A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

26/01/2014 20:04

Esquenta vai para Afonso Pena, mas não lota. Por que Carnaval não emplaca aqui?

Paula Maciulevicius
E na semana que vem, dia 2, tem o lançamento oficial do Carnaval de Campo Grande, também na Cidade do Natal. (Fotos: Marcos Ermínio)E na semana que vem, dia 2, tem o lançamento oficial do Carnaval de Campo Grande, também na Cidade do Natal. (Fotos: Marcos Ermínio)

Pouca gente apesar da estrutura. No palco, o som do grupo de samba “Mistura de Raça” e ainda viria a apresentação das mulatas Tawanda e a bateria da escola de samba “Deixa Falar”. Essa era a programação do esquenta para o Carnaval 2014, realizado neste domingo (26), pela primeira vez, nos altos da avenida Afonso Pena, na Cidade do Natal. Nem a mudança de endereço para uma região que já tem um público intenso trouxe mais gente para prestigiar o Carnaval.

Veja Mais
"Toma aqui uns 50 reais", Naiara Azevedo abre fim de semana eclético
Ludmilla é uma fofa e mostra o que o funk pode ensinar ao nosso sertanejo

O palco tinha boa iluminação, o som estava bom, cerveja, água e refrigerante eram vendidos a R$ 2,50 cada e pelos cantos, banheiros químicos. Mas de espectadores, o resumo eram os carnavalescos da própria escola e familiares de quem viria a se apresentar. Fora isso, de público prestigiando por gostar de Carnaval, dava para contar nos dedos. O que leva a gente a se perguntar, o que mais falta para emplacar a festa em Campo Grande?

Para Tainara, falta mais segurança à população. Para Tainara, falta mais segurança à população.

Para a cabeleireira Deise Corrêa Lopes, de 42 anos, a resposta era a mesma de quem contava os participantes. “Público. Está faltando mais público, só isso”, afirmou. Do outro lado, o biólogo Cristiano Pascoalini, de 32 anos, comentou que às vezes é questão de gosto. “O povo não gosta, Carnaval é pra quem gosta”.

A vendedora Tainara Rocha Campos, de 26 anos, se esbaldava no samba entre amigos. Veio a convite de colegas e aprovou. Para ela, Carnaval começa ainda em novembro e o que falta aqui? Ela afirma ser a segurança. “Se tiver mais segurança, todo mundo sairia para ver o Carnaval. Mas foi muito bom, uma iniciativa super legal, só precisava de mais divulgação”, alerta.

Presidente da Lienca, Eduardo, diz que é questão de tempo para emplacar. Presidente da Lienca, Eduardo, diz que é questão de tempo para emplacar.

Carnavalescos de carteirinha, Kelly Cristina Lopes e Agnaldo Duarte, definiram que em primeiro lugar, falta mesmo é um sambódromo. Que por aqui, é briga antiga. “Não estaria sendo feito aqui se tivesse um sambódromo. Aqui não é acessível para quem vem da comunidade, só para quem tem carro próprio, porque o ponto do ônibus é longe e vir até aqui é uma caminhada e tanto”, argumentam os dois.

Para o presidente da Lienca (Liga das Entidades Carnavalescas de Campo Grande), Eduardo de Souza Neto, emplacar o Carnaval é uma questão de tempo. Ao Lado B ele disse que o público se conquista gradativamente. “Mesmo sabendo que a Afonso Pena teria um público cativo, é a primeira vez e uma aposta para que no futuro venha a se tornar referência. Enquanto não definir um local, vamos apostando aqui”.

E na semana que vem, dia 2, tem o lançamento oficial do Carnaval de Campo Grande, também na Cidade do Natal, às 18h, com a participação de todas as escolas de samba.




Falta divulgação meus amigos, não adianta gastar mais e melhorar a estrutura se não fizer uma divulgação forte... Eu não sabia desse samba ontem.
 
Jorge Arantes Nascimento em 27/01/2014 08:34:34
ESTE GRUPO É MUITO BOM MESMO RAPAZIADA MANDA MUITO BEM NO SAMBA E NO PAGODE E O PRIMEIRO A ESQUERDA É MEU AMIGO DE RIO VERDE TATÁ DO CAVACO ESTE GRUPO É SHOU DE BOLA QUEM NÃO FOI PERDEU UMA GRANDE APRESENTAÇÃO .
 
VINICIUS MARQUES em 27/01/2014 00:03:11
Caro leitor sou corumbaense, resido nesta cidade que me acolheu a 38 anos, aqui me formei, constitui família e gosto desta morena no entanto a cidade se caracteriza muito com a música sertaneja pelos shows, por onde anda a música é a sertaneja, em lojas, hipermercados, nos carros. A sociedade passa o ano vivendo e consumindo esse estilo musical enquanto isso os carnavalescos ficam à deriva e chega nesse período o carnaval não decola. Em Corumbá termina um carnaval, começam as promoções nos barracões das escolas e isso vai o ano todo e lá quase não se houve a música sertaneja. Devemos respeitar a vocação de cada cidade. Se aqui não está bom, vamos para Corumbá festar porque o carnaval de lá é bom, animado e o povo é hospitaleiro.
 
Júlio César Diniz em 26/01/2014 23:56:26
O povo daqui é jacu, sem noção de historia do samba, esta é a diferença entre o esquenta e o funk lá no mirante do aeroporto povo sem cultura nenhuma!!até agora só o sertanejo tá salvando.....Deus é mais!!
 
sandra lima em 26/01/2014 21:50:33
Falta segurança, lugar com acessibilidade, e o principal de tudo maior divulgação nos meios de comunicação.
 
Alex Muniz em 26/01/2014 21:39:57
Falta é divulgação!!! Nem ouvi falar que teria este evento!
 
Vanessa Arruda em 26/01/2014 21:35:31
faltou divulgação de qualidade, eu mesma não fiquei sabendo. Adoro carnaval, com certeza teria ido.
 
ANGELA OLIVEIRA em 26/01/2014 21:28:53
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.