A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

10/10/2015 07:46

Cenoura e nabo viram flores, cisnes e até dragão na mão de sushiman

Lucas Arruda
As esculturas são comestíveis e servidas como acompanhamentos nos pratos (Foto: Gerson Walber)As esculturas são comestíveis e servidas como acompanhamentos nos pratos (Foto: Gerson Walber)

Dizem que comemos em três estágios quando vamos a um restaurante: com os olhos (apresentação do prato), com o nariz (cheiro da comida) e com a boca. Para começar bem essa experiência, o sushiman do restaurante Hong Kong, Alex Fortunato, resolveu fazer esculturas com cenoura e nabo.

Veja Mais
Hamburgueria K Burguer traz deliciosas novidades
Com kibe cru, sushi árabe tem recheios tradicionais e coalhada ao invés de shoyu

Em suas mãos, os legumes viram flores, cisnes, pássaros e até dragões. Alex começou a trabalhar no restaurante como garçom há vários anos e quando se tornou sushiman, em 2008, buscou um diferencial.

“Como trabalhamos somente com pratos a la carte a apresentação é muito importante, já causa um impacto aos clientes quando o prato chega na mesa. Uma vez vi na internet um vídeo de japoneses fazendo esculturas com legumes, me interessei e comecei a praticar”, conta. O sashimi de atum e salmão, com uma escultura de cisne com nabo, por exemplo, custa R$ 39,00.

Alex entrou no restaurante Hong Kong como garçom e depois se tornou sushiman e procurou um diferencial (Foto: Gerson Walber)Alex entrou no restaurante Hong Kong como garçom e depois se tornou sushiman e procurou um diferencial (Foto: Gerson Walber)
Para fazer as esculturas ele não utiliza nenhuma ferramenta especial, somente uma faca comum (Foto: Reprodução/Facebook)Para fazer as esculturas ele não utiliza nenhuma ferramenta especial, somente uma faca comum (Foto: Reprodução/Facebook)

Ele não fez qualquer curso, aprendeu sozinho, na marra mesmo, com erros e acertos. “No começo era bem demorado pra fazer, algo mais simples, como o cisne que eu levo dez minutos para montar hoje, demorava mais de meia hora para fazer. A prática leva à perfeição não é mesmo?”, brinca. “Agora estou bem melhor”, avalia.

Para fazer os ornamentos que acompanham os pratos servidos pela casa ele não tem uma ferramenta especial, utiliza uma faca comum. Ele revela que o segredo para as obras de arte é ter paciência e gostar muito do que está fazendo. “Até existem algumas facas especiais, ferramentas para o trabalho, mas aprendi assim”, destaca.

A mais nova escultura que ele aprendeu a fazer é o dragão. Ela é cheia de detalhes, como olhos, dentes e as escamas pelo corpo todo. Para ficar pronta vai pelo menos uma hora. “Às vezes demoro até uma hora e meia para fazê-la é bem difícil para terminá-la. Mas com o tempo e a prática farei mais rápido, tenho certeza, pois todas foram assim”, reflete. No entanto, ele afirma que em menos de meia hora será quase impossível finalizá-la.

As esculturas são comestíveis, mas de tão bonitas que ficam alguns clientes querem levá-las para casa. “A maioria come, mas tem gente que quer guardá-las, me sinto lisonjeado”, afirma.

O restaurante Hong Kong fica na av. João Rosa Pires, 761, no Amambaí. Ele funciona de terça a sábado no almoço das 11h às 14h e no domingo das 11h às 15h. Na janta ele fica aberto de terça a sábado das 19h até as 23h. Informações pelo telefone 3324-3237.

Curta o Lado B no facebook.

O dragão é mais difícil de se fazer, pois é cheia de detalhes. É necessário pelo menos uma hora para ficar pronta (Reprodução/Facebook)O dragão é mais difícil de se fazer, pois é cheia de detalhes. É necessário pelo menos uma hora para ficar pronta (Reprodução/Facebook)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.