A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

28/06/2016 23:38

Alunos do Projeto Florestinha realizam ação para evitar atropelamento de animais

Atividade foi realizada na BR-262 para conscientizar os motoristas

Fernanda Yafusso
Os patrulheiros mirins distribuíram materiais educativos aos motoristas (Foto Arumi Figueiredo/Colaboração) Os patrulheiros mirins distribuíram materiais educativos aos motoristas (Foto Arumi Figueiredo/Colaboração)

Uma ação educativa foi realizada por Florestinhas na última segunda-feira (27) na BR 262 com o intuito de alertar a população para o alto índice de atropelamento de animais silvestres. O trabalho foi desenvolvido pela Polícia Militar Ambiental em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social de Anastácio.

Veja Mais
Domingo será de calor e chuvas com trovoadas em todo o MS, alerta instituto
Temporal com chuva de 30 milímetros e vento forte alaga ruas de Dourados

A ação, com o tema “Cuide da nossa Fauna! Reduza a velocidade”, tem como objetivo a preservação e proteção da Fauna Pantaneira, além de oferecer um trânsito mais seguro nas rodovias. Os patrulheiros mirins distribuíram materiais educativos aos motoristas apontando atitudes nas rodovias e a conscientização de não dirigir em velocidade acima do permitido.

Dados da PRF (Polícia Rodoviária Federal) mostram um alto índice de atropelamentos no Estado, sendo inclusive o segundo em mortes no país. Dentre os pontos mais críticos citados estão as BR-262, trecho no Pantanal de Mato Grosso do Sul e BR-163.

Já na BR-262, estudo da CBEE (Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas) da Universidade Federal de Lavras, aponta os atropelamentos como “carnificina”. Em 2015 foram registrados 231 acidentes, enquanto em 2016, de janeiro até agora foram 89. Já na BR 262, ano passado foram 71 acidentes e este ano, 23.

Radares - O DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), em parceria com a UFPR (Universidade Federal do Paraná), por meio do ITTI (Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura), supervisiona e executa programas ambientais como o Monitoramento de Atropelamento de Fauna, realizado pelos pesquisadores que catalogam os animais atropelados entre Anastácio e Corumbá.

Com base nos dados e pesquisa com usuários da rodovia, a UFPR/ITTI fez a proposta de Dispositivos de Proteção à Fauna, que inclui em seu programa a implantação de radares nos trechos onde ocorrem mais atropelamentos, além da colocação de telas e do corte da vegetação mais densa que prejudica a visibilidade do motorista.

Até o momento 20 radares já foram instalados, estão em funcionamento e assim evitar a morte de animais silvestres e acidentes. Para o inspetor da Polícia Rodoviária Federal Tércio Baggio, houve diminuição de acidentes após a instalação dos radares. “Tivemos uma redução de quase 40% de acidentes em relação à época que não tinha os equipamentos”.

Já o comandante do 2º Pelotão de Polícia Militar Ambiental de Aquidauana, Tenente Valdir Roloff Júnior, responsável pelo Florestinha na região, explica que considera de suma importância a ação que está sendo desenvolvida.

“Trabalhamos a visão socioambiental dessas crianças, socializando a cidadania, disciplina e educação ambiental. As crianças cobram muito dos pais, levam a informação para a escola, para os colegas e professores, acabam se tornando multiplicadores desse conhecimento”, frisou




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions