A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

24/09/2015 06:34

Médico que curtiu Rock In Rio aos 15 anos revive euforia com filho adolescente

Lucas Arruda
Os dois vão ao festival nesta quinta-feira, que tem como atração principal o System of a Down (Foto: Gerson Walber)Os dois vão ao festival nesta quinta-feira, que tem como atração principal o System of a Down (Foto: Gerson Walber)

Aos 15 anos, o médico veterinário Newton Tércio Netto viveu o sonho de estar em um grande festival, o Rock In Rio de 1985. Ele foi para curtir as bandas que ouvia bastante na época, White Snake e Scorpion, mas acabou pegando outros shows memoráveis, como Queen, Ozzy Osbourne, Iron Maiden e AC/DC.

Veja Mais
Procura-se um padrinho que ajude na guinada de um cantor sertanejo
Antiga casa noturna virou 2 na Afonso Pena e reabre com lounge e pub sertanejo

Agora, 30 anos de pois, ele pretende reviver as emoções de estar no evento, mas dessa vez terá um bônus: irá com o filho Cauê Netto que tem a mesma idade que ele quando estreou no maior festival de música do País.

Os dois estão bastante animados com os shows desta quinta-feira (24), dia que tem como atração principal a banda System of a Down. “Ele sempre quis ir num show internacional comigo, ano passado não consegui levá-lo no Black Sabath em São Paulo e quando ele me disse que tinha vontade de ir ao Rock In Rio decidimos ir juntos”, conta Newton.

Eles exibem com orgulho o ingresso do Rock In RioEles exibem com orgulho o ingresso do Rock In Rio

Cauê lembra que no momento que soube por uma amiga que o System, uma de suas bandas preferidas, iria tocar no festival ficou louco para ir ao show. “Foi uma época que eu não tava acessando muito a internet e ela comentou comigo. Na hora já pensei em ir, ainda bem que tenho um pai que gosta de rock também”, se vangloria.

O pai não é muito fã da banda, prefere os clássicos. Em 1985 ele foi sozinho, com mais dois amigos, mas agora, prezando pela segurança do filho, resolveu ir junto. “Não dá pra deixar ir sozinho, hoje em dia é mais perigoso e eu já era mais independente. Tinha viajado sozinho, mas estava na casa de uma amiga da minha mãe, fui com mais gente também. E eu curto o som, porque não ir mais uma vez?”, argumenta.

Aquele Rock In Rio o marcou. Foi a primeira e única vez que foi a um evento dessa magnitude. “Eu morava em São Paulo, lá tínhamos bastante acesso a shows, mas um de grande porte, com vários grupos, não acontecia. Nós o comparávamos com o Woodstock, tinha aquele romantismo por sermos adolescentes sabíamos que ia ser igual”, lembra.

Ele foi em três dias e as recordações do que vivenciou ainda permeiam em sua memória. Até a bermuda usada ele ainda tem. “Teve um dia que choveu muito e nunca tinha visto tanta gente junta. Aliás, num dos dias eu passei mal por conta disso, fiquei com falta de ar. Meus amigos me levaram à enfermaria e lá acharam que eu estava bêbado e queriam me dar glicose, mas eu só precisava respirar um pouco e tomar uma água”, diz.

O ingresso para o filho foi como um presente de aniversário, mas Newton chegou a pensar que não iria conseguir. Quando acessou o site já aparecia que estava esgotado. Com perseverança continuou e conseguiu efetuar a compra.

Newton ainda tem a bermuda que vestiu quando estava na primeira edição do festivalNewton ainda tem a bermuda que vestiu quando estava na primeira edição do festival

“No dia eu estava fazendo prova na escola e meu pai me ligou duas vezes e eu não atendi. Quando vi achei estranho, mas ele estava querendo saber só o número dos meus documentos, que era necessário para a transação. No fim tudo deu certo e na hora que meus amigos me perguntaram só falei que meu ingresso pro Rock In Rio estava certo, para me achar um pouco”, brinca Cauê.

Além do dele, Newton comprou um para o amigo de infância do adolescente, que hoje vive em Goiânia. Os dois se conheceram ainda bebês, mas a amizade perdurou, assim como os gostos em comum.

“Meu amigo é um grande fã do System também e quando conversei sobre o show ele se animou bastante. Nós vamos nos encontrar lá na Cidade do Rock, vai ser muito bom”, acredita.

Cauê já tem certeza que o festival o marcará assim como foi com seu pai, já que também é a primeira vez que irá num show internacional. “Eu sempre quis muito ir, estou realizando um sonho. Uma amiga que foi e já voltou já contou algumas coisas. Sei que vou ficar muito tempo em pé, enfrentar filas. Não gostei também de saber que a tirolesa é só para maiores de 18 anos”, reclama. “Ainda assim, sei que será incrível”, emenda.

Este será o primeiro show internacional do adolescenteEste será o primeiro show internacional do adolescente

Para curtir o show, já que está muito calor, o pai recomenda uma roupa mais leve. “Vou ir sem uma camiseta preta, mas de banda”, avisa. Cauê concorda que a cor é realmente indispensável ao visual. “Eu vou de preto mesmo, não dá pra ser outra cor”, rebate.

Além do System of a Down, tocarão no mesmo dia Queens of the Stone Age, Lamb of God, Deftones e outras bandas. O desejo do garoto era ver também Slipknot que toca um dia depois, no entanto, não será possível ir em mais de um dia. “Eu tinha que escolher e escolhi, não vou me arrepender”, frisa.

A expectativa só aumenta com o passar das horas. O vôo sai amanhã a noite, mas todas as roupas já foram escolhidas. “Já sei a quantidade de calças, de camisetas, de tudo que levarei”, enumera o adolescente.

Eles ainda ficam um dia a mais no Rio para conhecer a cidade. “Eu já conheço, mas era um sonho dele também conhecer lá”. A volta está programada para o sábado, mas, pelo menos por enquanto, isso nem passa pela cabeça de cada um.

O Rock In Rio segue até o próximo domingo (27) com grandes atrações internacionais.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.