A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

23/11/2015 06:34

Após polêmica, 11 fotos mostram que amamentar não é coisa de pobre, e sim de mãe

Paula Maciulevicius
Yasmin de Souza e Frederico abrem o ensaio de Guilherme Calazans.Yasmin de Souza e Frederico abrem o ensaio de Guilherme Calazans.

Depois de um post polêmico circular pelo Facebook, onde uma estudante dizia que amamentar era "coisa de pobre", um fotógrafo de Campo Grande se propôs a registrar o momento. Reuniu 12 mães num ensaio na região da Praça Itanhangá para mostrar que amamentar é coisa de mãe e ponto. 

Veja Mais
Para fazer o mundo sorrir, grupo sai às ruas doando bons sentimentos
Clínica realiza palestras para sanar dúvidas sobre infertilidade conjugal

A campanha leva o nome #AmamentarÉcoisaDeMae e foi criada por Guilherme Calazans, de 23 anos e a namorada, Daniela Andreani. Ela, estudante de Nutrição, entende a importância do leite materno além do laço entre mãe e bebê. Foi um domingo todo de fotos com mães novas, entre 20 e 30 anos, que carregam a bandeira da amamentação. 

Depois das fotos, elas foram convidadas a responderem três perguntas: Porque a amamentação é importante para você? De que forma ela influencia na sua relação com seu bebê? O que você gostaria que seu filho soubesse quando ele (a) estiver com 30 anos? Abaixo você confere algumas das respostas:

"A amamentação faz com que eu me sinta única e insubstituível pro meu filho, como se ninguém no mundo pudesse oferecer a ele o que eu ofereço e isso com certeza vale a pena. Amamentar é o momento em que eu e o Frederico entramos em intensa sintonia, pra mim é a forma líquida e aconchegante de dizer "Eu te amo". Queria que ele soubesse que ele foi a minha motivação de superar tudo o que eu superei e que a minha vida só começou a fazer sentido depois que ele nasceu e me tornou mãe e humana de verdade". Yasmin de Souza, 20 anos, estudante, mãe de Frederico, de 3 meses.

Luana Moraes, mãe de Arthur, 2 meses. (Foto: Guilherme Calazans)Luana Moraes, mãe de Arthur, 2 meses. (Foto: Guilherme Calazans)

"Amamentar para mim no começo foi bem difícil, mas sempre soube que o melhor para o meu bebe era e é o leite materno. Influencia muito porque esse é o ‘’nosso momento’’, no seio não é apenas o leite que nutre, é também o calor, o aconchego, o cheiro da mãe, o contato com a pele, o acolhimento e isso fortalece cada dia mais a relação mãe e filho. Gostaria que ele soubesse que ele foi meu maior ensinamento, 21 anos foram deixados pra trás, e eu renasci quando ele nasceu, e não importa nada, eu sempre vou estar aqui." Luana Moraes, 21 anos, estudante, mãe de Arthur, de 2 meses.

Fabiane Araújo, mãe de Bianka, de 2 meses. (Foto: Guilherme Calazans)Fabiane Araújo, mãe de Bianka, de 2 meses. (Foto: Guilherme Calazans)

"É muito importante para o bebê tanto na imunidade quanto para o crescimento, eu tive bastante dificuldade pra amamentar minha filha, tive muita dor e machucou meu peito, mas não desisti fui tentando até sarar, sei que isso é muito importante pra minha filha é saúde dela. É uma forma de intimidade, afeto, carinho entre a mãe e filho, uma dádiva da uma mulher. Tantas que gostariam poder amamentar seu filho e infelizmente não podem por não ter leite ou alguma patologia. O que gostaria que ele soubesse? O grande amor que sinto e que verdadeiramente tive uma mudança enorme quando Deus colocou essa bênção na minha vida, tem só dois meses e já sinto algo que nunca senti por alguém. Imagina até ela ter trinta anos quantas emoções e amores terei com minha pequena, que será uma linda mulher". Fabiane Araújo, 27 anos, cabeleireira, mãe de Bianka, de 2 meses.

