A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

22/03/2015 08:33

Mostra Boca de Cena tem filmes até domingo e espetáculos a partir de terça

Elverson Cardozo
Tristão e Isolda, da Cia. Última Hora de Teatro, de Dourados. (Foto: Amanda Matos)"Tristão e Isolda", da Cia. Última Hora de Teatro, de Dourados. (Foto: Amanda Matos)

Começou na última quarta-feira (18), e vai até o próximo dia 28, a mostra Sul-Mato-Grossense de Teatro – Boca de Cena. A programação cultural, completamente gratuita, é extensa e reúne apresentações de peças, intercâmbios, debates, fóruns e exibições de filmes.

Veja Mais
Festival das Artes é novo espaço da cultura e começa com mais de 10 shows
Humberto Gessinger, Ludmilla e Whindersson Nunes chegam no fim de semana

A abertura , no dia 18, foi com o “Teatro no Cinema”, do Cine Cênico, projeto de pesquisa e extensão do curso de Artes Cênicas da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS).

Trata-se de um mostra de filmes da dramaturgia universal com sessões gratuitas até domingo (22). As exibições tem início às 19h, no MIS (Museu da Imagem e do Som). Ao final, o público interessado interage com debatedores.

No primeiro dia, foram exibidos oito curtas baseados na obra do expoente do “Teatro do Absurdo”, o irlandês Samuel Becket. A desesperança e o existencialismo são temas recorrentes na obra dele.

Abertura do Teatro no Cinema, do Cine Cênico, projeto de pesquisa e extensão da UEMS. (Foto: Divulgação/FCMS)Abertura do Teatro no Cinema, do Cine Cênico, projeto de pesquisa e extensão da UEMS. (Foto: Divulgação/FCMS)

Na noite de quinta (19), quem foi assistiu “Pina”, de Win Wenders. Considerado uma obra de arte do cinema, o filme é, na verdade, um espetáculo de dança e teatro inspirado no trabalho da coreógrafa alemã Pina Bausch.

“O Mercador de Veneza” foi atração de sexta-feira (20). Com texto original de Willian Shakespeare, a trama gira em torno da agiotagem e seus desdobramentos perversos. Sábado (21) será a vez de “Eduardo II”, drama histórico, inspirado na obra de Christopher Marlowe, que narra a história de Edward II, rei da Inglaterra no século 14. Ele renegou a própria esposa para viver um problemático relacionamento com seu amante plebeu.

“O Boulevard do Crime” encerra a mostra do projeto neste domingo (22). O romance apresenta um tumultuado triângulo amoroso que se desenrola na Paris de 1830, no Boulevard du Temple (local dos teatros, dos cabarés e da vida boêmia da capital francesa). Não terá debatedores para este filme por conta de sua longa duração.

Serviço:

Mostra Teatro no Cinema – Projeto Cine Cênico
Data: de 18 a 22 de março
Horário: 19 horas
Local: Auditório do Museu da Imagem e do Som (MIS) – Memorial da Cultura e da Cidadania: avenida Fernando Corrêa da Costa, 559, 2º andar.
Entrada Franca

Espedito em cena. (Foto: Helton Perez)Espedito em cena. (Foto: Helton Perez)

No teatro - Os espetáculos, 13 no total, começam na semana que vem, a partir de terça-feira (24), quando será feita a abertura da “Exposição Roberto Figueiredo”, às 20h, no Teatro Aracy Balabanian.

A primeira peça, “Rubens Correa – Um grande artaud de aqui”, será encenada às 20h30. Com iluminação, atuação e direção do ator Espedito di Montebranco, o montagem, que tem classificação etária de 12 anos e duração de 60 minutos, é um monólogo sobre a vida e arte do ator mato-grossense Rubens Corrêa e sua paixão pela obra de Antonin Artaud.

O espetáculo, que tem colagens de textos de William Shakespeare e, também de Espedito, foi contemplado com o Prêmio FUNARTE de Teatro Myriam Muniz 2012 e Prêmio Rubens Corrêa de Teatro 2013.

