A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

15/06/2016 07:14

Há 20 anos, Dirce prepara a Sopa de Cabrito para manter uma tradição japonesa

Thailla Torres
O prato típico Okinawa tem um sabor forte e é servido com arroz e gengibre. (Foto: Fernando Antunes)O prato típico Okinawa tem um sabor forte e é servido com arroz e gengibre. (Foto: Fernando Antunes)

Dos 72 anos de vida, boa parte Dirce Kimie Guenca se dedicou a trabalhar junto da família e manter as tradições japonesas. Na culinária, não podia ser diferente. Na Associação Okinawa, em Campo Grande, há 20 anos ela é responsável por preparar a Sopa de Cabrito, prato típico da terra do Sol Nascente, conhecido pelo sabor forte e marcante da carne.

Veja Mais
Batata de frigideira recheada é carro-chefe de truck que percorre feiras
Ex-gerente de fast food vende Nakedtone, além de pizza que é jantar e sobremesa

A receita ela aprendeu ainda pequena, quando morava com os pais. Nascida em Campo Grande, morou com a família até os 20 anos na zona rural, ajudando na lavoura. Sem terminar os estudos, veio para a Capital começar a vida de um jeito diferente. Dirce casou e teve 4 filhos.

O sabor da Sopa de Cabrito sempre fez parte da família e todos anos as festividades da colônia japonesa também são comemoradas sem faltar o prato típico. “O sabor é forte, nem todo mundo gosta porque a gente usa tudo do Cabrito, mas muita gente acaba experimentando”, comenta.

Dirce prepara a receita que é passada de geração em geração. (Foto: Fernando Antunes)Dirce prepara a receita que é passada de geração em geração. (Foto: Fernando Antunes)

Desde que surgiu a Associação Okinawa na cidade, ela faz a receita e hoje conta com ajuda de outras pessoas para preparar. Durante as festividades juninas, realizadas pela entidade, são quase 200 litros de sopa.

Em algumas regiões, a composição de legumes com a carne é comum, mas por aqui Dirce prefere cozinhar do jeito tradicional, somente com sal, carne de cabrito, tempero e água para ferver.

Apesar de a receita ser simples, há um cuidado especial com a carne. Somente o chifre, unhas e dentes do cabrito não são utilizados. O resto vai tudo para a panela, desde o couro, até o sangue. “Tudo a gente aproveita, quando o cabrito é abatido, recolhemos o sangue em um recipiente, colocamos sal e depois ele é fervido. E os pelos do couro são queimados antes de ir para sopa”, esclarece.

A dificuldade, segundo Dirce, é conseguir a carne, que é pouco comercializada. “Quando a gente morava na chácara, era muito mais fácil conseguir o cabrito. Aqui é difícil a gente achar para comprar. Por isso, se alguém me perguntar, eu sei todos os locais com carne de cabrito nesta cidade”, garante.

Por também encontrar a sopa em poucos lugares é que durante o ano ela prepara a refeição para a família e os amigos. Mas na Associação o prato só é oferecido uma vez ao ano, durante a Festa Junina, onde também é servido o sobá.

“Eu fico feliz em preparar porque, primeiro, gosto de comer e fico feliz que as pessoas conheçam. Por isso vale a pena experimentar, nem que seja um pouco”, garante.

A Sopa de Cabrito será servida no dia 19 de junho, na Festa Junina da Associação Okinawa de Campo Grande. A porção servida é com arroz e gengibre e custa R$ 25,00. A festa será na rua Rua dos Barbosas, 110, Bairro Amambaí. Informações pelo telefone (67) 3383-3954.

Curta o Lado B no Facebook. 




"Tia" Kimie,mulher guerreira,batalhadora, sempre alegre e sorridente,a conheço faz muitos anos,sempre trabalhando e fazendo comidas deliciosas para servir a familia e os amigos! Parabéns Lado B por essa reportagem !
 
Elisangela Muniz em 15/06/2016 15:38:54
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.