A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

22/07/2014 12:03

Comboio com seis vagões carregados de álcool descarrila

Viviane Oliveira
Alem de descarrilar, três vagões tombaram. (Foto: Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias). Alem de descarrilar, três vagões tombaram. (Foto: Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias).

Seis vagões de um trem da ALL (América Latina Logística), carregados com álcool, descarrilaram na noite de ontem (21), na linha férrea entre Ribas do Rio Pardo e Água Clara, no quilometro 671. A PMA (Polícia Militar Ambiental) foi acionada e disse que não houve crime ambiental. Ainda assim, os policiais acompanham nesta manhã a retirada do combustível dos vagões. Ninguém ficou ferido.

Veja Mais
Peritos vistoriam empresa e questionam funcionários sobre monocondução
Descarrilamento de quatro vagões provoca derramamento de óleo diesel

De acordo com o major da PMA, Renato dos Anjos Garnes, logo após o acidente foi feita a contenção imediata e o líquido não chegou a atingir o solo. “A principio não houve contaminação, mas estamos acompanhando os trabalhos que estão sendo realizados pela empresa”, diz o major.

Para o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de Mato Grosso do Sul, o acidente demonstra, mais uma vez, os riscos que os maquinistas correm em virtude das condições da via e do material transportado.

O local onde ocorreu o acidente foi recentemente periciado por peritos de São Paulo para a implantação da monocondução de trens no Estado. A avaliação era para saber se empresa oferece as condição para o trem circular com apenas um maquinista, sem o apoio de um profissional denominado maquinário.

Proposta que o sindicato não apoia. “Nós não estamos preparados para esse tipo de transporte. Além dos acidentes que ocorrem constantemente, tem a questão do desemprego”, lamenta a funcionária da entidade, Roberta Pereira. Ela acrescenta dizendo que a empresa quer diminuir a mão de obra. Hoje são 330 funcionários que operam no Estado, entre maquinista e operador.

A assessoria de imprensa da ALL informou que após o acidente, o vazamento foi rapidamente contido por equipes da concessionária. Ainda conforme a assessoria, a companhia reforça que trabalha constantemente na manutenção da malha férrea e que o ocorrido não tem nenhuma relação com a monocondução de trens. As causas estão sendo apuradas e a empresa permanece à disposição dos órgãos competentes para esclarecimentos.

Acidentes – No começo de junho, o descarrilamento de quatro vagões provocou o derramamento de óleo diesel, na linha férrea entre Ribas do Rio Pardo e Água Clara. Em maio, a ALL foi multada pela Polícia Militar Ambiental pelo derramamento de óleo lubrificante que atingiu o solo e a vegetação da área da estação de tratamento de resíduos líquidos da empresa. O valor da multa foi de R$ 70 mil.

Também no mês de maio, o Ministério Público Federal recomendou a ALL para a adotar providências imediatas para barrar a contaminação do Córrego da Ponta, em Inocência, a 335 quilômetros de Campo Grande, onde outro descarrilamento provocou derramamento de óleo diesel, no ano passado. O combustível foi encontrado nas nascentes da cabeceira do córrego e infiltrou no solo, afetando o aquífero da região.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions