A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

03/12/2014 06:45

Dividido em estações, treino funcional bota gente para se exercitar em parques

Paula Maciulevicius
A experiência é recente e focada em quem quer emagrecer, ganhar resistência física e definição muscular. (Foto: Alcides Neto)A experiência é recente e focada em quem quer emagrecer, ganhar resistência física e definição muscular. (Foto: Alcides Neto)

Sem aparelhos, sem peso e nem trancafiado entre quatro paredes. É essa a proposta de um treino funcional ao ar livre, no qual os exercícios são feitos através do próprio peso do corpo para trabalhar agilidade, coordenação e resistência. Formados em Educação Física, Richard Marques e Andrey Borges saíram das academias para dar treino funcional em praças e parques. A experiência é recente e focada em quem quer emagrecer, ganhar resistência física e definição muscular.

Veja Mais
Para fazer o mundo sorrir, grupo sai às ruas doando bons sentimentos
Clínica realiza palestras para sanar dúvidas sobre infertilidade conjugal

Juntos, os dois criaram a R&A Coaching - Treinamento Funcional e fazem de "estúdio" onde os praticantes se sentem melhor, mas sempre em espaços abertos. A diferença deste treino para o tradicional, de uma academia, Richard explica que está em trabalhar o corpo todo em um única sessão.

"A musculação trabalha de forma segmentada. O treino gera muito gasto calórico e acaba trabalhando o corpo por completo, com exercícios mais dinâmicos", descreve.

As atividades são divididas em circuitos e estações. (Foto: Alcides Neto)As atividades são divididas em circuitos e estações. (Foto: Alcides Neto)
Para não deixar a rotina tão monótona. (Foto: Alcides Neto)Para não deixar a rotina tão monótona. (Foto: Alcides Neto)

As atividades são divididas em circuitos e estações, o que não deixa a rotina de exercícios tão monótona. "A gente monta estações, coloca geralmente dois exercícios. Por exemplo, 40 segundos de agachamento. Deu esse tempo, o próximo é um tiro de corrida, indo e voltando", explica Richard.

São de quatro a cinco exercícios que encerram uma série. No intervalo, o aluno que passou por todas descansa, toma uma água e volta para fazer abdominais.

Os educadores físicos explicam que esse método surge como uma alternativa eficaz para agregar maior funcionalidade ao dia-a-dia de seu praticante. Os resultados, segundo a dupla são inúmeros justamente por focar o desenvolvimento dos movimentos de forma global e não segmentada.

As aulas podem ser feitas de duas até cinco vezes na semana. (Foto: Alcides Neto)As aulas podem ser feitas de duas até cinco vezes na semana. (Foto: Alcides Neto)

"Então aqui os participantes conseguem uma atividade com um potencial de gasto calórico muito alto, para quem quer emagrecer, conseguem uma maior resistência e definição muscular, melhoram a flexibilidades e conseguem realizar atividades básicas e diárias com muito mais qualidade", resume Richard.

As aulas podem ser feitas de duas até cinco vezes na semana, com valores que variam de R$ 170 até R$ 205, dependendo do pacote acertado. Por enquanto o grupo está treinando no Belmar Fidalgo e na Orla Morena, mas é possível adequar as aulas em casa, desde que se tenha um número mínimo de duas pessoas.

"Não temos uma turma específica só de idosos ou para quem está acima do peso, são turmas miscigenadas", comenta Richard. Para participar, os interessados podem acompanhar os lugares de aula ou entrar em contato com a dupla pelo Facebook.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.