A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

13/09/2012 22:46

A arte de fazer um Quebra Torto de levantar qualquer pantaneiro

Paula Maciulevicius
No lugar de frito, o ovo era mexido. Mas o gosto dava no mesmo. Quebra torto é o que não pode faltar na mesa pantaneira. (Fotos: Paula Maciulevicius)No lugar de frito, o ovo era mexido. Mas o gosto dava no mesmo. Quebra torto é o que não pode faltar na mesa pantaneira. (Fotos: Paula Maciulevicius)

Quebra Torto. Não tem outra resposta à pergunta que fiz durante estes dias, sobre o que mantém o homem pantaneiro de pé. É arroz carreteiro e ovo frito, no caso eram ovos mexidos e servidos pontualmente às 6h da manhã.

Veja Mais
Cavalgada em grande estilo dá trabalho, mas garante conforto até no Pantanal
Se o Pantanal fosse personificado, poderia ser "Beto Pantaneiro"

O sol mal tinha dado às caras, mas ele já estava lá. Era o centro das atenções na mesa de café-da-manhã. Feito com carinho e por quem conhece com propriedade de Pantanal. O quebra torto tem a assinatura de ‘seo’ Helinho e sua comitiva. Personagem famoso por dar de comer e, muito bem, aos pantaneiros.

Apesar de manter restaurante em Campo Grande há oito anos, onde tiver festa pantaneira, ‘seo’ Helinho puxa a comitiva e chega de panela e cuia. Sem fazer cerimônia pra seo ninguém, bem ao estilo pantaneiro, ele já deixou escrito numa placa no próprio restaurante: “Fechamos. Reabriremos tal dia. Estou estressado e fui pescar”.

Sempre de chapéu, ele é a simpatia em pessoa. A trajetória na cozinha é de muitos anos. “Comecei a queimar lata e fazer desde guri”, conta. Na época, Hélio Martins Lopes era mesmo o Helinho, tinha apenas 8 anos. Desde então já se passaram 44 anos de experiência à quem viveu o gosto e o sabor da terra.

À mesa: macarrão com carne seca e virado de feijão. A comida pantaneira fica ainda mais saborosa na pausa do cavalgar. À mesa: macarrão com carne seca e virado de feijão. A comida pantaneira fica ainda mais saborosa na pausa do cavalgar.

Nascido em Amambai, não sabe dizer se se criou no Pantanal ou se foi o Pantanal que o criou. “Eu tive comitiva por 12 anos. Minha clientela é o povo da pecuária, eu puxei boi a vida inteira”.

Durante a conversa, ele é interrompido para receber os parabéns pela comida. Merecido. O cardápio de toda 5ª Cavalgada no Pantanal estava à altura da Nhecolândia. Arroz carreteiro, macarrão com carne seca, bobó de galinha caipira, churrasco, carneiro e virado de feijão. Comida para satisfazer e que dá sustância para quem ainda tem quilômetros pela frente em cima do lombo do cavalo.

“Toda vida eu tinha o sonho de mexer com gastronomia”. Sonho realizado com todo gosto.

E receita? Será que é segredo de pantaneiro ou pode ser contada aos quatro ventos? Pode sim. Ele não faz mistério não. Ensina passo a passo como fazer a queima do alho ao estilo da Comitiva do Helinho. Mas desafio que fique tão suculenta e com gostinho pantaneiro como a do chefe de cozinha.

A culinária típica regional tem como especialidades do cozinheiro o porco, frango caipira, carne de panela de sol, costela, porco no tacho e macarrão com carne seca. “Ah, mas o principal é o carreteiro e o churrasco, né?”.

Depois de anos puxando comitiva, seo Helinho realizou o sonho de toda vida, trabalhar com gastronomia. A receita não é segredo não. Pantaneiro também passa lição de vida com os sabores. Depois de anos puxando comitiva, "seo" Helinho realizou o sonho de toda vida, trabalhar com gastronomia. A receita não é segredo não. Pantaneiro também passa lição de vida com os sabores.

A pergunta é retórica. Até porque quem ainda não está de boca cheia está

com água na boca. Para seguir a variedade de pratos e dar conta da quantidade para a cavalgada, era terminar um prato pra começar outro. Na cozinha tinha gente o tempo todo. Até chegar à mesa, vai tempo. A comida começa a ser feita 3h antes.

Papel e caneta na mão? Anote os ingredientes: carne de sol, arroz, alho e laranjas. O primeiro passo é fritar bem a carne.

“Frita bem frita, joga água e frita até ir dourando. É demorado, frita, pinga água, frita”, ensina.

Para o tempero, alho e de duas a três laranjas. “É bom para dourar, aí fica amarelinho”. Em seguida, coloque alho e frite junto da carne. Depois o arroz e frita tudo novamente.

“Para saber o ponto certo? Ai isso aí tem que ter o conhecimento”, brinca. “Depois de bem frito, coloca água. Tem que tampar o arroz até passar 3 centímetros”.

As instruções a seguir é deixar aflorar o lado pantaneiro. Pegue a guampa, cuia, erva-mate e água gelada. Tome um tereré e espere. A ordem é “deixa quieto para ir secando, depois dá uma virada nele, mas só quando tiver secando já. Eu só de olhar já sei se está cozido ou não”, explica. Isso, ele não sabe ensinar. Veio mesmo com a experiência. Ah sim, o sal é à gosto.

‘Seo’ Helinho recomenda que para cada 1kg de arroz seja feito 1kg de carne.

E já que estamos falando de comida típica, ele não se nega a ensinar o segundo prato: macarrão com carne seca. Os ingredientes são carne de sol e macarrão espaguete.

“É o mesmo procedimento. Frita a carne, como faz o carreteiro. Quebra o macarrão, mas quebra em cinco, que fica bom de fritar”. Quem ouve obedece, quem lê, toma nota.

“Vai fritando, não pode parar de mexer, até assentar na panela, não pode deixar o macarrão armado”, descreve. A quantidade de água agora é metade da de arroz e o segredo é deixar que o prato termine por si só.

“Põe em fogo brando e de vez em quando vira, não fica mexendo”.

Ele termina perguntando se está tudo anotado e que agora, vai servir para a repórter provar do quebra torto. “Mas às 6h da manhã?”. Quem mal é acostumado a tomar um pingado, pode até estranhar o quebra torto logo cedo.

Pantaneiro de vivência ele responde “a refeição fundamental é a da manhã. No Pantanal sempre tem comida cedo por causa da jornada do peão que é longa. Na fazenda, se não come cedo, não agüenta o dia. Prova”.

‘Seo’ Helinho estava certo. O segundo dia da cavalgada rendeu bem mais que o primeiro. O carreteiro deu sustância e junto dos outros pantaneiros, nem me pareceu estranho o quebra torto antes do sol nascer. O Pantanal também é vivido pelos sabores.

“Toda vida meu sonho era de mexer com gastronomia. Para mim isso aqui é higiene mental. Porque eu gosto, é onde eu fui criado, dá uma limpada na cabeça”.

E para quem não consegue ir ao Pantanal, pode provar do gosto da comida do "seo" Helinho aqui mesmo. O restaurante dele abre de segunda a segunda, tanto para o almoço, quanto para a janta, na rua Pedro Celestino, no bairro Monte Líbano. O risco é só do cliente chegar e se deparar com o anúncio de que por estar estressado, "seo" Helinho foi pescar.

“A refeição fundamental é a da manhã. No Pantanal sempre tem comida cedo por causa da jornada do peão que é longa. Na fazenda, se não come cedo, não agüenta o dia”. A fala é do seo Helinho. O boiadeiro da foto, certamente começou o dia no quebra torto“A refeição fundamental é a da manhã. No Pantanal sempre tem comida cedo por causa da jornada do peão que é longa. Na fazenda, se não come cedo, não agüenta o dia”. A fala é do "seo" Helinho. O boiadeiro da foto, certamente começou o dia no quebra torto



Dorei!. Preciso ir aí para provar e matar as saudades! Parabéns!
 
Dalva Augusta Loureiro Marinho em 18/05/2013 08:53:09
o seu Helinho não o conheço mas eu ja foi cozinheiro de comitiva quando ainda era garoto nos meus 14 anos junto com meu pai minha trajetória era Corumbá/MS Cáceres/MT e Poconé/MT ficava ate 30 dias com a comitiva era muito bom, sa que tenho muita saudade daquela época.
vou ai Helinho lembrar e comer um bom carreteiro.
tem mas segredo no carreteiro mas não conta não.
parabéns pela reportagem .
 
Luiz Augusto da Cruz em 15/09/2012 08:36:38
Parabéns Helinho!! A melhor comida panteneira!!
 
Bruno Flores em 15/09/2012 08:10:23
Parabéns pela matéria "Paulinha", que já é uma Grande Jornalista...
nós aqui do Pantanal agradeçemos sua divulgação...
Sucesso.
 
mauro almeida em 15/09/2012 06:33:19
Boa tarde. sou suspeita em falar.. ELE E O MELHOR PAI DO MUNDO
sua comida e maravilhosa..ele sabe conquistar a todos com sua simpatia...
nossa e perfeito.para quem quizer experimentar ..o funcionamento e de segunda a sexta almoco e janta e ao sabado é alagarte.. vcs vao adorar.um bj de sua esposa MARILENE e seus filhos Taina e fernando e de seu neto ou neta que chegara..logo e provara sua comida
 
taina elias lopes em 15/09/2012 05:11:27
Rua Pedro Celestino, 354, em frente ao Ki-frutas.
 
Carol Oliver em 14/09/2012 12:50:46
Excelente matéria. Mas onde fica o restaurante do seu Helinho?
Sou paulista e fiquei interessada por essas receitas, acho que não darei conta de fazer, como o seu Helinho.
 
maria silva em 14/09/2012 12:40:15
Mais uma vez, parabéns Paulinha! Suas matérias sempre deixa a gente com um gostinho de quero mais.
 
vera motta em 14/09/2012 12:24:21
CONHEÇO E SOU AMIGO DO HELIO DO TEMPO DE AQUIDAUANA, ONDE ELE TINHO RESTAURANTE, ALEM DE BOM COZINHEIRO, SEU DIFERENCIAL É QUE ELE GOSTA DO QUE FAZ, SUA COMIDA SEMPRE SABOROSA, ASSIM COMO PEIXES, CHURRASCO E ETC,..PARABENS PELA REPORTAGEM, FALTOU SOMENTE O ENDEREÇO DO RESTAURANTE, PARA AS PESSOAS QUE NÃO SABEM ONDE FICA. PARABENS HELINHO, VC MERECE...
THOMAZELLI
 
jose thomazelli em 14/09/2012 12:07:36
Parabéns pela reportagem. para quem quiser conhecer o restaurante, ele fica na rua Pedro Celestino, quase em frente o Ki frutas. Esse sim é o verdadeiro restaurante de comidas típicas da região do Pantanal.
 
Elcio Paes em 14/09/2012 11:46:49
A comida do "Helinho" é muito boa, já fui ao restaurante dele umas quatro vezes e pretendo voltar muias vezes. Quem não conhece está perdendo. A comida é pra lá de boa. Parabéns.
 
Simone Oliveira em 14/09/2012 11:34:29
PARABENS , PELA BELA REPORTAGEM E O SUCESSO DESSA GRASTONOMIA PANTANEIRA.
PERGUNTO AONDE FICA O RESTAURANTE AQUI EM CAMPO GRANDE?
 
JUVENIL CASAGRANDE em 14/09/2012 11:05:58
ai sim faço parte dessa turma na verdade hoje estou mas na cidade por causa da faculdade de engenharia, mas fui criado no pantanal da região de corumbá,ms, ai tem gente verdadeira que se pode falar que é amigo ai to em casa.
 
AMARAL ASSUNCAO em 14/09/2012 10:41:48
otima reportagem, o quebra torto no pantanal é exelente, faltou dizer onde é o restaurante do Seo Helinho, valeu campo grande news.
 
gabriel medeiros paiva em 14/09/2012 10:23:49
eu sei que tudo é muito bom!!

ainda bem que eu tenho um mestre cuca pantaneiro na familia,ele se chama joão de souza por muitos anos ele foi cozinheiro de comitiva do sr.Panta,entaun de vez em quando ele faz essa delicia que o arroz carreteiro,macarrão com carne seca é tudo se bom pra quem gosta,me parece que ele conhece seo helinho.
 
evanil farias gonçalves em 14/09/2012 10:22:19
ola meu amigo, que saudade dos tempo do leilao boa esperaça, o carreteiro era otimo,que bom ver vc novamente ,fique com DEUS , qu ele te ilumine sempre, um grande abraço de seus amigos julio cesar{deuzinho} andreia,andre luis,murilo,acendorzinho.
 
julio cesar de andrade em 14/09/2012 07:53:46
olha para quem não sabe o endereço do excelente restaurante do Helinho fica na rua pedro celestino após a rua Fernando da costa subindo ao bairro monte libamo em frente ao mercado do lado esquerdo vai olhando que depois que fazer a curvinha vai olhando que logo vão ver aonde é feita a deliciosa comida tipica do seu Helinho


parabéns seu hélio.

SOS FOGÕES
 
genildo c. da silva em 14/09/2012 07:49:36
conheço seu helinho de miranda, pessoa familiar uma pessoa super simples parabens pela conquista
 
fatima maria dos reis silva em 14/09/2012 07:26:14
Acertou de novo, Paula, com sua narrativa rica em detalhes nos deixou com água na boca! Que o "seo" Helinho siga "abastecendo" o pessoal com seus dotes culinários e sua sabedoria de homem pantaneiro! Muito bem "campograndenews" por acompanhar essa demonstração tão bonita de nossas tradições!
 
Beth Saltão em 14/09/2012 06:11:20
Parabéns pela reportagem está ótima!!!!
Já provei da comida do "seo" Helinho, num haras uma vez, e é de "lamber os beiço" mesmo, muito deliciosa.
Só faltou o n° do local do restaurante... é na pedro, que altura...?
 
Fernanda Gregory em 14/09/2012 05:22:06
Legal essa lembrança de nossa comida típica. Depois do nosso chimarrão as 05h00, o quebra torto já está sendo requentado, acompando do nosso chá de mate queimado, adoçado com raspa de rapadura, uma delícia e fortificante pra enfrentar a estrada no lombo de meu baio.. bela matéria!
 
Carlos del Lamarca em 14/09/2012 03:18:27
Ê Hélinho, esse entende do assunto, parabéns pela reportagem e lembrança desta figura tão importante que é nossa tradição no MS, e que nasceu em uma Expô de Aquidauana.Parabéns.
 
Márcio Lima e Àurea Lemos em 14/09/2012 02:58:01
parabéns Helinho vc é o cara da culinária pantaneira.
 
celio manga em 14/09/2012 02:36:05
Esse é nosso amigo Helinho,sempre prestativo e alegre.Uma dica: todo sabado ao meio dia ,ele faz uma comida que arranca pica- pau do toco.Parabens pela reportagem.
 
remi paulo belle em 14/09/2012 02:22:04
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.