A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

12/11/2013 06:32

Com experiência ruim, chef decide ensinar culinária mexicana

Anny Malagolini
Nos fundos de casa, Claudia ensina os temperos da culinária do México. Nos fundos de casa, Claudia ensina os temperos da culinária do México.

Depois de uma experiência ruim ao experimentar comida mexicana em Campo Grande, a chef de cozinha Claudia Girelli abriu curso para pessoas assim como ela, que gostam da culinária apimentada do México e não têm opção onde comer todos os pratos aqui na cidade. 

Veja Mais
Aproveitando época da guavira, chef ensina petit gâteou e brownie da fruta
Hamburgueria K Burguer traz deliciosas novidades

De cozinheiros a bons “comedores”, Claudia ensinou, nos fundos da própria casa, o segredo da cozinha mexicana, assim como truques e temperos. O “aulão” custou R$ 95,00 e envolveu oito pessoas.

No cardápio, desde os drinques, como Mojito e Marguerita, ao prato principal: a famosa tortilha. Até sobremesa entrou no curso, o pudim de queijo, com o toque brasileiro da goiabada.

Segundo Claudia, até quem não tem prática na cozinha pode preparar a comida mexicana, por ser fácil de fazer. Outra facilidade apontada por ela é o acesso aos ingredientes, muitos da culinária brasileira, como a pimenta e a farinha de mandioca.

A diferença, além do sabor, é que os pratos devem ser consumidos de imediato, nada de guardar na geladeira para o dia seguinte, por ser uma comida fresca. E outro aviso, a comida latina tem alto teor calórico. “A pimenta ajuda a ativar o metabolismo, mas não se pode exagerar no consumo”, aconselha.

De formação em Jornalismo, Claudia foi morar em Portugal e lá se dedicou à Gastronomia, já que com diferenças na gramática teve dificuldade em conseguir emprego com comunicação. Cozinheira da família desde os 13 anos, em 2007 ela se graduou como chef e de volta ao Brasil, em 2011, resolveu dar aulas de culinária, não só aos "entendidos", mas também aos que apreciam uma boa refeição. Será uma turma por mês, e cada workshop terá um tema.

A aquidauanense, Ely Vieira dos Anjos, veio morar em Campo Grande há 13 anos. Na falta de emprego, usou a “mão boa” e virou cozinheira. Ela conta que resolveu participar do curso para “inovar” o cardápio dos patrões. “Preciso me reciclar, fazer pratos que saem da mesmice”, explica.

 

Ingredientes não fogem do que é usado na cozinha brasileira.Ingredientes não fogem do que é usado na cozinha brasileira.

Cozinheiro de pratos populares, Eber Xavier, de 32 anos, conta que a cozinha mexicana traz curiosidade e com o “aulão”, quis aprender os segredos dos temperos "para acrescentar ao dia a dia.

Até quem não trabalha com alimentação quis se arriscar na cozinha. Luis Eduardo, de 26 anos, trabalha com marketing, mas adora comer. “Costumo cozinhar pra mim mesmo, crio pratos diferentes”, conta.

Para amenizar o calor que tem feito na Capital, o Lado B vai ensinar a preparar uma das bebidas mais tradicionais do México: o Mojito.

Ingredientes:
450g de gelo
70g de suco de limão
40g de açucar
100g de rum
hortelã fresca a gosto
rodelas de limão

Modo de preparo:
Coloque o gelo no copo do liquidificador e pique. Depois, ponha nos copos já ornamentados. No copo do liquidificador junte o restante dos ingredientes e misture. Divida em partes iguais pelos copos e sirva imediatamente. Enfeite 6 copos de long drink com limão em rodelas e hortelã fresca.

A participação nos próximos cursos custará de R$ 95 a R$ 150. A próxima turma será dia 19 de dezembro, sobre doceria para o Natal. As inscrições podem ser feita pelo telefone 9600.9537.




Devido ao sucesso que foi o Workshop de Culinária Mexicana, vamos repetir a "dose" no próximo dia 19 de novembro! Façam as vossas inscrições pelo telefone 9600 9537 ou in box pelo facebook.
 
Claudia Girelli em 14/11/2013 08:32:18
Muito Obrigado a equipe do Campo Grande News em especial a jornalista Anny Malagolini que tão gentilmente compareceu ao curso mensal que realizo no meu Atelier Panelinha Mágica a cerca de dois anos. A ideia surgiu no começo de 2012 por conta da demanda que Campo Grande tem por opções de lazer e formação. Vivi em Portugal por 12 anos e lá fala-se português também. A barreira da língua passa pela forma como o brasileiro fala, e o problema do emprego é sem dúvida pela super valorização dos próprios profissionais portugueses que são , sem dúvida nenhuma, muito bem e melhor preparados para aquela realidade.
Estarei sempre a disposição.
 
Claudia Girelli em 12/11/2013 10:15:48
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.