Confira o restante da programação:

25/03 – Quarta
14h – Local: Teatro Aracy Balabanian
ERA UMA VEZ… BRANCA DE NEVE
Grupo Teatral Cênika/Campo Grande/MS

Peça Era uma vez... Branca de Neve, do grupo Teatral  Cênika. (Foto: Divulgação/FCMS)Peça "Era uma vez... Branca de Neve", do grupo Teatral Cênika. (Foto: Divulgação/FCMS)

Classificação: Livre
Duração: 55 minutos
Sinopse: Uma Fada e um Elfo, cansados dos contos comuns, narram a clássica história infantil de forma diferente. Com muito humor e interpretação irreverente, o espetáculo aborda o respeito às diferenças e valores para uma sociedade melhor.
Direção e adaptação do texto: Mario Lopes
Sonoplastia: Lea Estrela e Leonardo Peralta
Elenco: Adrielton Franco // Analira Scalabrini // Daniele Santana // Leonn Gondin // Marina Bedatty e Mário Lopes

Olhos que tivemos. (Foto: Divulgação/FCMS)"Olhos que tivemos". (Foto: Divulgação/FCMS)

20h30 – Local: Teatro Aracy Balabanian
OLHOS QUE TIVEMOS
Núcleo Teatral Isadora/Dourados/MS
Duração: 60 minutos
Classificação: 14 anos
Sinopse: Esta é a história de Isadora em um território de passagem, uma zona de transição como um tempo/lugar fértil para a esperança individual e as utopias sociais. Isadora como espelhos de Isadoras mães, avós, filhas, pais, irmãos e irmãs. Isadoras que aprenderam que, ao longo da vida, uma pessoa pode fingir muitas coisas, mas não sua própria felicidade. O espetáculo foi contemplado com o Prêmio FUNARTE de teatro Myriam Muniz 2013
Texto: Beto Mônaco // Direção: Gina Tocchetto // Dramaturgia: Gina Tocchetto, Beto Mônaco e Roberta Ninin //
Musicista: Thaís Costa // Preparação corporal: Gina Tocchetto // Cenografia, iluminação e figurino: Gil Esper // Trilha sonora: Jonas Feliz e Thaís Costa //Direção Musical: Jonas Feliz // Produção e Assistência de Direção: Flávia Janiaski
// Assistência de produção: Ariane Guerra // Apoio técnico: Rodrigo Bento
Elenco: Beto Mônaco, Roberta Ninin e Thaís Costa

Espetáculo será encenado na Escola Estadual General Malan. (Foto: Divulgação/FCMS)Espetáculo será encenado na Escola Estadual General Malan. (Foto: Divulgação/FCMS)

26/03 – Quinta
19h – Escola Estadual General Malan
TUDO PORÃ POR AQUI
Emmanuel Marinho/Dourados/MS
Duração: 60 minutos
Classificação: Livre
Sinopse: ‘A palavra ‘Porã’, em Guarani, significa algo “bonito e bom” e traduz a simplicidade, a delicadeza e força das palavras criadas e interpretadas pelo consagrado poeta Emmanuel Marinho.Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2012.
Direção, atuação e concepção: Emmanuel Marinho
Figurino: Cello lima // Desenho de luz: Adriana Ortiz // Preparação corporal: June Torres
Design: Thalles Pimenta // Preparação de ator: Nill Amaral

Rick Thibau em “O Experimento Tirésias”. (Foto: Layza Vasconcelos)Rick Thibau em “O Experimento Tirésias”. (Foto: Layza Vasconcelos)

20h30 – Teatro Aracy Balabanian
O EXPERIMENTO TIRÉSIAS
Rick Thibau/Campo Grande/MS
Duração: 55 minutos
Classificação: 12 anos
Sinopse: Tirésias foi o mais famoso adivinho cego da Grécia clássica que recebeu diretamente de Zeus o dom da leitura de pensamentos e da previsão do futuro. Os fenômenos que o mentalista Rick Thibau apresenta neste espetáculo são dessa mesma natureza. O público é convidado a mergulhar num mistério milenar e participar ativamente da construção de insólitas maravilhas mentais
Mentalista/Roteiro: Rick Thibau
Direção/Roteiro: Ricardo Harada
Iluminação: Camila Jordão // Operação de Sonoplastia: Lucas Arruda // Contra-regra: Michelly Dominiq // Segurança: Rayan Rojas

De Dourados, peça Tristão e Isolda é encenada na rua. (Foto: Divulgação/FCMS)De Dourados, peça Tristão e Isolda é encenada na rua. (Foto: Divulgação/FCMS)

27/03 – Sexta
11h – Calçadão da Rua Barão do Rio Branco
TRISTÃO E ISOLDA
Cia. Última Hora de Teatro/Dourados/MS
Duração: 40 minuto
Classificação: Livre
Sinopse: Conto medieval encenado na rua, com música ao vivo e versos apaixonados, para narrar a trágica e triste história de amor impossível de Tristão e Isolda. O espetáculo foi contemplado pelo Premio Funarte Artes na Rua (Circo, Dança e Teatro/2014).
Direção e trilha sonora: Marcos Chaves
Argumento dramatúrgico, figurino e adereços: Rodrigo Pera
Assistência de Produção: Joisce Dias // Produção: Jéssica Barone
Elenco: Ariane Guerra, Denise Grativol, Junior Souza, Marcos Chaves e Rodrigo Pera

Dedo Verde, da Associação Florescer do Cerrado. (Foto: Divulgação/FCMS)"Dedo Verde", da Associação Florescer do Cerrado. (Foto: Divulgação/FCMS)

14h – Teatro Aracy Balabanian
DEDO VERDE
Associação Florescer do Cerrado – Campo Grande/MS
Duração: 50 minutos // Classificação: Livre
Sinopse: Inspirado no livro “O menino do Dedo Verde” de Maurice Druon, o espetáculo explora o mundo cinzento das cidades e propõe uma saída possível.
Direção: Lu Bigatão
Dramaturgia: Carlos Dhiel
Manipuladores: Fernanda Kunzler, José Guilherme de Almeida e Wilson Motta // Produção: Fernanda Kunzler // Criação e confecção de bonecos, sombras e cenários: Miska Thomé e Wilson Motta // Figurinos dos bonecos: Ana Rita Moraes
// Animação: Carlos Dhiel // Iluminação: Anderson Lima // Fotos: Laila Pulcherio

Os Guardiões. (Foto: Helton Perez)"Os Guardiões". (Foto: Helton Perez)

19h – Teatral Grupo de Risco
OS GUARDIÕES
Teatral Grupo de Risco/Campo Grande/MS
Duração: 50 minutos
Classificação: 16 anos
Sinopse: Um Pantanal sui generis, com habitantes em uma relação simbiótica com o território em que vivem. O desequilíbrio chega quando ambiente e tradições se transformam com o desenvolvimento. O espetáculo é uma construção coletiva do grupo que integra uma trilogia sobre a história de Mato Grosso do Sul.
Direção: Roma Román Dramaturgia: Lu Bigatão // Trilha sonora: Jonas Feliz // Ilustrações: Rubén Dario Román Añez // Preparação de elenco: Leandro Melo // Cenografia: Márcia Gomes // Vídeo cenário: Maíra Espíndola e Rafael Mareco // Iluminação: Anderson Lima
Elenco: André Tristão, Fernanda Kunzler e Yago Garcia

O Baixio dos Doidos. (Foto: Divulgação/FCMS)"O Baixio dos Doidos". (Foto: Divulgação/FCMS)

20h30 – Teatro Aracy Balabanian
O BAIXIO DOS DOIDOS
Fulano di Tal/Campo Grande/MS
Duração: 60 minutos
Classificação: 12 anos
Sinopse: Um homem juntando numa caixa de papelão suas coisas para se mudar. São os últimos 60 minutos no apartamento onde viveu um grande amor que também será encaixotado. O que o levou para ali, desde o nascimento no “Baixio dos doidos”, até o fim do relacionamento são descritos no monólogo. Prêmio Rubens Corrêa de Teatro 2014.
Texto e atuação: Begèt de Lucena
Dramaturgia: Fernando Lopes Lima com colaboração de Begét de Lucena
Direção: Coletivos Fulano di Tal e Grupo Casa // Cenários e figurinos: Ligia Prieto // Iluminação: Fernando Lopes de Lima // Direção Musical: Marcelo Leite // Participação: Bruno Loiácono // Cenotecnia: Família Ana Jordão

Espetáculo Tekoha é encenado na rua.(Foto: Divulgação/FCMS)Espetáculo Tekoha é encenado na rua.(Foto: Divulgação/FCMS)

28/03 – Sábado
11h – Calçadão da Rua Barão do Rio Branco
TEKOHA – RITUAL DE VIDA E MORTE DO DEUS PEQUENO
Teatro Imaginário Maracangalha/Campo Grande/MS
Duração: 50 minutos
Classificação: Livre
Sinopse: O espetáculo narra a trajetória do líder guarani Marçal de Souza e sua resistência histórica na luta pela terra e direitos dos povos indígenas. A palavra que dá nome ao espetáculo, Tekoha, tem um significado peculiar. “Teko” significa modo de estar, sistema, lei, hábito, costume. Tekoha, assim, refere-se à terra tradicional, ao espaço de pertencimento da cultura guarani.
A peça foi premiada no 30º Festival Sul-mato-grossense de Teatro da Fesmat (Federação Sul-Mato-Grossense de Teatro) em 2011, como Melhor Espetáculo, Direção, Dramaturgia, Figurino e Sonoplastia na categoria rua; em 2010 recebeu o Prêmio Funarte Artes Cênicas nas Ruas.
Diretor: Fernando Cruz
Dramaturgia: Fernando Cruz em processo colaborativo com o grupo // Figurino: Ramona Rodrigues
Cenografia: Zé Eduardo Calegari Paulino // Adereços: Lício Castro // Sonoplastia: o Grupo
Elenco: Alê Moura, Camilah Brito, Fernando Cruz, Fran Corona e Moreno Mourão

O Bote da Loba foi encenado pela primeira vez em março de 2014. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)O Bote da Loba foi encenado pela primeira vez em março de 2014. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

19h – Teatral Grupo de Risco
O BOTE DA LOBA
Mercado Cênico/Campo Grande/MS
Duração: 50 minutos
Classificação: 18 anos
Sinopse: No último texto escrito por Plínio Marcos, duas personagens, Veriska, uma maga e Laura, casada, apresentam a angústia de mulheres que não sabem lidar com sua própria sexualidade e, por extensão, de sua sexualidade relacionada aos seus parceiros. Prêmio Rubens Corrêa de Teatro/2013.
Direção: Vitor Samúdio
Texto: Plínio Marcos
Produção: Marylu Garcia, Diogo Adriani
Atrizes: Aline Calixto e Patrycia Andrade

Verdades Inversas fala da mídia sensacionalista. (Foto: Divulgação/FCMS)"Verdades Inversas" fala da mídia sensacionalista. (Foto: Divulgação/FCMS)

20h30 – Estação Rodoviária (Antiga)
VERDADES INVERSAS
Flor e Espinho Teatro/Campo Grande/MS
Duração: 45 minutos
Classificação: Livre
Sinopse: Imprensa sensacionalista, razão e loucura, verdades e inversões são o foco desta montagem de teatro de rua, a partir de uma estética em que cenas e público se deslocam em diferentes espaços no correr da trama. Prêmio Rubens Correa de Teatro 2014.
Direção: Anderson Lima
Dramaturgia: Péricles Anarcos // Figurino: Anderson Bosh
Elenco: Ewerton Goulart, Luiz Claudio Dias, Nathália Andrade, Nathalia Borioli, Alex Peterson, Renata Cáceres.

Peça da Cia Maria Mole tem clima de suspense e terror. (Foto: Reprodução/Facebook)Peça da Cia Maria Mole tem clima de suspense e terror. (Foto: Reprodução/Facebook)

22h30 – Estação Ferroviária
E O MEU CABELO ARREPIOU
Cia. Maria Mole/Corumbá/MS
Duração: 45 minutos
Classificação: 12 anos
Sinopse: Década de 50, em clima de suspense e terror, a cidade de Corumbá (MS), é assombrada por bruxas, fantasmas e lobisomens. Inspirado no livro “Fatos Verídicos”, de X-Panzé, uma coletânea de textos do jornal “O Momento”.
Direção: Bianca Machado
Elenco: Carla Soares, Carlo Serrat, Dilson Militino, Leonardo de Castro, Rita Cristina, Rodrigo Nishino, Mariana Castro
Elenco de Apoio: Bianca Machado, Andri Rodrigues, Carol Mendes




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.