A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

29/10/2012 08:48

Culinária sem alho nem cebola, será?

Ângela Kempfer
Mesa farta no restaurante vegetariano.Mesa farta no restaurante vegetariano.

Chen Yin Hsin, 38 anos, escolheu Beatriz como nome para viver no Brasil. Ainda com certa dificuldade para falar o português, ela conta que mora há 15 anos em Campo Grande, onde transformou o jeito de viver em um negócio.

Veja Mais
Batata de frigideira recheada é carro-chefe de truck que percorre feiras
Ex-gerente de fast food vende Nakedtone, além de pizza que é jantar e sobremesa

Há dois anos abriu o restaurante vegetariano “Broto de Bambu”. “Toda a minha família é vegetariana, e desde que me entendo por gente também sou. Como gosto de culinária decidi unir as duas coisas”.

No cardápio, são oferecidos pratos simples, sem nenhuma sofisticação. E há carne, quer dizer, só de soja.

Sem conhecer muito bem a culinária brasileira, Beatriz começou a inventar pratos,  e fazer adaptações de coisas bem conhecida, como o quibe, o croquete.  Também tem a xipaguasú.

Beatriz tem a ioga como filosofia e por conta disso não usa cebola e nem alho como ingredientes. “É difícil à digestão desses alimentos”. Para temperar, usa talo de acelga no lugar cebola.

Na base vegetariana dá até para fazer croquete, petisco tradicional pelo uso da carne. Faça a experiência.

Ingredientes:

½ xicara de talo de agrião

1 colher de óleo

250 gramas de carne de soja

2 xícaras de talos variados

1 xicara de tomate

2 colheres de sopa de trigo integral

2 ovos

¾ xicara de leite

1 colher de salsinha

Farinha de rosca para empanar

Modo de Preparo:

A carne de soja deve estar hidratada e bem espremida, depois de ficar de molho tem de ser bem drenada.

Em uma panela coloque óleo acrescente a soja, os temperos e refogue. Só é preciso deixar a soja incorporar o tempero para, numa tigela, acrescentar o trigo. Misture com a mão e sinta se já está dando liga.

Faça bolinhos no formato de croquete, empane com farinha de rosca e é só fritar no óleo quente.

Serviço: O restaurante fica na rua Maracaju, número 1115. Fica aberto para almoço de segunda à sexta, das 11 às 13h30 e no sábado das 11 às 14 horas.

Croquete sem carne, alho ou cebola.Croquete sem carne, alho ou cebola.



Se são vegetarianos porque usaram ovos e leite na receita?? Sabendo que esses dois itens são de propriedade animal e não vegetal...um tanto quanto contraditório!!
 
X360 em 22/12/2015 11:02:23
Eu quero dizer: e daí? eu sou cristão e brasileiro. Não acredito nesses coisas que alho e cebola são alimentos da paixão e outras coisas mais. E os como sem sentimento de culpa.
 
Hélder Azevedo em 11/09/2013 13:28:40
Olha oque um cozinheiro famoso, Kurma, diz sobre o alho, cebola e coisas semelhantes:
Uma das perguntas mais comuns feitas para mim é esta: "Por que você não come alho e cebola"

Aqui está a minha resposta curta: Como um devoto de Krishna e uma prática de Bhakti-yogi, eu não como alho e cebola, porque não pode ser oferecido a Krishna.

Aqui está a minha resposta mais longa:

Você pode saber que a cebola e o alho são membros botânicas da família aliáceos (alliums) - juntamente com o alho-poró, cebolinha e chalotas.

De acordo com o Ayurveda, a ciência médica clássica da Índia, os alimentos são agrupados em três categorias - sattva, rajas e tamas - alimentos nos modos da bondade, paixão e ignorância. Cebola e alho, e os outros aliáceos são classificados como rajas e tamas, o que significa que eles aumentam a paixão e ignorância.

Aqueles que subscrevem a pura cozinha de estilo brahmana da Índia, inclusive eu, e Vaishnavas - seguidores do Senhor Vishnu, Rama e Krishna - como cozinhar apenas com alimentos da categoria sattvic. Estes alimentos incluem frutas frescas, legumes e ervas, produtos lácteos, cereais e leguminosas, e assim por diante. Especificamente, Vaisnavas não gosto de cozinhar com alimentos rajas ou tamas, porque eles são incapazes de oferecer à Divindade.

