A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

06/02/2014 06:33

Na 4ª geração, após tocar até funk, Tradição muda de rumo para recuperar sucesso

Paula Maciulevicius
Nos 18 anos de bagagem, os planos agora são de regravar sucessos do grupo e o sertanejo em geral.  (Fotos: Cleber Gellio)Nos 18 anos de bagagem, os planos agora são de regravar sucessos do grupo e o sertanejo em geral. (Fotos: Cleber Gellio)

Patrick Reder, Léu Prado, Fabrício Correia, Leandro, Osiel Rosa e Márcio Pereira. São estes os nomes dos músicos que tentam fazer o Tradição voltar ao auge. O grupo que começou nos bailes migrou o batidão para a micareta sertaneja, chegou a tocar até funk e agora parece tentar voltar às origens de música de raiz, sem perder a identidade de misturar ritmos.

Veja Mais
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje
Festival de Artes começa com público fraco, mas tem vocação para ser resistência

Depois que o vocalista Guilherme deixou o projeto para se tornar o novo Thiago, da dupla “Thame e Thiago”, só deu tempo de Patrick Reder entrar e finalizar o 13° CD da dupla “Churrascão do Tradição”. Aos 22 anos, está sob responsabilidade dele o vocal principal do grupo que busca vingar na fase pós Michel Teló.

Em uma apresentação para a imprensa nesta quarta-feira, a quarta geração sobe ao palco com uma cara mais jovem, até mesmo no visual. Os cabelos entraram na onda do que vem tomando conta do cenário ultimamente. Estão todos para cima. Os pés não calçam bota, ficam mesmo no boot ou no sapatênis mais moderninho.

O novo CD inclui 14 faixas, a primeira é o resultado da tentativa de emplacar de novo misturando sertanejo ao eletro funk, “Ui adoro”, as demais seguem o perfil de batidão e são cantadas, inclusive, pelos demais integrantes. Em “Sábado a noite”, é o baterista Léu Prado quem toma conta do palco.

Desta geração, empresário diz que permanece o ponto de mais de um vocal e o brilho de Michel Teló.Desta geração, empresário diz que permanece o ponto de mais de um vocal e o brilho de Michel Teló.

Nos 18 anos de bagagem, os planos agora são de regravar sucessos do grupo e o sertanejo em geral. O troca-troca de vocalista parece agora ter assentado. Pelo menos um pouco. O empresário do grupo, Wagner Hidelbrand comenta que fica lisonjeado diante de exemplos como Guilherme e o ícone Michel Teló, trilharem a carreira própria após o Tradição.

“Quando a pessoa sai tem essa tristeza, mas a gente tem satisfação em ver, eles se tornaram grandes ícones da música brasileira, e no caso do Michel Teló, internacional. Mas essa tristeza é encoberta quando a gente vê o brilho nos olhos, como vê do Patrick, essa vontade faz valer a pena tocar o projeto”, comenta.

É impossível de não fazer comparação entre a geração apresentada em 2014 para com as demais. No entanto, diante o grupo, o empresário reforça características semelhantes até ao Michel.

“São dois pontos fortes, que comparado ao primeiro grupo, são os mesmos. A questão do vocal, temos músicos preparados e com bom vocal e o outro é manter dois acordeons. Isso dá um diferencial, aqui ainda é comum, mas fora do Estado, é uma inovação”, elenca Hidelbrand.

De um modo geral, o empresário compara esta geração à época de Teló. “O Michel entrava no palco parecia que ele tinha uma auréola, uma luz própria e você percebe neste grupo aqui, que emociona a gente quando está escutando. Arrepia, não é só o barulho, é a musicalidade, a alegria”, encerra.

O vocalista fala que tem ciência de responsabilidade. Patrick se considera fã do Tradição antes de tudo, relembra que a carreira musical começou num grupo para as bandas do Paraguai, que chamava Filhos da Tradição, uma homenagem à banda toda.

“A gente tenta fazer mistura sem esquecer a essência. Esse estilo de pegar, mesclar sons e tentar uma novidade no mercado é o que é e ainda vai ser o Tradição”, finaliza.

Em uma apresentação para a imprensa nesta quarta-feira, a quarta geração sobe ao palco com uma cara mais jovem, até mesmo no visual.Em uma apresentação para a imprensa nesta quarta-feira, a quarta geração sobe ao palco com uma cara mais jovem, até mesmo no visual.



concordo com vc cyro,mas continuo amando o Michel Teló
 
gislaine de araujo palacio em 06/02/2014 21:42:57
Chamar o Gerson para mim um dos melhores cantores que já passaram pelo tradição
 
lucas de abreu em 06/02/2014 14:50:07
Michel saiu, acabou tradição.
 
Cyro chan em 06/02/2014 14:15:24
ainda bem que eu sou head banger e curto outro tipo de musica, mas respeito.
 
marco aurelio em 06/02/2014 12:30:50
chama o Gerson de volta, ele arrasa.
 
Marly Alves em 06/02/2014 09:28:57
Nossaaaaa até que um dia, sinto saudades das modas boas que tocavam, musicas românticas e maravilhoso saber que o Tradição esta retornando a suas origens.
Sucesso meninosss!!!
 
Jéssica Alves em 06/02/2014 09:07:42
To aqui na torcida, pra esse grupo voltar ao auge...
 
Letícia Escobar Silvestre em 06/02/2014 08:45:25
Dá pra ver porque o Michel saiu para carreira solo, no auge do sertanejo os caras inventam de tocar funk? É pra quebrar mesmo.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 06/02/2014 08:40:13
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.