A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

03/06/2014 07:00

O que houve com locadoras de games de Campo Grande? Mania tem tudo para voltar

Edson Godoy
O que houve com locadoras de games de Campo Grande? Mania tem tudo para voltar

Nas décadas de 80 e 90, locar jogos era algo cotidiano na vida de todo gamer. Quem naquela época não era frequentador assíduo da Video City e da The Best Games, ambas no bairro São Bento, ou da Game Center, na Rua Maracajú e ainda a Soft Games, no Santa Fé? Também não tem como não lembrar da Magic Mídia, no Shopping Marrakech, da Exclusiv Games, no bairro Coronel Antonino e da Power Games, na José Antônio.

Veja Mais
The Last of Us 2, novo Uncharted e tudo mais que rolou na PlayStation Experience
Last Guardian e Mario Maker no 3DS puxam lançamentos de dezembro

Jogos de Nintendinho, Mega Drive, Master System, Super Nintendo, Sega CD e tantos outros consoles daquela época eram encontrados aos montes nas prateleiras dessas lojas, sendo uma opção bastante viável e barata para o gamer se manter sempre atualizado com as novidades.

Mas o que aconteceu com essas locadoras que simplesmente desapareceram do mapa? A explicação para a derrocada é uma só: a pirataria.

Basta observar que a decadência total delas se deu na época do primeiro console da Sony, o Playstation, que foi o console mais pirateado da história no mundo todo.

Aqui em Campo Grande era fácil encontrar jogos pirateados de Playstation na faixa de R$ 10,00, disponíveis nos mais diversos pontos da cidade, desde a Feira Central, até em barracas no Centro da cidade.

Isso fez com que o interesse das pessoas pela locação caísse drasticamente, pois qual é mais vantajoso: pagar R$ 10 em um game que será seu para sempre ou R$ 10,00 em um game que será seu por apenas dois dias? Devemos ainda levar em consideração que os jogos originais praticamente não eram encontrados no Brasil, pois o primeiro Playstation nunca foi vendido oficialmente aqui. E quando eram trazidos por importadores independentes, os preços eram altíssimos.

É claro que a questão da legalidade não era levada em conta, muito em razão da rotina do brasileiro em sempre querer levar vantagem em tudo, a famosa “Lei de Gerson”. Isso também nos remete ao fato de que o brasileiro, cansado de sempre se dar mal (tem a maior carga tributária do planeta e um dos piores serviços públicos), tenta de alguma forma levar vantagem em alguma coisa. Mas isso já é assunto político... Vamos voltar aos games!

Mas aí o leitor ser pergunta: a pirataria não nasceu com o Playstation? Por que antes as locadoras conseguiam lucrar se já existiam jogos piratas? A resposta também é simples: o primeiro Playstation foi o console que consolidou o CD como mídia de jogos. Antes dele, a mídia número 1 para games era o cartucho, muito mais caro de produzir. Sem contar que a qualidade dos jogos piratas na época dos cartuchos era muito maior, com encartes que imitavam o original, algumas vezes até com manual de instruções, tudo para seduzir o consumidor àquela nova opção, por mais ilegal que fosse. Com o Playstation a ideia dos criminosos era produzir os jogos piratas com uma única preocupação: o preço baixo. Por isso os jogos era bem “toscos”, com encartes fotocopiados ou as vezes até sem encarte nenhum.

Com essa invasão da pirataria nessa época (entre os anos de 1995 até 2000, que foram dominados pelo console da Sony), as grandes locadoras de Campo Grande foram perdendo espaço, até chegarem à extinção, deixando uma grande geração de gamers literalmente órfãos, pois além da locação de games em si, esses locais eram verdadeiros pontos de encontro da galera que curtia videogames.

Mas nem tudo está perdido! A pirataria hoje é infinitamente menor que naquela época, principalmente pela bem sucedida política de combate à pirataria das atuais empresas do ramo. O melhor exemplo vem da Microsoft, que criou um sistema de banimento de seus serviços online para quem conectasse um console modificado em seu sistema. Isso inibiu muita gente a aderir aos jogos piratas, pois se o console fosse banido, nunca mais o gamer poderia jogar online com aquele aparelho.

Diante desse novo cenário, a locação volta a ser algo extremamente atrativo, pois hoje jogos que são lançamento no mercado saem na base de R$ 200,00 e a locação desse mesmo jogo não sai por mais do que R$ 15. A parceira da nossa coluna aqui no Lado B, a Retro Gamers, é um ótimo exemplo de loja que pretende reviver esses tempos de glória. Lá você encontra para locação jogos para todos os consoles da nova geração: Wii U, Xbox One e Playstation 4, ao preço de R$ 10,00 por 48 horas.

Para matar saudade dos bons tempos das locadoras de games, assista abaixo um vídeo com uma compilação de 100 bons jogos para o Nintendinho.

A coluna de games do Lado B é patrocinada pelo evento Arena Show de Bola Bosque dos Ipês, que acontecerá em Campo Grande, no Shopping Bosque dos Ipês, de 13 a 23 de junho.




As locadoras de games surgiram dentro das locadoras de vídeo, a partir do momento que as locadoras de video estão minguando na cidade por conta do bum do cinema e da tv a cabo, a tendencia é que as locadoras de games sumam junto, o que podemos esperar agora é que se abram locadoras de games independentes.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 03/06/2014 10:06:59
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.