A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

30/06/2015 11:37

Corumbá contabiliza 380 focos de queimadas, 44% a mais que em 2014

Viviane Oliveira
Foco de queimada a margem esquerda do rio Paraguai. O registro foi feito no dia 17 de janeiro deste ano. (Foto: reprodução Facebook / João Batista - JB)Foco de queimada a margem esquerda do rio Paraguai. O registro foi feito no dia 17 de janeiro deste ano. (Foto: reprodução Facebook / João Batista - JB)

O número de focos de incêndio em Corumbá - distante 419 quilômetros de Campo Grande, aumentou 44% no primeiro semestre deste ano, quando comparado ao mesmo período do ano passado. Em 2014, de janeiro a junho, foram registrados 266 focos, enquanto este ano já são 384 casos contabilizados. O tempo seco no inverno contribui para que o fogo se alastre.

Veja Mais
Capital já teve 196 focos de queimadas este ano; tendência é aumentar
Com tempo seco, Capital tem 15 ocorrências de incêndio em vegetação

De acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), a Capital do Pantanal lidera o ranking estadual e, em segundo lugar está a cidade de Aquidauana com 46 e em terceiro, aparece o município de Aquidauana com 34 focos de incêndio.

Devido a seca, o fogo se alastra rápido e, na maioria das vezes, os danos são irreparáveis. Ano passado, Corumbá teve 1.055 focos de queimadas contabilizados pelo INPE, quase a metade dos 2.439 registros de incêndios florestais em Mato Grosso do Sul.

Em 2015, o número de queimadas deve aumentar porque nos dois últimos anos a cheia foi mais intensa por causa das chuvas, reduzindo assim, os incêndios no período seco e acumulando combustível natural. Dessa forma, o capim seco que não foi queimado nos últimos anos pega fogo com facilidade e com previsão de pouca chuva a situação assusta.

Prejuízos - Os incêndios florestais matam os animais, destroem a vegetação e polui o meio ambiente. além disso, a fumaça também pode agravar problemas respiratórios e causar acidentes em estradas.

Em 8 meses, somente na BR-163, a CCRMSVia atendeu 30 ocorrências de fumaça às margens da rodovia, conforme o gestor de interação com o cliente da empresa, Keller Rodrigues. “No período de inverno a incidência aumenta e os motoristas devem tomar cuidado”, alerta. Segundo ele, quando o incêndio é de pequena proporção a concessionária mesmo combate o fogo com caminhões pipas e equipamentos de combate.

Alerta - Para evitar incêndios em vegetação, não deve ser feita sem autorização a queima controlada em matas, principalmente nesta época do ano. Em rodovias as bitucas de cigarro, que são lançadas pelas janelas de veículos, são as principais causas de incêndio.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions