A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

04/02/2011 16:53

Entidade entra com ação para impedir corte de figueira na rua Brilhante

Ricardo Campos Jr.

Árvore centenária será cortada amanhã

Dona de um depósito de materiais de construção, que fica em frente à árvore, disse que há dois anos pede autorização para o corte.Dona de um depósito de materiais de construção, que fica em frente à árvore, disse que há dois anos pede autorização para o corte.

A ABCON/MS (Associação Brasileira de Cidadania e do Consumidor do Estado de Mato Grosso do Sul) entrou com uma ação civil pública de caráter urgente urgentíssimo na tarde desta sexta-feira para impedir o corte da figueira centenária que fica na rua Brilhante, na altura da Vila Nova Bandeirantes.

Segundo o presidente da entidade Erivaldo Marques Pereira, se trata de uma medida emergencial para barrar a retirada da árvore que está prevista para amanhã (5). “Não me resta alternativa senão um meio judicial para reverter isso aí”, explica.

A ação foi protocolada na Vara dos Direitos Coletivos e Difusos no Fórum de Campo Grande. A expectativa é que seja analisada o mais rapidamente e seja emitida uma liminar que garanta a permanência da figueira no local.

“A verdade é que aquela ali é uma árvore centenária que está ali há muito tempo e não está colocando em risco a vida das pessoas. Está em perfeito estado e sem qualquer consulta determinaram o corte”, reclama o presidente da ABCCON.

Apesar de ser entidade com função primeira defender as relações de consumo, faz parte da associação lutar pelo meio ambiente, de acordo com explicação de Erivaldo. “Nosso estatuto prevê amplitude de atuação. Permite atuar na defesa do patrimônio público, defesa da ordem econômica, tributária e meio ambiente”, conta o presidente que diz ainda se tratar da primeira ação judicial da entidade na luta pelo meio ambiente.

Na opinião de Erivaldo a decisão do corte envolve questões econômicas e não ambientais. “Eles querem tirar para ampliar o estacionamento da empresa. Vem com a finalidade econômica e esta tirando a vida de uma árvore centenária”, reclama o presidente.

Derrubada - Parte da Brilhante terá que ser interditada para o corte da figueira. Alguns dos galhos maiores já foram podados.

A proprietária de um depósito de materiais de construção, que fica em frente à árvore, disse que há dois anos pede autorização para o corte, mas só agora a prefeitura concedeu. Segundo ela, a raiz tomou conta da calçada, o que prejudica a passagem de pedestres, e já está tomando conta do asfalto.

Com a autorização para a medida em mãos, ela disse que vai plantar quatro árvores pequenas no lugar, na tentativa de compensar a perda.




Espero que dê tempo de salvar essa árvore. E espero também que as pessoas percam essa maldita vontade de eliminar tudo o que "acham" ser inferior e incomodante. Não são as raízes da árvore que incomodam, mas o mau-uso que as pessoas fazem dela, jogando lixo, transformando em transtorno. Como sempre, o problema somos nós. Mas como sempre, achamos uma desculpa, afinal, como já disse o filósofo: "o inferno são os outros".
Pobre do povo que não consegue conviver com sua história. ALGUÉM IMPEÇA ISSO. E antes que alguém diga algo, EU MORO NA REGIÃO e FAÇO USO DA BRILHANTE.
SOSfigueiradabrilhante#

 
Mirian Costa em 05/02/2011 12:24:00
Eu conheço esta figueira, desde de guri, nos anos 60. A Brilhante
era um areiao, na esquina tinha um bolicho. Lamento o corte.
 
Luciano Rosa em 04/02/2011 09:44:32
Interessante como os argumentos são falhos. Rua Brilhante de "alta velocidade"??? Limite máximo em área urbana é de 60km/h, não seria o caso de lombadas eletrônicas? Ou seja, podem a árvore inocente para que os irresponsáveis do trânsito continuem impunes. Fora isso, atrapalhar a calçada não é desculpa, é só Prefeitura alterar o desenho da calçada, como em vários outros locais de Campo Grande. Iluminação? Oras, novamente, obra para a prefeitura. Insetos? Cadê o "fumacê"??
Ou seja, é mais simples pedir a poda de uma árvore que viu a invasão de seu território do que o respeito pela natureza? Belo exemplo de desenvolvimento sustentável.
Teve morador que falou em preservação no Pantanal e na Amazônia... oras, Manaus é no meio da amazônia, Corumbá no meio do Pantanal. Estas cidades já destruiram importantes áreas, assim como Campo Grande, se o pensamento continuar assim, nada teremos.
 
Adriano M. C. Lopes em 04/02/2011 09:16:39
A Figueira tem que ficar, sim!!!Parabéns pela iniciativa Sr. Erivaldo!
 
Nayara Martins em 04/02/2011 08:20:36
Passo diariamente pelo local e fiquei surpresa hoje, quando vi alguns galhos cortados.
A árvore é magestosa e não deve ser cortada, que se resolva de outra maneira os problemas que surgiram, pois ela está ali bem antes deles.
 
