A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

26/09/2015 11:49

Com greve e atraso na coleta, reservas ambientais viram novos lixões

Alan Diógenes
Várias sacolas de lixo foram encontradas em reserva de preservação ambiental. (Foto: Gerson Walber)Várias sacolas de lixo foram encontradas em reserva de preservação ambiental. (Foto: Gerson Walber)
Lixo é descartado às margens de córrego. (Foto: Gerson Walber)Lixo é descartado às margens de córrego. (Foto: Gerson Walber)

Desrespeitando o meio ambiente, algumas pessoas estão jogando lixo em áreas de preservação ambiental e margens de corrégos de Campo Grande. O problema surgiu após a Solurb apresentar dificuldade em colocar a coleta “em dia”, já que uma grande quantidade de lixo se acumulou entre os dias 9 e 18 de setembro, período em que os funcionários estiveram em greve por falta de pagamento.

Veja Mais
Bernal acusa Solurb de "fazer chantagem" e ainda avalia intervenção
Bernal quer discutir com a Solurb redução no pagamento da coleta do lixo

Montanhas de lixo se formaram próximos ao corrégos Bandeira, Anhanduí, Bálsamo e Prosa, que cortam a cidade. Sacos com plásticos, papéis, embalagens, comida e até mesmo animais mortos podem ser encontrados às margens. A população que mora no entorno destes locais é a mais prejudicada e pede uma solução.

É o caso da funcionária pública Dalva Tabosa, 51 anos, que mora na Rua Boituva, Vila Nha-Nha, próximo a reserva ambiental que segue o corrégo Bandeira. Ela mora no bairro há 10 anos e nunca tinha visto uma situação assim.

“Está horrível e não passa de uma falta de conscientização das pessoas. A coleta já foi normalizada aqui no bairro, mas parece que para alguns é difícil levar o lixo até as lixeiras. Por mais que não foi eu quem joguei, estou pensando seriamente em pegar o lixo e colocar na minha lixeira”, comentou Dalva.

Já na Rua Escaramuça, no Jardim Radialista, a população descartou o lixo às margens do córrego Bálsamo. O mal cheiro que exala incomoda a todos que passam todos os dias pela via para ir e voltar do trabalho, como o servente de pedreiro Paulo Sérgio, 19. “Isso é uma falta de respeito com as pessoas”, mencionou.

Aposentado disse que população deve cuidar mais da natureza. (Foto: Gerson Walber)Aposentado disse que população deve cuidar mais da natureza. (Foto: Gerson Walber)
Paulo acredita que atitude é falta de respeito de algumas pessoas. (Foto: Gerson Walber)Paulo acredita que atitude é falta de respeito de algumas pessoas. (Foto: Gerson Walber)

Ele disse que também existe lixo acumulado em seu bairro: o Cohab. “Por lá o mal cheiro está insuportável. O que mais se vê e saco de lixo na rua, principalmente com restos de marmita que apodrece e atrai insetos”, completou Paulo.

O aposentado Gerson Bezerra da Silva, 52, ficou triste em saber da maldade que alguns estão fazendo com a natureza. “A água é nosso bem maior, como eles podem jogar lixo próximos ao córregos, isso é muito errado. Nós moradores da Terra, temos que cuidar de tudo que Deus fez pra gente”, finalizou.

O Campo Grande News entrou em contato com a prefeitura, mas não teve retorno para saber se haverá um serviço de limpeza nestas áreas.

Greve – Os funcionários da Solurb cogitaram uma nova greve diante do não fornecimento da cesta básica de 600 coletores e do tíquete-alimentação de R$ 412 para 90 motoristas. Mas a entrega das cestas foi normalizada na quinta-feira (24) a tarde. Somente o tíquete ainda não foi pago. Contudo, uma nova paralisação segue descartada.

O prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP) afirmou que avalia a possibilidade de intervir na empresa, mas ponderou que “tem que ser com muito cuidado”. Já o consórcio alegou que não recebeu pelos serviços prestados em junho e julho e já venceu o de agosto. A dívida soma R$ 22 milhões.

Sacolas e até pneu pode ser encontrado em córrego Bálsamo. (Foto: Gerson Walber)Sacolas e até pneu pode ser encontrado em córrego Bálsamo. (Foto: Gerson Walber)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions