A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

27/12/2015 08:13

Oficinas de férias com novidades em dança urbana em janeiro e por apenas R$ 5

Adriano Fernandes
As oficinas serão ministradas pelos integrantes da Companhia Dançurbana.(Foto: Divulgação)As oficinas serão ministradas pelos integrantes da Companhia Dançurbana.(Foto: Divulgação)

Janeiro começa com a 9ª edição do Urbandance, oficina de férias da companhia Dançurbana, no Armazém Cultural de Campo Grande.

Veja Mais
Begèt de Lucena e Mari Depieri são as vozes do Som da Concha de hoje
Festival de Artes começa com público fraco, mas tem vocação para ser resistência

Do dia 14 a 17 de janeiro, a promessa é de um grande encontro entre companhias do Estado. O evento ainda terá mostras e workshops de dança, além de outras manifestações da cultura do hip hop.

Realizado sempre no período de férias, o Urbandance teve inicio em 2010, apenas como oficina de dança e sem muitas pretensões, lembra o diretor e coreógrafo Marcos Mattos. Com o crescimento do projeto, até o espaço para realização do evento precisou ser repensado.

“Quando começamos com as oficinas de férias, nossa intenção era reunir apenas os grupos da antiga Casa de Arte Dançurbana. Mas então a demanda foi aumentando e nós sentimos a necessidade de ampliar o evento”, diz.

Uma das novidades vai ser curso intensivo de dance hall, modalidade da dança urbana de origem jamaicana. O Jam, é uma roda de danças onde cada participante improvisa uma coreografia ao som de diferentes estilos musicais.

Nas batalhas de AllStyle, os dançarinos participantes vão competir entre si, mostrando o que cada um sabe de melhor quando o assunto é dança de rua.

As mostras de dança ocorreram na sexta-feira e no sábado, às 19h, e o valor é super popular, só R$ 5,00. Além das manifestações da dança, haverá também feiras de roupas, livros e artes. 

Os workshops serão ministrados pelos integrantes da Companhia Dançurbana e convidados. Um deles é o dançarino Rogger Castro, bailarino de artistas como Lexa e Mc Biel e ex-aluno da companhia.

Mesmo diante de um cenário delicado, devido ao atraso no pagamento dos editais da companhia, a expectativa da organização é criar um evento que se torne referência nacional.

“Tudo faz parte de um processo de resistência, já que fica cada vez mais difícil termos incentivos municipais e estaduais para dança. Nós queremos ampliar o Urbandance para que ele se torne uma referência no mundo da dança”, diz Marcos.

Em 2014, a companhia Daçurbana passou por 46 cidades com o projeto Palco Giratório do Sesc. Este ano, foi a única de Mato Grosso do Sul contemplada pelo programa de patrocínios O Boticário na Dança. 

Além de diretor e coreógrafo da Companhia Dançurbana, Marcos é coordenador geral do Urbandance e um dos idealizadores da campanha #artesemcalote, movimento nas redes sociais criado por conta dos atrasos de mais de dois anos nos pagamentos do FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais) e Fomteatro (Fundo de Fomento ao Teatro) da prefeitura.

Outras informações sobre o Urbandance estão na página do evento. 

Curta a página do Lado B no Facebook. 

 




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.