A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

30/03/2015 06:37

Em 7 dias, projeto ajuda a seguir qualquer meta: de dizer eu te amo a emagrecer

Aline Araújo
ete é um marco, você pode se desafiar a 7 horas, 7 dias, 7 meses ou até anos. (Foto: Alcides Neto)ete é um marco, você pode se desafiar a 7 horas, 7 dias, 7 meses ou até anos. (Foto: Alcides Neto)

Tem algo que você deseja muito fazer, mas se sente desmotivado? Algo que você queira muito alcançar para o seu bem estar. Emagrecer, ganhar massa magra, parar de fumar, reclamar menos, ver mais os amigos, expressar melhor o que sente, praticar um esporte. Qualquer coisa que te faça se sentir mais feliz.

Veja Mais
Para fazer o mundo sorrir, grupo sai às ruas doando bons sentimentos
Clínica realiza palestras para sanar dúvidas sobre infertilidade conjugal

O projeto Inset7, criado em Campo Grande, vem justamente para mostrar que quando o assunto é mudar e melhorar você não está sozinho. Há quatro anos Wilton Rojas, de 25 anos, mudou para Campo Grande para fazer faculdade, é o destino quase certo de quem almeja um curso que não tem no interior. Com o sonho de estudar Jornalismo ele mudou de Corumbá para Capital. Com a nova rotina, acabou se afastando um pouco da família, já que só ia visitá-los no final do ano.

Meta de Wilton é de ligar para a família durante 7 dias seguidos. (Foto: Alcides Neto)Meta de Wilton é de ligar para a família durante 7 dias seguidos. (Foto: Alcides Neto)

“Acabei me desprendendo um pouco dos laços familiares. E me coloquei como objetivo no inset7 quebrar essa barreira da distância e demonstrar o que eu sinto pela minha família”, conta. Pode parecer pouco para muita gente, mas uma palavra pode fazer toda a diferença no dia de alguém. Que tal dizer mais “eu te amo” para a sua família? Esse foi o propósito feio pelo estudante. Para estreitar os laços com a família, ele decidiu que durante uma semana ia ligar todos os dias para demonstrar seu sentimento.

“Resolvi entrar no desafio de ligar durante sete dias para a minha mãe dizer para ela o quanto eu a amo. Pra muita gente isso não tem muita importância, Mas para mim, que levo uma vida corrida de estudo e trabalho, isso acaba fortalecendo os laços familiares. Pois quando não é a minha mãe que atende é o meu pai, ou os meus irmãos, então de um tô ligando para dizer que “amo vocês” e que “estou com saudades”, acaba gerando um “como você está?” e em sequência um diálogo muito produtivo de quem estava se sentindo sozinho”, relata.

O gesto é simples, mas carregado de significado. Essa é a ideia do inset7, fazer com que as pessoas se proponham desafios que façam a diferença na vida delas. E mostrar que ninguém está sozinho na busca de um objetivo. Sete é um marco, você pode se desafiar a 7 horas, 7 dias, 7 meses ou até anos.

Por meio de um fórum no site, uma rede é feita para que as pessoas compartilhem desafios e experiências e encontrem não só apoio mais inspiração na história das outras. A ideia partiu do micro-empresário Juliano Maggio, de 24 anos.

Desde criança juliano sempre foi muito magro, como sempre gostou e praticou esportes ganhar massa muscular sempre foi uma desafio, para quem tem o metabolismo tão acelerado, a marca de 55 kg foi o máximo que conseguiu pesar durante toda a vida.

Fumante desde os 15 anos de idade, avô tenta ficar 7 horas do dia sem o vício. (Foto: Alcides Neto)Fumante desde os 15 anos de idade, avô tenta ficar 7 horas do dia sem o vício. (Foto: Alcides Neto)

Um dia ele resolveu mudar, trabalhar para aumentar a sua massa corporal, com academia, nutrição e suplementação. Quando a ideia surgiu, pensou em fazer algo para se motivar. Então resolveu se propor um desafio, tentar chegar aos 70 quilos em sete meses.

“A nutricionista falou que era possível, só eu trabalhar para ganhar um quilo por semana. Foi quando eu pensei que outras pessoas podiam querer conquistar algo também e assim todo mundo se motiva”, conta o rapaz que sempre gostou de dar nome aos seus projetos. E assim ele começou a contagiar as pessoas com a ideia em casa, depois levou para os amigos.

Perguntou para a avó, Marilene dos Santos, de 65, que é fumante desde os 15 anos de idade se ela toparia ficar 7 horas do dia sem o vício. Ela topou. “O médico já disse que tenho que parar, e eu quero, mas é muito difícil, me ataca os nervos. Mas aos poucos eu vou conseguir, ainda mais agora que estou saindo mais, conhecendo as pessoas. Quando o Juliano me contou eu quis participar”, conta Marilene, sempre sorridente.

Ficou, um, dois, três dias de abstinência durante 7 horas seguidas. Foi quando Juliano sugeriu: “Vó quando a senhora se sentir a vontade e quiser tentar sete dias”. Ela foi firme, dos sete dias foi até o terceiro mês, depois sentiu o cheiro do cigarro do cunhado e não resistiu. Mas garante que não vai desistir. Essa semana começou a ficar às 7 horas de abstinência por dia, um começo, para quem carrega o vício por tanto tempo.

“Não existem regras. Apenas sugeri o projeto com atitudes que proporcionem o bem estar as pessoas. O dessa semana por exemplo, é ficar sete horas do dia sem reclamar”, conta Juliano. Feito em uma plataforma digital as pessoas podem dividir os seus desafios além de participar de um sugerido pelo site. Apesar de estar no começo, o projeto já tem mensagens de motivação e esta com o fórum aberto para quem quiser trocar experiências.

Nanks pelos amigos resolveu aceitar o desafio de ficar sem reclamar durante um semana. (Foto: Alcides Neto)Nanks pelos amigos resolveu aceitar o desafio de ficar sem reclamar durante um semana. (Foto: Alcides Neto)

A publicitária Nankele Graviesz, de 28 anos, chamada carinhosamente de Nanks pelos amigos resolveu aceitar o desafio de ficar sem reclamar durante um semana. Ainda no segundo dia, ela garante que não tem sido nada fácil. “É um jeito de testar a minha paciência, porque eu sou bem estourada e qualquer coisinha me tira do sério. Então agora eu penso antes e respiro bem fundo para não falar nada quando algo me irrita”, conta.

Ela encontrou no desafio uma atividade para refletir e tentar levar para até depois que acabar o desafio. “Eu fico me policiando, e espero que isso possa melhorar a minha vida. A gente começa a dar mais valor às coisas e não se incomodar com o que não tem tanta importância” conta.

E você? Que tal sorrir mais? Dar mais bom dia para o vizinho? Ou ir correr todas as manhãs? O que você pode fazer para ser mais feliz? 




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.