A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

23/11/2015 06:45

Juntas, elas venceram o mau humor ao tirar o açúcar da rotina e perderam 105 kg

Paula Maciulevicius
As integrantes do grupo de WhatsApp Magrinhas 2015 estiveram na luta contra a balança por 2 meses. (Fotos: Paula Maciulevicius)As integrantes do grupo de WhatsApp "Magrinhas 2015" estiveram na luta contra a balança por 2 meses. (Fotos: Paula Maciulevicius)

Juntas, 35 mulheres perderam 105 quilos em dois meses. As integrantes do grupo de WhatsApp "Magrinhas 2015", tiraram o açúcar sem perder o bom humor do dia a dia. O resultado se vê na balança e no sorriso de cada uma delas. Nesse sábado a "disputa" terminou com premiação às três primeiras colocadas, que perderam de 7 a 8 quilos, na academia Praktika, no bairro Monte Líbano, em Campo Grande.

Veja Mais
Para fazer o mundo sorrir, grupo sai às ruas doando bons sentimentos
Clínica realiza palestras para sanar dúvidas sobre infertilidade conjugal

Keila comemora ter saído de 106 para 98 quilos. Administradora, ela assume que nunca foi de fazer academia e que começou a se exercitar há três meses, quando descobriu o treino funcional. Ela entrou no grupo por indicação do irmão, que sabia da luta dela com a balança.

Nestes dois meses de grupo, foram idas e vindas. Ela saía, mas acabava voltando, depois de levar puxão de orelha da personal trainer que acompanhava as meninas. "Aí que você vê a importância de perder peso e a questão de se alimentar bem. Tirei o açúcar, o refrigerante e o arroz branco", descreve Keila Ribeiro Santana, de 33 anos. O doce foi o mais complicado e hoje, ela admite que não faz mais "tanta" falta.

Keila foi uma das premiadas depois de perder 8kg e tirar o açúcar sem perder o bom humor. Keila foi uma das premiadas depois de perder 8kg e tirar o açúcar sem perder o bom humor.

A rotina de exercícios é de três vezes na semana, mas o que contribuiu foram as seis refeições diárias, que incluíam iogurte integral nos lanchinhos. Dessa vez ela não ficou mal humorada sem o açúcar. "Coloquei na minha cabeça que não ia comer nada que continha açúcar. E era todo dia, terminava de almoçar e saía caçando doce", brinca. Na alimentação só entram frutas.

"Eu fui me habituando, mas nos primeiros dias, eu tinha vontade de esganar alguém. Você surta, mas tem que trabalhar a cabeça", explica,

Corretora de imóveis, Angelina Parron, de 33 anos, perdeu 8 quilos em dois meses. Na balança ela saiu de 63,9 para 55,8. "Coloca as minhas gramas também, faço questão", brinca. Ela entrou no programa depois da segunda gravidez. O bebê hoje está com 6 meses e a prioridade é continuar amamentando, mas perder os 16 quilos que ganhou na gestação. Parte deles já tinham ido logo no primeiro mês.

"Na minha primeira gravidez eu perdi tudo em um mês. Dessa vez, foi mais devagar", diz. A comparação que a fez querer entrar no grupo. De cara, cortou doces, frituras, refrigerante e substituiu o que pode por integral, além de comer de três em três horas.

Angelina também perdeu 8kg depois da segunda gravidez. Angelina também perdeu 8kg depois da segunda gravidez.

"Eu tinha que manter uma boa alimentação, porque não abro mão de amamentar. Então comia mais vezes, mas em menor quantidade", relata. O que ela queria era servir de exemplo, de que as mães conseguem se exercitar, mesmo com os filhos ainda dependentes. "Tenho dois pequenos e consigo".

Angelina malha três vezes na semana, musculação na academia mesmo. No restante dos dias, alterna com a natação dos filhos. Por eles serem pequenininhos, ela quem entra na água e acaba se exercitando também. Sobre o mau humor vindo da falta de doce, ela diz que não sentiu. Mas sabia do 'risco' que corria, como consequência de tirar o açúcar.

"Eu sou muito consciente do que eu queria, que era ser magra, ter dois filhos e ser magra. Nos quatro primeiros dias de dieta, tive dor de cabeça, pela falta de açúcar eu acho", descreve. Mas o doce é um vício e em relação a ele, Angelina foi radical. "Depois passou e a cada 100g eu vibrava", comemora.

Ao mesmo tempo em que é personal trainer, Marta Delmondes, de 32 anos, também se fazia de psicóloga, para segurar a mulherada no grupo. "Cada dia é uma superação, o desafio era perder mais peso nesse tempo e foi difícil", diz.

Quando alguma das integrantes estava quase para cair em tentação, o grupo todo ajudava. "Não comer doce, tirar o refrigerante... Tem mulher que desiste, não consegue. O açúcar é um vício e infelizmente tem que tirar. Não é que ela nunca mais vai comer, vai sim, mas numa porcentagem menor", explica a personal.

No fim, Marta deixava claro que não fazia "milagres". "Eu só oriento, mas tem que começar a partir de você", resume.

Curta o Lado B no Facebook.

Ao mesmo tempo em que é personal trainer, Marta Delmondes, de 32 anos, também se fazia de psicóloga, para segurar a mulherada no grupo.Ao mesmo tempo em que é personal trainer, Marta Delmondes, de 32 anos, também se fazia de psicóloga, para segurar a mulherada no grupo.



tinha de ensinar a outra lá que escreve o "vai gordinha" pra ver se ela aprender :)
 
CansadoDeFalsidade em 23/11/2015 11:07:33
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.