A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

25/02/2014 18:26

Condomínio obtém aval para derrubar "mini floresta" e revolta moradores

Filipe Prado
Os moradores reclamaram que algumas árvores já começaram ser derrubadas (Foto: Cleber Gellio)Os moradores reclamaram que algumas árvores já começaram ser derrubadas (Foto: Cleber Gellio)

Com previsão de corte para 60 árvores, moradores do residencial Itacolomi, no Bairro Carandá Bosque, ficaram indignados com a retirada de uma "mini floresta". Eles relataram que terão que pagar cerca de R$ 60 mil para a realização do corte e que há outras maneiras de resolver o problema.

Veja Mais
Dia amanhece garoando e previsão é de chuva na maioria das cidades do Estado
Temporais dão trégua de 4 dias, mas voltam na quarta-feira, prevê Inmet

No condomínio há cerca de 250, mas após a queda de uma delas sobre um apartamento, o síndico resolveu, depois de uma analise da prefeitura, retirar 60 delas. “Acho isso uma palhaçada. Tem muitas árvores centenárias aqui”, reclamou um morador que não quis se identificar.

De acordo a bióloga Letícia Couto Garcia, 32 anos, o laudo feito pela Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) não está correto. “Nós contestamos este laudo, achamos que está errado, pois eu analisei árvore por árvore e não é necessária a retirada de 60 delas”, contou.

Das árvores listadas, quatro já foram retiradas, de acordo com os moradores. “Eles são muito imediatistas aqui. Nós podemos pensar em outras maneiras de acabar com o problema, sem precisar corta-lás”, afirmou o professor de ecologia da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) Danilo Bandini Ribeiro, 33.

Ele relatou que no total os moradores do condomínio terão que pagar R$ 60 mil para a retirada das árvores. “Nós fizemos um abaixo assinado contra isso. Eu até vim morar aqui, pois é um local bem arborizado e, se isso acontecer, irá desvalorizar o local”, comentou a bióloga.

Dentre as árvores que serão cortadas, está uma Capitão do Mato, com mais de 50 anos. “Essa árvores é nativa aqui do Brasil e tem mais de 50 anos e eu acho que não precisa ser cortada”, disse Letícia.

Mas conforme o síndico do residencial, Danilo Fedrizzi, não serão cortadas todas as árvores listadas. “Eu me formei em Engenharia Ambiental, então eu sei que muitas não precisarão ser cortadas, somente três delas”, afirmou.

Ele relatou que ainda não foi feito o corte de nenhuma árvore. “Não cortamos nada ainda. As que disseram que cortamos são coisas velhas, que há muito tempo foram retiradas”, explicou Danilo.

O campo-grandense tem um carinho especial pelas árvores. No mês passado, o desmatamento de uma área pelo Comando Militar do Oeste para a construção de quartel causou polêmica na Vila Sobrinho. O CMO também obteve o aval do Ibama para desmatar a reserva, mas causou a revolta de ambientalistas, que chegaram a dizer que o Exército estava destruindo o "pulmão da Capital". 

Outras árvores já foram retiradas (Foto: Cleber Gellio)Outras árvores já foram retiradas (Foto: Cleber Gellio)
Cerca de 60 árvores do condomínio serão retiradas (Foto: Cleber Gellio)Cerca de 60 árvores do condomínio serão retiradas (Foto: Cleber Gellio)



São dois pesos e duas medidas mesmo, ontem mesmo havia uma reportagem aqui no Campo Grande News sobre um cidadão que está tentando retirar UMA árvore da frente do comercio dele já faz mais de 3 meses e não consegue autorização, a árvore está correndo risco de cair sobre a loja dele mas a prefeitura não autoriza o corte e já o condominio, provavelmente porque é no Carandá, consegue autorização para arrancar SESSENTA árvores de uma só vez.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 26/02/2014 10:26:27
Agora virou moda a derrubada de arvores.
O exercito para fazer quartel
A prefeitura para fazer terminal de onibus
Condominio por causa de 1 queda de arvore
Sera que o proximo sera o Parque dos poderes para fazer campo de futebol ?
Isto é uma vergonha ! Tremenda palhacada !
Vamos defender o nosso verde !!!
 
Pr. Edson Dionisio em 26/02/2014 07:52:57
Só gostaria de lembrar a quem fez a materia, que não é o campo-grandense que tem um carinho por arvores, e o planeta que precisa de muitas e muitas arvores, todos deveriam cuidar mais das arvores em qualquer cidade...e sobre esse condominio, a assembleia entre os moradores não valem nada?? o sindico pode fazer o que quiser?? se a maioria não quer cortar as arvores o porque dessa reportagem?
 
Marcell Marcio Micheletti em 25/02/2014 22:37:47
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions