A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

05/02/2014 06:33

Queridinha na cidade, capivara vira símbolo e vai aparecer “blasé” no Carnaval

Paula Maciulevicius
O animal virou nome de bloco de Carnaval: “Capivaras Blasé”, uma brincadeira com o jeitinho campo-grandense. (Foto: Cleber Gellio)O animal virou nome de bloco de Carnaval: “Capivaras Blasé”, uma brincadeira com o jeitinho campo-grandense. (Foto: Cleber Gellio)

A figura em si do mamífero redondinho que atravessa tranquilamente a avenida sem dar muita bola para os carros já parece carregar no andar um ar meio ‘blasé’, de quem não demonstra reação alguma. Originado do Francês, o termo cai bem à capivara e ao campo-grandense que, não generalizando, mas em grande parte, prefere mostrar tédio apenas por afetação.

Veja Mais
Coletivo de DJs organiza festas com música para 'dançar mais e reparar menos'
Com poucas opções, veja onde curtir as festas de fim de ano em Campo Grande

Este ano o animal queridinho na cidade vai ganhar homenagem. O Mercado Cênico lança o bloco de Carnaval de rua “Capivaras Blasé”, numa brincadeira com o jeitinho campo-grandense.

Formado por amigos, conhecidos e gente interessada em curtir o Carnaval de bloco, feito de samba e marchinhas, as “Capivaras Blasé” entram para o circuito independente de blocos e vai desfilar na segunda-feira de Carnaval, pela Vila Ferroviária.

“Ela se tornou símbolo da cidade, uma mascote e ao mesmo tempo é uma brincadeira com o campo-grandense. Queremos eleger o melhor blasé 2014”, explica o diretor do Mercado Cênico, Vitor Samudio.

Ele segue dizendo que a fantasia pode ser de um amigo ou conhecido que seja ‘blasé’. No entanto, se tratando de Campo Grande é difícil que alguém entre na brincadeira. “Pode vir fantasiado da pessoa mais blasé que você conhece. Mas não é obrigação”, frisa.

Na segunda de Carnaval, a concentração do bloco é partir das 16h, no Mercado Cênico, na rua Doutor Temistocles, 64, na região da Esplanada Ferroviária. Já neste sábado, é o pré-Carnaval das capivaras, no mesmo endereço, a partir das 19h.

O despertar dessa paixão por capivaras na cidade, ou ao menos, o reconhecimento dela como símbolo de Campo Grande, vem de uma crescente sensibilidade pela questão ambiental. Quem lida diariamente com isso, o major da PMA (Polícia Militar Ambiental) Edenilson Queiroz, estende ainda este sentimento para com outros animais também. “Não é só a capivara não, mas uma população toda de animais. A cada ano cresce a sensibilidade com relação à fauna do Estado”, comenta.

Apesar de chamar a atenção, o responsável pelo CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), Elson Borges, revela que o mamífero ainda gera queixas de invasão por parte da população que constantemente relata ver a cidade sendo ‘invadida’.

“Vejo muita crítica, gente que diz que elas transmitem doenças, mas não tem assim, elas são todas muito saudáveis”.




Aqui já foi habitat natural desses bichos, inclusive de outros, (até dinossauros) hoje é do homem, dura lex sed lex, se foi assim, assim será, pelo bem de ambas as partes passou da hora de dar destino correto à esses animais que também sofrem com tal proximidade , se for pela cabeça de pseudos-ambientalistas, daqui a pouco iremos pedir licença à jacarés, sucuris, onças e outros .
 
Sonia Pavão em 06/02/2014 15:08:12
Campo Grande blasé! Ah tá... Tem capivaras em CG?! Nossa nem noto, mas se tiver... normal néh?! Nem ligo pra isso!! aliás nem pra carnaval...enfim, que tédio isso!!! Rsrsrsrsrsr

Ironias a parte, vamos combinar que é por justiça a capivara ser eleita símbolo de Campo Grande... olha caiu como uma luva. Blasés por afetação; sinceramente... muito raros.
 
Alex Peterson em 05/02/2014 17:16:33
Prezado Ricardo Rodrigues, acho que o bicho homem é transmissor de AIDS, HERPES e outras DST bem piores que a incurável porém controlável doença do carrapato, além dos comportamentos doentios que temos visto na manchetes, mãe sangra filho até morrer e manda enterrar, cunhado esconde corpo da cunhadinha, filhinho que mata pai, acho que isso é bem pior e mortal.
 
Patricia Gomes em 05/02/2014 16:35:38
Boooa Marco Aurélio. Existem muitas doenças incuráveis na cabeça das pessoas que não são transmitidas pelos bichos.
 
Pedro Roberto em 05/02/2014 15:50:01
Que LINDA! *-*
 
Sâmela Lima em 05/02/2014 15:12:40
Taí gostei do Bloco das Capivaras, pois gosto das Capiras e de Carvaval agora falta Bloco dos Quatis são muitos no Parque dos Poderes o que da pena é ver os bichinhos revirando e comendo lixo e também dos Tucanos, Araras e outros e lembrando que
Arara Azul é simbolo da minha querida Escola de Samba Unidos da Vila Carvalho.
 
Meire Pereira de Souza em 05/02/2014 15:01:13
A capivara tão "fofinha" é hospedeira de um carrapato que transmite doença incurável ao homem.
 
ricardo rodrigues em 05/02/2014 14:04:40
Também sou amigo das capivaras que embelezam os parques da capital. Mas, tirando o lado folclórico do animal que influenciará no carnaval deste ano, sugiro que algo urgente seja feito no Parque do Sóter. As capivaras que habitam itinerantemente o parque estão matando as árvores novas e adultas. Contei mais de 80 arvores "roletadas" e algumas ja secaram. Alguem tem que tomar uma posição urgente, tá faltando comida para os animais e estão apelando para as árvores. A Prefeitura precisa adotar uma postura
Em dezembro/13 a equipe de futebol da SFA/MS juntamente com alguns convidados plantou 200 mudas de frutíferas, nativas e exóticas no parque, mas a maioria das mudas ja foram destruidas pelos coelhos e capivaras. Alguém precisa tomar uma atitude URGENTE!!!
 
Valter Loeschner em 05/02/2014 11:06:33
Que fooooofa *o*
 
Tayná Chan em 05/02/2014 10:02:04
Aviso aos navegantes, se tem alguém invadindo o espaço de alguém este alguém é o "bicho" homem, este sim é perigoso, transmite doenças, e espalha sujeira por onde passa.
 
marco aurelio em 05/02/2014 08:25:33
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.