Carol Ferreira, mãe de Bernardo, de 3 meses. (Foto: Guilherme Calazans)Carol Ferreira, mãe de Bernardo, de 3 meses. (Foto: Guilherme Calazans)

"Para mim é o começo de uma vida saudável para o bebê. Um bebê que é amamentado no peito tem menos chance de ter doenças. A amamentação influencia gerando um elo entre a mãe e filho de tal forma que o bebê reconhece a mãe através do cheiro, proporcionando conforto e segurança para a criança. Gostaria que ele soubesse que sem Deus ele nada seria. E saiba valorizar as pessoas independente de quem seja". Carol Ferreira, de 22 anos, do lar, mãe de Bernardo de 3 meses.

Julia Butinhol, mãe de João Guilherme, de 6 meses.(Foto: Guilherme Calazans)Julia Butinhol, mãe de João Guilherme, de 6 meses.(Foto: Guilherme Calazans)

"A amamentação é importante porque para mim, o que mais prezo e procuro é a saúde do meu filho, e eu sei, assim como todos, que meu leite é onde tem mais anticorpos para ele se proteger de tudo de ruim que há, e que o organismo dele sozinho não consegue combater. Ou seja, eu sou a causadora de toda a sua saúde e consequentemente sua alegria, graças ao meu amor líquido. Ah, eu mal consigo expressar. Ele sempre olha no meu olho, sempre me toca e ao mesmo tempo pega no pezinho, e se digo eu te amo ele abre um sorriso, e enquanto eu digito isso, o imagino fazendo e me emociono, não sei como te explicar melhor, é um momento tão nosso, tão único, gostaria que fosse eterno, mas como sei que não é, aproveito cada instante! Eu queria que ele soubesse que ele pode ser uma pessoa melhor se ele souber usar todo o amor que eu dei e ensinei." Julia Butinhol, de 21 anos, mãe como profissão e mãe de João Guilherme, de 7 meses.

Fabiana Felix, mãe de Arthur, de 1 mês. (Foto: Guilherme Calazans)Fabiana Felix, mãe de Arthur, de 1 mês. (Foto: Guilherme Calazans)

"Havendo perfeitas condições para a amamentação, me sinto realizada em ter o poder de alimentar meu filho com leite materno, tendo em vista todos os nutrientes que necessita para se desenvolver saudavelmente, além de todo amor depositado no ato de amamentar! A relação mãe e filho é muito intenso desde o ventre, há uma completa ligação que se rompe ao nascimento, que se trata de uma grande mudança de rotina para o bebê. A amamentação é o vínculo mais forte após o nascimento, além da função de alimentar da forma mais completa, gera segurança para o bebê, a mãe é primeira pessoa mais importante na vida de qualquer ser. O amor e a sintonia entre mãe e filho se tornam muito mais intenso através do ato de amamentar! Crie essa sintonia com seu filho... um elo eterno e um amor incondicional! Gostaria que ele soubesse que um dia ele deixará de ser meu, mas eu, jamais deixarei de ser dele!" Fabiana Felix, de 27 anos, administradora, mãe de Arthur, de 1 mês. 

Luane Moraes, mãe de Lívia, de 2 meses. (Foto: Guilherme Calazans)Luane Moraes, mãe de Lívia, de 2 meses. (Foto: Guilherme Calazans)

"Confesso que o começo não foi fácil, os seios racharam, ficaram doloridos e até sagraram, e mesmo ali chorando de dor a cada mamada, consegui amamentar minha filha desde o primeiro dia no hospital. Através do meu leite ela tem todos os nutrientes e anticorpos necessários para crescer linda e saudável. Na hora de amamentar, ficamos ali só eu e ela, trocando olhares, carinhos, sorrisos, declarações de amor e conversas (com muitos “anguis” e outros barulhinhos fofos). Se Deus permitir irei sim amamentar a minha filha até a idade que ela quiser. Quando ela já estiver entendendo a vida e o mundo, irei conversar com ela sobre a importância do aleitamento materno na vida de uma criança, e sim irei incentiva-la a amamentar quando ela estiver formando a família dela." Luane Moraes, 23 anos, jornalista, mãe de Lívia de 2 meses.

