A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 02 de Dezembro de 2016

16/01/2016 07:23

Ensinada para pacientes de spa, moqueca vegana tem banana da terra e jurubeba

Adriano Fernandes
A tradicional moqueca capixaba pode ser vegana, feita com banana da terra e até jurubeba (Foto:Fernando Antunes)A tradicional moqueca capixaba pode ser vegana, feita com banana da terra e até jurubeba (Foto:Fernando Antunes)

O regionalismo sempre foi a marca registrada nos pratos do renomado chef de cozinha Paulo Machado. Delícias como o guisado, o arroz carreteiro são só alguns exemplares da cozinha pantaneira que Paulo apresentou para o mundo e que fizeram dele, referência no assunto.

Veja Mais
Ex-gerente de fast food vende Nakedtone, além de pizza que é jantar e sobremesa
Com ingrediente mais importante, chef reúne alunos com down para ensinar ceviche

Mas ele garante: a riqueza de ingredientes da nossa terra também permite adaptar pratos tradicionais da cozinha brasileira e sem nenhum tipo de gordura animal. Na moqueca capixaba preparada por ele, por exemplo, a banana da terra é a estrela principal.

A receita, Paulo conta que aprendeu ao lado de dona Dega Salles, uma das criadoras do conceituado restaurante Tordesilhas em São Paulo. Além da banana da terra, o urucum é misturado ao azeite de oliva e substitui o de dendê. Ao invés do leite de coco o de castanhas do Pará, e a jurubeba dá um toque mais exótico à receita.

Paulo Machado é idealizador do Instituto Paulo Machado de gastronomia e foi grande vencedor do prêmio Dólmã 2015. (Foto: Fernando Antunes)Paulo Machado é idealizador do Instituto Paulo Machado de gastronomia e foi grande vencedor do prêmio Dólmã 2015. (Foto: Fernando Antunes)

Além do valor nutricional, o chef explica que os ingredientes utilizados na receita são acessíveis aos campo-grandenses. “Campo Grande é uma cidade que tem muitas feiras, o próprio mercadão municipal é onde qualquer pessoa pode encontrar estes ingredientes. A farinha de mandioca, de milho ou a própria jurubeba são ingredientes frescos e que também fazem parte da nossa culinária”, conta.

São produtos que, segundo Paulo, podem ser utilizados para tornar a gastronomia brasileira mais democrática. “Quando se fala em cozinha brasileira, a primeira impressão que se tem é de uma comida pesada, muito forte, sendo que nossa culinária também oferece produtos naturais, muito ricos” comenta.

A receita foi ensinada por Paulo aos pacientes do CVS (Centro de Vida Saudável) do Hospital do Pênfigo em Campo Grande, durante a semana em que ele, acompanhado da mãe, também se tornou paciente. 

Os ingredientes para a moqueca de banana da terra, ele explica:

1 pimentão amarelo cortado em rodelas,
4 tomates picados
1 colher de sopa de alho picado
10 bananas picadas em rodelas grandes
2 colheres de sopa de jurubeba (pré-cozida)
500 ml de leite de castanha do Pará 200 ml de azeite de oliva 400 ml de suco de limão
2 colheres de sopa de colorau (urucum moído)
2 colheres de gengibre moído
3 pimentas dedo de moça cheiro verde a gosto( sala ou coentro sal á gosto

Preparo:

Numa travessa, colocar o colorau e o azeite de oliva e em seguida misturá-lo as bananas, com o suco de limão, o sal, alho, gengibre e as pimentas. A dica do chef é que somente uma das pimentas seja acrescentada com sementes. As bananas devem ficar marinando por pelo menos 20 minutos, antes de ir ao forno.

Em uma panela de barro, levar ao fogo primeiramente a cebola que deve ser refogada no azeite e o molho de colorau. O tomate e o cheiro verde, são acrescentados e em seguida, a banana da terra em rodelas e o leite de castanha. A última camada do prato é composta pelo pimentão amarelo, a jurubeba e mais cheiro verde. O prato leva em média 12 minutos até ficar pronto e serve até 8 pessoas.

O azeite de oliva misturado ao urucum, se assemelha ao aspecto do azeite de dendê. (Foto: Fernando Antunes)O azeite de oliva misturado ao urucum, se assemelha ao aspecto do azeite de dendê. (Foto: Fernando Antunes)
A banana da terra, substitui o peixe na receita. (Foto: Fernando Antunes)A banana da terra, substitui o peixe na receita. (Foto: Fernando Antunes)

Uma das pacientes do CVS que se surpreendeu e aprovou o prato, foi a professora Rosimeire Leal. “Nem parece banana. Muito bom, mesmo”, compara. Ela e o marido, que esta em recuperação de uma cirurgia contra o câncer, pela primeira vez tiveram contato com o chef e o centro de tratamento.

Mesmo com a rotina intensa do Centro de Vida Saudável, que tem prática de exercícios físicos, além da reeducação alimentar com médicos e nutricionistas, ela garantiu que dar continuidade ao tratamento. “É uma rotina que eu quero seguir na prática, em casa”, afirma.

A gerente comercial Marilene Precinato, também prometeu seguir a risca os ensinamentos, depois de uma semana de internação. Antes da estadia, ela admite que levar uma vida saudável não era prioridade.

“Esta sendo como uma espécie de mimo este tempo que estou ficando aqui. Vim em busca de relaxamento longe do estresse do dia-a-dia, mas eu vou dar continuidade ao trabalho. Ficar aqui durante este tempo me fez perceber que a parte física, alimentar e espiritual deve estar sempre em ordem”, comemora.

Há quatro anos, o local é também onde Paulo Machado e a mãe, a artista plástica Lúcia Martins se refugiam todo início de ano, por pelo menos 5 dias. “É uma espécie de detóx”, ele brinca.

Dentre outros méritos conquistados mundo a fora, o simpático gastrônomo foi o grande vencedor da edição 2015 do Prêmio Dólmã, considerado o Oscar da gastronomia.

Curta a página do Lado B no Facebook.

A receita da moqueca de banana da terra, Paulo Machado ensinou as pacientes do CVS (Centro de Vida Saudável). (Foto: Fernando Antunes)A receita da moqueca de banana da terra, Paulo Machado ensinou as pacientes do CVS (Centro de Vida Saudável). (Foto: Fernando Antunes)



imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.