Ana Maria em 04/02/2011 08:20:34
Cara Rosemary Belinate,

Em que planeta você vive? temos visto nos ultimos tempos a fúria da natureza, com acidentes até muito pouco tempo inimagináveis.
Como diz um amigo meu: "a natureza não reclama, ela se vinga"
Concordo que a rua Brilhante é atualmente uma via de alta velocidade, mas o correto seria sinalizar a rua para reduzir a velocidade dos carros porque a retirada da árvore não mudará isso em nada.
É preciso enterder que a cidade tem que crescer e se desenvolver para os cidadão, para os seres humanos e não para os carros.

Passo no local todos os dias e penso que quanto ao problema de limpeza, cabe à prefeitura multar o proprietário do imóvel que não cuida da calçada.



 
ALDO DONIZETE em 04/02/2011 07:51:13
Campo Grande e uma cidade bonita p/ ser relativamente bem arborizada e agora vem esses trogloditas em nome do progresso,ganancia e interesses proprios destruir o patrimonio publico. E nao esquecamos do fato de q a vegetacao mantem a cidade mais fresca ainda mais agora q o clima esta muito mais quente. Precisamos mais arvores e a prefeitura precisa plantar mais arvores q nao crescam muito e precisa fazer c/ mais frequencia a poda e manutencao destas arvores. Afinal, pq pagamos IPTU tao caro !?
Salve a Figueira ja!
 
maria tomas em 04/02/2011 07:34:45
A árvore é maravilhosa, saudável, frondosa e está lá há muito mais tempo que o comércio da referida empresária, e há mais tempo que a própria calçada. Com certeza existem outras maneiras de se remediar a situação que não impliquem em um ato tão grave quanto extirpar a vida de uma árvore histórica da cidade. Sou absolutamente contra o corte e já me adianto que, caso o mesmo ocorra, jamais comprarei nada deste depósito de materiais de construção, e GARANTO que farei propaganda negativa dele em todas as ocasiões possíveis. Indicarei que comprem em qualquer outro lugar, menos lá.
 
Gisele Sena Bertolazo em 04/02/2011 07:22:05
Entendo a preocupação da entidade, mas é preciso permitir o ir e vir dos moradores, assim como acessibilidade de cadeirantes e pessoas com necessidades especiais, como já dito, a rua e de fluxo intesnso, exigindo uma atenção maior dos pedestres!
Existem várias arvores centenárias, vamos zelar por aquelas que realmente não atrpalhem nosso dia-a-dia!
 
Viviane Caetano em 04/02/2011 06:51:00
Parabenizo a iniciativa da ABCON/MS em defender em nome da sociedade um patrimônio ambiental centenário. A empresária pode muito bem montar o seu negócio em outro local, na mesma rua, onde folhas, os pássaros e a frondosa sombra não a incomode. Essa figueira é habitat de muitas espécies que dependem dela para viver.
A idéia obtusa causa-me indignação...
 
Arnaldo leite em 04/02/2011 06:50:42
Bela iniciativa do Sr. Erivaldo. A árvore está no local há muito mais tempo do que nós e a própria loja. Quem chegou depois que se adapte.
 
Andréa Pinheiro em 04/02/2011 06:32:45
Gente, não é possível que entidades precisem se pronunciar e ter ordem judicial para não cortar uma árvore linda dessas. A Prefeitura fica fazendo campanhas, distribuem mudas de árvores para serem plantas e não preservam as que já tem??????? Não é estranho isso???? A rua e a calçada são públicas assim como tudo o que nelas existirem ninguém tem o direito de fazer isso não simplesmente porque atrapalha o seu estabelecimento. Esta comerciante não está sendo egoísta demais não? É só Ela que vive ao redor dessa magestosa árvore?
 
clarinda maria em 04/02/2011 05:35:08
Sr. Erivaldo, a figueira pode ser centenária, mas prejudica os pedestres no seu direito de ir e vir. Pois a Rua Brilhante é via de alta velocidade e não se pode usar a calçada, além do que onde ela está a sujeira é depósito de insetos indesejáveis e peçonhetos. Antes de pedir liminar para não se efetuar o corte, more na região e veja os transtornos que é andar nesta calçada... corte a figueira já!!!!
 
Rosemary Belinati em 04/02/2011 05:34:09
Sr. Erivaldo que maravilhosa iniciativa.
 
Gerson Silva em 04/02/2011 05:33:45
Parabéns ao senhor que tomou essa iniciativa de impedir esse ato vergonhoso dessa empresária.Nunca vou comprar nada nesse depósito e caso derrubem a árvore espero que muitos façam o mesmo.
 
Joana Maria Arantes Campo Grande em 04/02/2011 05:32:08
Espero que não seja tarde demais. Espero que um juiz de bom senso impeça esse crime contra o patrimônio do meio ambiente da Capital. E a prefeitura se calou diante disso. Autorizou e ponto final.Não há uma declaração da secretaria. Será que não existe boa vontade em encontrar uma solução que não seja o corte dessa árvore centenária.
 
Marco Tulio Costa Campo Grande em 04/02/2011 05:28:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions