A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

24/12/2013 06:06

Wood's prepara shows nacionais para 2014 e deve trazer Chitãozinho e Xororó

Anny Malagolini
Casa tem capacidade para receber 800 pessoas, por noite. (Foto: Cleber Gellio)Casa tem capacidade para receber 800 pessoas, por noite. (Foto: Cleber Gellio)

A convite da casa, o Lado B voltou a Wood’s no fim de semana para conhecer a nova balada sertaneja de Campo Grande. O tamanho da curiosidade em conhecer o lugar é comprovada por quem tentou reservar uma mesa. “Liguei, mas só consigo reservar com uma semana de antecedência, está lotada”, conta a publicitária Ligia Carneiro, de 28 anos.

Veja Mais
"Toma aqui uns 50 reais", Naiara Azevedo abre fim de semana eclético
Ludmilla é uma fofa e mostra o que o funk pode ensinar ao nosso sertanejo

O espaço segue a mesma linha de decoração dos outros ambientes espalhadas pelo Brasil, com muita madeira. A ideia é oferecer conforto. A capacidade é para até 1,2 mil pessoas, mas para evitar "empurra-empurra", a casa se limitou a 800.

Por noite, ao menos duas atrações são confirmadas, fora algumas participações ilustres. Na inauguração, a casa recebeu um dos proprietários da marca, o sertanejo Sorocaba e o parceiro Fernando, além de Maria Cecília e Rodolfo.

Para 2014, alguns shows com artistas de sucesso nacional já estão previstos como Thaeme e Thiago, João Bosco e Vinícius, Fernando e Sorocaba e uma das duplas mais queridas do País, Chitãozinho e Xororó.

 

Maquiagem no banheiro para as mulheres retocarem a maquiagem (Foto: Cleber Gellio)Maquiagem no banheiro para as mulheres retocarem a maquiagem (Foto: Cleber Gellio)

Estrutura - Dentro, são dois pisos. No primeiro ficam a pista e algumas mesas, que custam de R$ 250,00 a R$ 600,00, dependendo da distância do palco. O segundo andar é dos camarotes, com preço de R$ 1,6 mil para até 15 pessoas, valores revertidos em consumo. O setor da pista para as mulheres custa R$ 25,00 e R$ 40,00 para os homens.

Há alguns detalhes que fazem a diferença. Para as mulheres, em um dos banheiros do segundo piso a equipe de maquiadoras fica durante toda a balada retocando a produção das clientes, de graça, com produtos da "Sephora”, uma das redes de cosméticos mais cobiçadas.

Para beber, é preciso estar com o bolso preparado. A cerveja long neck custa R$ 5,50 e R$ 6,90 e há combos de bebidas com energéticos, uísque e vodkas que chegam a custar R$ 2.099,00. Uma das vodkas mais consumidas nas baladas, da marca “Smirnoff”, custa R$ 130,00. Para comprar bebida, o cliente pode ir até o bar e pedir ou, se quiser, chamar os garçons, que ficam espalhados pela casa anotando todos os pedidos.

Fernanda, se irritou pela falta de acessibilidade. (Foto: Cleber Gellio)Fernanda, se irritou pela falta de acessibilidade. (Foto: Cleber Gellio)

A reclamação que marcou a inauguração continua. A desorganização da fila e o tempo de espera são os maiores problemas apontados. A assessoria informou, no entanto, que o trantorno está com os dias contados.

Um "divisor de fluxo” foi solicitado, mas ainda não chegou. Sobre a demora, a empresa justifica que nas primeiras semanas será inevitável, já que para entrar é indispensável realizar um cadastro - que dura cerca de um minuto e meio e serve para abrir a comanda de consumo.

São 16 caixas responsáveis por abrir e fechar comandas, mesmo assim o tempo na fila é de, no mínimo, 1 hora.

Os amigos Diego Moraes, de 28 anos, Mailson Jesus, de 25 e Igor Rondom, de 25 anos foram juntos pela primeira vez a casa noturna, e gostaram. “O preço é o padrão e fila vai ter, é só chegar cedo como recomendam”, diz Mailson.

A universitária Fernanda de Souza, de 21 anos, é de Dourados, e veio a capital passar o fim de semana, e claro, resolveu conhecer a Wood’s, mas a reclamação da estudante foi logo com o acesso. Ela é cadeirante e o elevador não funcionou, assim como na inauguração. A solução para a casa foi entrar pela rampa dos carros, de acesso ao estacionamento. “Fiquei nervosa e com raiva por passar por isso”, desabafa e aponta outro problema: “Para ter acesso ao camarote também não tem elevador”.

A assessoria respondeu que a chuva certamente foi um dos motivos que fez o elevador parar de funcionar, e que irá providenciar o conserto.

Mesas custam de R$ 250 a R$ 600,00 e ficam nos dois pisos da casa (Foto: Cleber Gellio)Mesas custam de R$ 250 a R$ 600,00 e ficam nos dois pisos da casa (Foto: Cleber Gellio)



Fui na casa no 3º dia de funcionamento, sábado, e fiquei na fila meia hora no máximo, realmente no início como tem que fazer cadastro vai demorar um pouco, normal, tem que ter tolerância no começo dessa empreitada... uma torneira do banheiro tbem já tava quebrada, mas nda que desabone a casa...minha única reclamação é sobre a saída, fiquei UMA hora na fila pra pagar, uma demora sem explicação, fora os mal educados furando a fila...no mais, tem muito caixa pra atender, acredito que com o tempo as coisas vão andar, parabéns pra CG, mais uma opção legal na noite...obs: assim como em outras casas do país, vale de tempos em tempos trazer uma atração de um gênero musical diferente, rock, funk, samba, sei lá, sempre sertanejo dá uma enjoada #ficaadica
 
Juliano Santana em 24/12/2013 11:54:21
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.