A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

26/01/2016 06:23

Boxe ou muay thai: o que mais compensa para quem vai à "luta" contra o peso ?

Adriano Fernandes
Seja no boxe ou muay thai, a realidade é que em busca do corpo sarado, tem gente indo literalmente à luta. (Foto: Alan Nantes) Seja no boxe ou muay thai, a realidade é que em busca do corpo sarado, tem gente indo literalmente à luta. (Foto: Alan Nantes)

Na busca pelo corpo perfeito, o boxe e o muay thai se tornaram aliados poderosos de quem decidiu, literalmente, ir á luta para emagrecer. O Lado B procurou espaços e conversou com profissionais de Educação Física para descobrir quais das atividades mais valem a pena, para quem quer ficar em dia com a balança.

Veja Mais
Clínica realiza palestras para sanar dúvidas sobre infertilidade conjugal
Peregrinos não precisam ir tão longe, nosso "Caminho de Santiago" fica a 60km

A conclusão é que, na prática, a queima de calorias é quase a mesma nas duas modalidades e o público feminino, cresce a cada dia. Em Campo Grande, têm academias com opções de horários da manhã até a noite e para todos os bolsos e idades.

Na academia Aton Fight, por exemplo, as opções de horários para as aulas de muay thai, vão das 6h da manhã até 20h, para alunos de 5 até 68 anos de idade. E a rotina de treinos é intensa, explica o professor Alex Lescano. Antes de cada treino, o aquecimento é a base de exercícios aeróbicos e alongamentos, dentre abdominais e flexões. As aulas duram no máximo 1h20 e a quantidade por semana, varia de acordo com o aluno.

No boxe, o foco são os movimentos dos braços e tronco. (Foto: Alan Nantes)No boxe, o foco são os movimentos dos braços e tronco. (Foto: Alan Nantes)

“Depende da necessidade e disponibilidade de tempo de cada um, mas o ideal são no máximo 3 dias por semana, alternadamente”, ele conta. Alex ainda explica que o foco da maioria dos alunos é a perda de peso e evolução e o grau de dificuldade dos treinos, também varia de acordo com o condicionamento da pessoa.

“Até mesmo o contato físico, de um aluno com o outro, tem de ser avaliado de acordo com o andamento das aulas. Sempre havendo supervisão, para não exceder os limites do corpo de cada um”, comenta.

Mais da metade dos 20 alunos das turmas do professor Glauber Kadimiel, na academia HD Fitness é de mulheres. As aulas são sempre às segundas-feiras, quartas e sextas, com rotina pesada já a partir da segunda semana de aula.

“Por pelo menos uma semana, os treinos se baseiam basicamente em polichinelos, corridas curtas, golpes circulares, como uma espécie de aquecimento. Na semana seguinte já começam as primeiras simulações de lutas”, ele diz. O valor da mensalidade é de R$ 60,00 mensais.

Em Campo Grande, academias com opções de lutas são facilmente encontradas pela internet e os valores variam de acordo com o local. O muay thai ainda é mais popular com valores de até R$ 130,00 por mês.

É o caso da academia Corpo Livre, no Jardim dos Estados que por este valor o aluno tem direito às aulas de muay thai duas vezes por semana, incluso musculação. Por R$ 90,00 o aluno pode ter até três aulas por semana, incluindo musculação na academia Mov Corpus, no bairro Coronel Antonino.

No muay thai, há maior uso dos pés, joelhos, cotovelos e punhos nos movimentos de defesa e ataque. (Foto: Alan Nantes)No muay thai, há maior uso dos pés, joelhos, cotovelos e punhos nos movimentos de defesa e ataque. (Foto: Alan Nantes)

Quanto ao muay thai, o aluno pode encontrar opções de aulas para iniciantes e até em nível de competição. Na Chute Boxe Fenix, que fica na Eduardo Eliaz Zahran, pagando R$ 90,00 o aluno pode ter cinco aulas da modalidade.

Na Master Sports no Monte Castelo, custa R$ 80,00 a mensalidade com três aulas de boxe por semana. No mesmo bairro também fica a Boss Fitness, onde por R$ 95,00 o aluno tem até quatro aulas por semana de boxe ou muay thai.

Mas para quem não quer só perder peso e também se profissionalizar, a Academia 1º Round tem as opções de aula executiva e competitiva. Quem explica as diferenças de cada modalidade é professor Sebastião Aparecido Ribeiro, o “Tião”.

“Na executiva não há contato físico entre os alunos, apenas com aparador ou saco de pancada. Trabalha a flexibilidade, o reflexo, garante a perda de calorias e tonifica o corpo. Na competitiva os treinos são mais pesados, voltados para quem quer competir”, explica.

Nos três primeiros meses as aulas custam R$ 120,00 três vezes por semana. “60 % dos meus alunos são mulheres”, confirma Tião.

Vale a pena? – O doutor e professor universitário Brunno Elias Ferreira, que também é personal trainner e conselheiro do Conselho Regional de Educação Física, explica que se levado em consideração a quantidade em perda de calorias, as duas modalidades são semelhantes. Mas tudo depende da intensidade dos treinos.

“No entanto, o muay thai garante mais definição muscular por todo o corpo, do que o boxe, que trabalha mais os movimentos dos braços”, conta. Brunno ainda esclarece que a perda de calorias por treino é bem menor do que diz a maiorias dos treinadores.

A pedido do Lado B, Brunno fez um calculo metabólico de quanto uma mulher, na faixa dos 25 anos, pesando entre 50 e 60 quilos, pode perder nas modalidades.

Mulher pesando 60 quilos - muay thai – treinos de 40 minutos até uma hora: entre 250 e 300 gramas;
Mulher pesando 50 quilos - muay thai – treinos de 40 minutos até uma hora: entre 200 e 250 gramas;
Mulher pesando 60 quilos - boxe – treinos de 40 minutos até uma hora: entre 240 e 360 gramas;
Mulher pesando 50 quilos – boxe – treinos de 40 minutos até uma hora: entre 200 e 300 gramas;

“Esses valores podem parecer pequenos, mas são números normais. Lembrando que com uma orientação correta, esses valores variam de acordo com a intensidade dos treinos”, conclui.

Curta a página do Lado B no Facebook. 




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.