A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Janeiro de 2017

13/11/2016 07:15

Nomes criativos de festas badaladas é grito de liberdade em cidade conservadora

Não gosta de mim? Então deita na BR querida!

Thailla Torres
Meu C* Que Brilha, que encheu o público de purpurina e performances. (Foto: Lucas Possiede)Meu C* Que Brilha, que encheu o público de purpurina e performances. (Foto: Lucas Possiede)

Em Campo Grande, a ousadia na hora de criar um nome para as festas é marketing que dá certo, mas também dá o que falar. Com títulos com Hallo Hímen, Deita na BR e Meu C* Que Brilha, a galera se anima e cai na pista em festas que acabam reunindo música, diversão e liberdade em um só lugar.

Veja Mais
Tem de ter coragem para encarar um "The Voice" no Centro de Campo Grande
Quem conhece diz que só preocupação com filho pode manter BBB longe de “tretas”

A escolha na maioria é para chamar atenção do público, mas carrega a mensagem de liberdade na hora de lidar com as críticas. No Drama Bar já teve a festa Meu C* Que Brilha, que encheu o público de purpurina e performances com direito a bumbum a mostra pela festa. O tema foi escolhido pelo sócio proprietário e estilista Fábio Maurício, de 31 anos. Segundo ele, a casa recebe bem a diversidade e acredita que todo mundo tem que ser o que quiser.

"O nome foi mais para chocar e mostrar que ninguém tem que se importar com o que os outros vão dizer, porque a gente sempre encontra uma dificuldade pelo caminho quando as pessoas não entendem que não importa o que o mundo pensa, mas sim o que você é de verdade. E a festa acabou sendo um sucesso por isso, porque todo mundo quer brilhar, só não pode ter vergonha disso", explica Fábio. 

No mês passado, como era tempo de Hallowen, o produtor de eventos Abner Benevides, de 22 anos, criou a festa Hallo Hímen. O título veio de outras cidades do País, comum em festas LGBT, mas tá valendo para deixar claro quem são as pessoas que frequentam a casa.

"Eu resolvi fazer para mostrar que todo mundo saber mesmo que é o público gay que vai à festa, assim que compram o convite. E a gente escolhe nomes diferentes para sair um pouco dessa normalidade, porque as pessoas gostam de se divertir com o que é diferente e novo", resume. 

Já para quem fica se perguntando, o que é uma festa Deita na BR, o tema criativo foi inspiração do artista Arce Correa, que caiu no gosto popular com sua personagem Maria Quitéria, cômica e baseada no exagero. A festa foi realizada pela boate gay Non Stop também em outubro, e vem da mensagm: Não gosta de mim? Então deita na BR. 

A criatividade, segundo Arce, surge sempre para atrair e fazer a diferença no que já é estabelecido. "É um processo natural, sempre que esses nomes surgem, é uma forma de inovar e sair da mesmice. Acho que se for trabalhado com bom humor, como a maioria tem sido, consegue abrir espaço para a diversão e também para discutir qualquer assunto", diz o ator. 

Em um local tão conservador cmo Campo Grande, o ato de ousar na hora do batismo do evento também carrega o peso da liberdade. "Não só o público LGBT, mas todo mundo que cria esses nomes, tenta passar uma mensagem diferente. É romper com algumas situações e abrir espaço para uma conversa, perder o preconceito ou até mesmo indiretamente levar o indíviduo a saber do que se trata os assuntos em diversas tribos. Acredito que isso é posicionamento forte da juventude que tem uma cabeça mais aberta e busca romper com qualquer padrão estabelecido", acredita Arce. 

Curta o Lado B no Facebook.




imagem transparente
Busca

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.