A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

21/10/2016 07:00

Para comemorar 25 anos, Áquila faz promoção de lanche famoso

Lanchonete conquistou tantos clientes, que virou parte da história da cidade

Informe Publicitário
Picanha grill - Foto DivulgaçãoPicanha grill - Foto Divulgação

Quando tinha 19 anos, Paulo Melo deu uma moto em garantia para conseguir empréstimo e mudar de vida. Por isso, ele costuma dizer que começou o primeiro negócio no negativo. Passados 25 anos, a conquista dele não é só algo particular, também é parte da história da Campo Grande.

Na esquina da Arthur Jorge com a Rua Amazonas, Paulo criou o Áquila Burger, uma das poucas lanchonetes há tanto tempo na ativa por aqui e com evolução acompanhada por clientes fiéis e famílias que crescem junto com a empresa, hoje 4 vezes maior que naqueles tempos de vacas magras.

Para festejar tantas conquistas, o Áquila tem promoção hoje, e de um dos lanches mais famosos da casa. O Cheeseburger, que normalmente custa R$ 11,70, nesta sexta-feira (21) será vendido por R$ 8,99.

Cebola colossal - Foto DivulgaçãoCebola colossal - Foto Divulgação
Cheese ponta de costela -Foto DivulgaçãoCheese ponta de costela -Foto Divulgação

Quando começou, em 1991, o “Áquila Drive In” era apenas um trailer em um terreno alugado. Por noite, motivo de comemorar era ter no caixa o dinheiro de 15 lanches vendidos. Ao lado da então namorada e com o auxílio de um chapeiro, não teve desanimo que tirasse Paulo do trabalho, apesar de não ser bem esse o caminho que ele procurava. “Queria ser advogado, mas naquele tempo não tinha incentivo para ajudar quem era pobre e queria cursar o ensino superior”, lembra.

Um ano depois, a namorada Maria Alice virou esposa e uma super companheira. O número de funcionários cresceu e com o capricho na preparação dos lanches clássicos e molhos que viraram tradição na cidade, a lanchonete vingou. “Sempre falo que minha sorte foi trabalhar 18 horas por dia”, ensina Paulo.

Hoje, tem gente que só vai ao Áquila para comer o molhinho cor de rosa, sabor beterraba, ou de cheiro verde. E os elogios não ficam só por aí. O hambúrguer com carne de primeira é carro–chefe, mas também tem dezenas de outras opções, do sobá, à pizza, além de doces como o petit gateau.

A maior publicidade sempre foi na base do boca a boca. Mas algumas inovações foram fundamentais no sucesso do Áquila. Desde 92, o local tem serviço delivery e nos fins de semana a casa foi a primeira ficar aberta até amanhecer, para ninguém passar fome sem lanche depois da balada.

Sobá - Foto DivulgaçãoSobá - Foto Divulgação

Para quem queria sair de casa, mas não tinha como acomodar as crianças em lanchonetes e restaurante, Paulo providenciou parquinho. Também priorizou a acessibilidade, antes mesmo das regras para inclusão de portadores de deficiência virarem lei. “Nosso cardápio em braile, por exemplo, é de 95”, comenta o empresário que sempre viu o cliente como um bom parceiro.

A lanchonete tem o status de pioneira em muitos outros aspectos, por adotar algumas novidades que pareciam perda de tempo há 20 anos. Foi primeira a registrar pedidos via internet, quando a maioria nem sequer tinha computador, em 1995. “Nunca tive primeiro a visão do lucro. Sempre entendi que remuneração é consequência de um bom atendimento”, justifica.

Sobre o nome Áquila, não há relações com filme clássico de 1985, “O Feitiço de Áquila”, que fala sobre o amor impossível da bela Isabeau (Michelle Pfeiffer) e do cavaleiro Etienne Navarre (Rutger Hauer). Ela, um falcão durante o dia e ele um lobo, à noite. “O nome Áquila significa águia. Sempre gostei dessa ave, que voa alto e enxerga longe”, conta Paulo.

Durante a semana, a lanchonete funciona até às 2h. Sábados e domingo, fecha só às 6h.

O Áquila Burger fica na Rua Arthur Jorge, 2018. O telefone é (67) 3321-4234. 

Curta a página do Áquila no Facebook.  

Ambiente retrô - Foto Alcides NetoAmbiente retrô - Foto Alcides Neto
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2016 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.