Jessica Avner, mãe de Vinícius, de 8 meses. (Foto: Guilherme Calazans)Jessica Avner, mãe de Vinícius, de 8 meses. (Foto: Guilherme Calazans)

"Para mim a amamentação além de importante é fundamental para o desenvolvimento e saúde física e psicológica do bebê. Física porque o bebê recebe sua porção de nutrientes necessários no dia, além de ingerir anticorpos da mãe que fortalece ainda mais sua imunidade evitando doenças respiratórias entre outras! Psicológica, porque ele sente segurança e proteção no momento da amamentação! Influencia e muito para mim como mãe, em saber o quanto eu sou capaz de nutrir meu filho com o leite que meu corpo produz, sempre digo que é o nosso momento, o momento em que matamos nossa saudade, trocamos carinho, trocamos os olhares mais puro e sincero que eu já vi na vida, eu amo de coração amamentar e ele ama de paixão o ‘’tetezinho’’rsrsrs. Gostaria que ele soubesse que passei muitas noites acordada com ele, e que eu defendi os direitos dele com unhas e dentes e faria tudo de novo." Jessica Avner, de 22 anos, atendente de call center e mãe de Vinícius, de 8 meses.

Jaqueline Dorea, mãe de Nathalia, de 1 ano e 3 meses. (Foto: Guilherme Calazans)Jaqueline Dorea, mãe de Nathalia, de 1 ano e 3 meses. (Foto: Guilherme Calazans)

"A amamentação é importante para o desenvolvimento da criança inclusive para a saúde do bebê, o leite materno é o alimento fundamental para uma criança até seus seis meses de vida e se torna complemento até os dois anos, que é uma idade até o qual a amamentação é colocada como o fator principal na vida dos bebês. O mais gostoso da amamentação é quando acontece o olho no olho entre a mãe e o bebê isso é de apaixonar. Momento de mãe e filha (o), a amamentação é onde ocorre o amor, o carinho, o afeto da mamãe com o bebê. Queria que ela soubesse que com todos os meus defeitos, eu fiz de tudo para ver ela feliz e ser uma boa mãe pra ela." Jaqueline Dorea, de 21 anos, autônoma e mãe de Nathalia, de 1 ano e 3 meses.

Carolina Valadão, mãe de Alice, de 1 ano e 8 meses. (Foto: Guilherme Calazans)Carolina Valadão, mãe de Alice, de 1 ano e 8 meses. (Foto: Guilherme Calazans)

"A amamentação influencia no meu contato com minha filha que é maravilhoso, e ter o sentimento de que isso somente eu posso fazer por ela, e ela sabe disso! É um momento só nosso, eu sou só dela e ela é só minha! Às vezes ela canta para mim enquanto mama, toca o seio, olha no olho, faz charminho piscando para mim, fica ali mamando e puxando minha corrente! É um amor maravilhoso de sentir! Amamentar faz muito bem para mãe e para o bebê! Pode ser difícil no começo, mas vale muito a pena insistir! Alice tem 1 ano e 8 meses e ama mamar no peito, eu amo amamentá-la e afirmo categoricamente que minha filha será uma grande mulher, segura de si e amorosa, não somente pelos valores ensinados a ela na concepção do nosso lar, mas também por ser amamentada com todo amor! Quando crescer, ela vai saber que foi amamentada com amor, tratada com respeito e dignidade! E que por mais difícil que seja, muitas vezes ser mãe dela me proporcionou descobrir o melhor de mim!" Carolina Valadão, de 30 anos, funcionária pública, mãe de Alice, de 1 ano e 8 meses.

Ariane Oliveira, mãe de Arthur, de 2 meses. (Foto: Guilherme Calazans)Ariane Oliveira, mãe de Arthur, de 2 meses. (Foto: Guilherme Calazans)

"Amamentação é importante porque nela contém o alimento que melhor se adéqua às necessidades nutricionais e às capacidades digestivas do meu bebê. Ela influencia em tudo tanto para aproximação e segurança que passamos a ele, e ajuda a desenvolver o emocional do bebê, resumindo o bebê necessita deste alimento nos seus primeiros anos de sua vida. Eu amo dar mama para meu bebê, me sinto mais perto dele!!!

Quero que eles saibam que foram uma bênção em minha vida, não poderia ter filhos mais lindos, quero que eles saibam que a mamãe os ama mais que tudo neste mundo, que vieram para preencher o vazio que faltava em mim e que possa passar a idade que for sempre estarei aqui de braços abertos e pronta pra dar um colinho de mamãe". Ariane Oliveira, de 24 anos, vendedora e mãe de Arthur de 2 meses e Vítor Adriano de 7 anos.

Curta o Lado B no Facebook.




Carolina Valadão, a mais bela das mães, e olha que foi difícil decidir hein!
 
CansadoDeFalsidade em 23/11/2015 11:09:29
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.