Alimentos rajas e tamas também não são usados porque eles são prejudiciais à meditação e devoções. "Alho e cebola são ambos rajas e tamas, e estão proibidos de yogis porque enraizar a consciência com mais firmeza no corpo", diz autoridade bem conhecida em Ayurveda, Dr.Robert E.Svoboda.

Alguns ramos da medicina ocidental dizem que os Alliums ter benefícios de saúde específicos; alho é respeitado, pelo menos nos círculos médicos alopatas, como um antibiótico natural. Nos últimos anos, enquanto as implicações cardiovasculares aparentes de Alliums vegetais tem sido estudada com algum detalhe, as implicações clínicas do consumo de alho e cebola a partir deste ponto de vista ainda não são bem compreendidos.

No entanto, ainda há muitas coisas negativas a dizer sobre o alho ea cebola. Não tão bem conhecido é o fato de que o alho em estado bruto pode levar prejudiciais (potencialmente fatal) bactéria do botulismo. Talvez seja com a consciência disso que o poeta romano Horácio escreveu de alho que "é mais prejudicial do que cicuta".

Deve ser salientado que Alho e cebola são evitados pelos adeptos espirituais porque estimulam o sistema nervoso central, e pode perturbar votos de celibato. O alho é um afrodisíaco natural. Ayurveda sugere que é um tónico para a perda de potência sexual por qualquer causa, debilidade sexual, impotência do excesso de indulgência em sexo e esgotamento nervoso de dissipar hábitos sexuais. Diz-se ser especialmente útil para os homens velhos de alta tensão nervosa e diminuição da potência sexual.

Os taoístas perceberam há milhares de anos que as plantas da família aliáceos eram prejudiciais para os seres humanos em seu estado saudável. Em seus escritos, um sábio Tsang-tsé descreveu os Alliums como os "cinco perfumados ou picante legumes perfumados" - que cada um tem um efeito negativo sobre um dos seguintes cinco órgãos - fígado, baço, pulmões, rins e coração. Especificamente, as cebolas são prejudiciais para os pulmões, o alho para o coração, alho-poró ao baço, cebolinha para o fígado e cebolinhas para os rins.

Tsang-tsé disse que estes vegetais picantes conter cinco tipos diferentes de enzimas que causam "reações de respiração repulsivo, odor extra-falta de transpiração e movimentos do intestino, e levar a indulgências obscenos, aumentar a agitação, ansiedade e agressividade", especialmente quando consumidos crus .

Coisas semelhantes são descritos em Ayurveda. "Além de produzir respiração ofensiva e odor corporal, estas plantas (aliáceos) induzir agravamento, agitação, ansiedade e agressividade. Assim, eles são prejudiciais fisicamente, emocionalmente, mentalmente ª espiritualmente.

Voltar na década de 1980, em sua pesquisa sobre o funcionamento do cérebro humano, o Dr. Robert [Bob] C. Beck, DSc. descobriu que o alho tem um efeito prejudicial sobre o cérebro. Ele constatou que, de facto, o alho é tóxico para os seres humanos, porque os seus iões hidroxilo sulfona penetrar a barreira sangue-cérebro e são tóxicos para as células do cérebro.

Dr. Beck explicou que, já em 1950 sabia-se que o alho reduziu o tempo de reação de duas a três vezes quando consumidos por pilotos que tomam testes de voo. Isto é porque os efeitos tóxicos de alho desynchronize ondas cerebrais. "O cirurgião de vôo chegaria em torno de cada mês e lembrar a todos nós:" Não se atreva a tocar em alho 72 horas antes de voar um dos nossos aviões, porque ele vai dobrar ou triplicar o seu tempo de reação. Você é três vezes mais lento do que seria se você [não] tinha algumas gotas de alho. "

Precisamente pela mesma razão, a família alho de plantas tem sido amplamente reconhecido como sendo prejudicial aos cães.

Mesmo quando o alho é usado como alimento na cultura chinesa é considerado nocivo para o estômago, o fígado e os olhos, e uma causa de tontura e energia dispersa quando consumido em quantidades exageradas.

Nem é alho sempre visto como tendo propriedades inteiramente benéfico na culinária ocidental e da medicina. É amplamente aceito entre os profissionais de saúde que, além de matar as bactérias nocivas, o alho também destrói as bactérias benéficas, que são essenciais para o bom funcionamento do sistema digestivo.

Praticantes de Reiki explicar que alho e cebola estão entre as primeiras substâncias a serem expulsos do sistema de uma pessoa - juntamente com o tabaco, álcool e farmacêutica medicamentos. Isto faz com que seja evidente que aliáceos ter um efeito negativo sobre o corpo humano e devem ser evitados, por razões sanitárias.

A medicina homeopática chega à mesma conclusão quando se reconhece que a cebola vermelha produz uma tosse seca, olhos lacrimejantes, espirros, corrimento nasal e outros sintomas relacionados com o frio familiares quando consumidos.

Estes são apenas alguns dos motivos de eu evitar alho-poró, cebolinha, cebolinha, alho e cebola.
 
Manoel Castilho em 06/07/2013 18:15:48
Devo confessar que nao consigo imaginar cozinhar sem alho e cebola. Na culinária brasileira é a BASE do tempero...rs... Mas enfim, acho que temos que deixar de ser restritos e preconceituosos com os novos conceitos. To com vontade de ir lá conhecer.
 
Suellen Kemp em 30/10/2012 08:53:45
Bom dia

Gostaria que me informassem o endereço ou telefone do restaurante vegetariano Broto de Bambu, em Campo Grande, citado na matéria "Culinária sem alho nem cebola, será?"

Obrigada
 
NELCI PIRES DA ROSA em 30/10/2012 08:38:59
Esse restaurante tem uma comida deliciosa!
 
TATHYANE SANGALLI em 30/10/2012 06:42:33
Excelente a matéria sobre esse restaurante vegetariano.
Vou até lá para conhecer.
 
joao carlos borges em 29/10/2012 18:04:48
Conheço o retaurante, meu marido e eu começamos a frequentá-lo esse ano, devido a restrições alimentares a carne vermelha, em decorrência a problemas de saúde dele. A comida é perfeita e só descobri agora que não usam alho e nem cebola, temperos que adoramos, e que não fez falta ao nosso paladar, tanto é que nem percebemos a falta dele na comida do resturante. O lugar vale a pena....tem vezes que perguntamos se realmente não é carne, peixe ou frango o que estamos comendo, pois o gosto e a textura são muito semelhantes e foi isso o que fez com que meu marido não sentisse tanto a falta da carne vermelha no seu dia a dia.
O restaurante Broto de Bambu fica na Maracajú, na próxima quadra depois do Proncor, do lado direito.
 
Danielle Rodrigues Azambuja em 29/10/2012 17:41:45
Qualquer coisa sem cebola é ótima.

Como eu sempre digo, lá em casa cebola nós damos ao porcos.
 
Marcos Dambrosio em 29/10/2012 12:51:40
Fica na rua Maracajú, distante uma quadra e meia do Extra. Local agradável, comida saborosa e boas energias.
 
Hugo Arraes em 29/10/2012 12:16:13
O restaurante é mesmo muito bom. Não havia notado o fato da ausência de cebola e alho, somente da carne, claro. Impressiona o fato de todas as comidas serem (surpreendentemente) saborosas, percebe-se o cuidado em cada um dos pratos.
 
André Vilela em 29/10/2012 10:54:37
Por favor, poderiam fornecer o endereço do referido restaurante.
Obrigada!
 
Maria Izildinha Fernandes Remijo em 29/10/2012 10:24:09
Jamais iria! adoro comida temperada com alho e, principalmente, cebola.
 
Carol Oliver em 29/10/2012 10:17:52
Bom dia

Gostaria que me informassem o endereço ou telefone do restaurante vegetariano Broto de Bambu, em Campo Grande, citado na matéria "Culinária sem alho nem cebola, será?"

Grata,

Joeli Mora Silva
 
Joeli Mora em 29/10/2012 09:44:30
Qual o endereço do restaurante?
 
Marcia Maria de Brito em 29/10/2012 09:05:24
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.