014 16:18:15
A cidade precisa disso!!!!um pouco de pop rock pelo amor de Deus hahaahahahaahahhahaha
 
giuliano rangel braga em 28/01/2014 16:16:59
Parabéns pela atitude, estes músicos que sitou são ótimos, seria um sonho, ver frejat,leoni,rappa este nível de musica aqui em cg
 
A.HENRIQUE DIAS em 28/01/2014 16:13:55
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.