A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

30/01/2011 14:55

Em plena Piracema, milhares de peixes aparecem mortos no Pantanal

Danúbia Burema

Causa da mortandade ainda é desconhecida por moradores

Moradora observa peixes mortos nas margens do rio Negro. (Foto: Rhobson T. Lima/site O Pantaneiro)Moradora observa peixes mortos nas margens do rio Negro. (Foto: Rhobson T. Lima/site O Pantaneiro)

Em plena época de reprodução, milhares de peixes têm aparecido mortos no Rio Negro, região do Pantanal sul-mato-grossense. Quem mora na região estranha o fenômeno, cuja causa ainda é desconhecida.

Equipe do site O Pantaneiro esteve no local para apurar uma denúncia e registrou imagens de peixes de todas as espécies apodrecendo nas margens do rio.

Foram vistos pintados, cacharas, dourado, piranha, tuvira, sardinha e até arraias e pacus, que nadam em águas mais profundas.

Urbano Vilalba, que mora há 30 anos em uma fazenda da região, conta que os peixes mortos começaram a boiar no rio no dia 26 de janeiro, um quilômetro acima da Fazenda Rio Negro, que sediou a novela Pantanal.

“Nunca vimos nada igual”, relata o pantaneiro, que descarta a possibilidade de um fenômeno natural ter causado a mortandade dos peixes.

Foram colhidas amostras da água do rio Negro, que serão levadas a laboratórios e submetidas a análise de especialistas para verificar a causa da morte dos peixes.

(Com informações do site O Pantaneiro)




No Pantanal, ocorre um fenômeno natural de deterioração da qualidade da água, denominado regionalmente de "Dequada", relacionado à decomposição da grande massa orgânica que ocorre no início do processo de inundação do Pantanal e dependendo da magnitude pode provocar mortandade massiva de peixes.
A intensidade da seca do ano anterior, que resulta da quantidade de plantas que sofrerão decomposição com a cheia subsequente, promove o fenômeno da deterioração das águas.
Em 1995, o fenômeno foi muito expressivo, devido a rapidez e ao grande volume da onda de cheia, apresentando valores de gás carbônico dissociados de até 79 mg /L
O período de cheia do Rio Paraguai atinge Corumbá em abril - maio - junho.

O ciclo anual de cheia e seca é o fenômeno ecológico mais importante de um rio.
A área de abrangência de inundação e o tempo de permanência das águas nos campos ditam a disponibilidade de habitats e alimentação para os peixes, crustáceos, aves, répteis, muitos mamíferos, plantas aquáticas e semi aquáticas.
O ciclo das águas é, portanto um dos fatores que rege a biodiversidade do Pantanal, uma vez favorece as espécies vegetais e animais, relacionados à fase de seca, ora favorece as espécies relacionadas a fase de cheia. Vegetais que crescem na fase da seca e morrem na fase de inundação, fornecerão nutrientes e sais a água, e que por sua vez contribuirão para o desenvolvimento de outras espécies.
Essa área periodicamente inundáveis formam zonas de transição entre o ambiente aquático e o ambiente terrestre. Esse ambiente de transição são denominado de ecótonos e apresentam alta biodiversidade.
(FONTE: http://www.corumba.com.br/pantanal/dequada.html)
 
DIEGO BERRI em 31/01/2011 12:51:32
só pode ser dinamite que colocam no rio para pegar peixes grandes e pequenos em grande quantidade sem precisar pesca-lo é rápido, fácil em cinco minutos o barco já está cheio, como fiscalizar esse tipo de pesca, o que dá pra pegar tudo bem o que não dá o rio leva embora, isso para ser bem otimista; fazer exame de polvora na água...
 
tadeu vilela leal em 31/01/2011 12:13:16
Esse fenômino tem um nome esquisito, vou tentar descrevê-lo: "Homo-sapiens in acção" ou seja tem dedo do homem nisso tudo, seja com pesticidas, queimadas ou na omissão e inobservação das leis da natureza. Chorar pelo leite derramado é o que nos resta, porque virão com uma desculpa esfarrapada e a gente deverá engolir e aceitar como verdade absoluta. Daqui uns dias vão criar (a exemplo da onça fujona) uma comunidade no super inteligente Orkut para denunciar este fato e espero que autoridades ambientais dos governos: estadual e federal façam parte dela.
 
Pedro Gomes em 31/01/2011 11:54:03
Este fenômeno nada tem a ver com queimadas ou envenamento por desastre ecológico. É apenas o fenômeno da Dequada. Ocorre há milhares de anos nos periodos de janeiro a maio e nada tem a ver com a ação do homem. Durante esse período de cheia ocorre decomposição de matéria orgânica submersa, proveniente das plantas aquáticas mortas e das terrestres, e este processo de decomposição é tão intenso, que a atividade de oxidação da matéria orgânica pelas bactérias é capaz de consumir todo o oxigênio dissolvido (OD) na água e liberar o dióxido de carbono livre (CO2 livre).
 
Rafael Marques em 31/01/2011 11:44:42
Esse desastre com certeza deve ser resultado de uma ação do homem. Investigação já!!!!!!!!!!!!
 
Fabiana Gomes em 31/01/2011 07:10:28
tudo isso acredito eu que é por causas das leis que o homem, que não conhecem a realidade do pantanal e são impossados em cargos comissionados para administrarem pastas que não3tem conhecimento algum. Bem o povo ribeirinha conhecem muito bem tudo isso, é um fenomeno conhecido como ' Adguada", O verdadeiro responsavel por isso são os fazendeiros que fazem queimadas em seus pastos e com a agua das chuvas as cinzas são levadas para o leito dos rios e o oxigenio da agua se acaba, e os peixem morrem, e agora as leis que os fazendeiros devem cumprir estão prontas,não, somentes as leis em que os pescadores profissionais devem cumprie estão.Quero ver quem tem peito de encarar os fazendeiros de nossas regiões, quero ver as leis para eles.
 
marinho Atagiba em 30/01/2011 10:23:10
Isso acontece todos os anos , o nome é "Lufada" chamado pelos pantaneiros , ou seja , falta de oxigenação da agua , os peixes chegam a superficie e tentam respirar o ar , muitos acabam morrendo , fenomeno natural , todos os anos acontecem , eu fiquei 30 dias em Corumba uma época que estava acontecendo na beira do rio

 
Savio Barbosa em 30/01/2011 09:11:12
Pra que analisar a agua , isso ai é defensivos agriculas que alguem despejou no rio ...
 
Alex oliveira em 30/01/2011 08:26:00
- É preciso apurar as causas desse efeito desastroso, alem de punir com rigor os culpados, caso sejam identificados; e mesmo assim ainda tem gente que conspira contra a Natureza apoiando a idéia de Usinas de Etanol no Pantanal. Basta, chega desses crimes contra a vida, sob pena dos filhos de nossos filhos e netos conhecerem esse paraíso ecológico só através dos filmes e fotos. Vamos agir Senhor Governador e demais autoridades responsáveis, é hora de mostrarem a que vieram. Estamos de olhos vivos e vamos cobrar ações efetivas nesse sentido.
 
Zuza Ratier em 30/01/2011 07:42:04
Não acredito ser dificil descobrir a origem do problema. Deem uma voltinha nas margens do rio acima de onde esta ocorrendo a tragédia. Tratores recolhendo agua no barranco para diluir os pesticidas pulverizados no pastos e lavouras.
 
"Marcos Guimaraes em 30/01/2011 07:02:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions