A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

05/02/2014 17:50

Exército desmata área e ambientalista vê fim do "pulmão" da Capital

Filipe Prado
A área fica na rua Fernando de Noronha, atrás do cemitério (Foto: Marcos Ermínio)A área fica na rua Fernando de Noronha, atrás do cemitério (Foto: Marcos Ermínio)

O Exército desmatou parte da área, que fica atrás do Cemitério Santo Amaro, para a construção de um novo quartel. De acordo com ambientalistas, a ação não tem licenciamento ambiental, irá acabar com 460 hectares de fauna e flora, que estariam uma área de preservação ambiental.

Veja Mais
Fim de semana em MS terá tempo instável com possibilidade de chuva
Quatro cidades de MS estão entre as 100 que mais desmatam florestas

Ambientalistas da Capital estão indignados com o desmatamento. No entanto, moradores da região acompanham com indiferença a situação. “Eu sei que vão construir um quartel, mas não sei se isso é ilegal ou não”, contou o frentista Wesley Fernando Araújo, 26, que disse ter percebido a obra há três dias.

Quem passa pela rua Fernando de Noronha vê a situação da área. Por uma abertura em meio a mata vê-se um rastro de destruição. Árvores caídas por todo o local, amontoadas por vários pontos.

“Eu acho que isso seria um tiro no pé”, afirmou o presidente da Ecoa (Ecologia e Ação) André Luiz Siqueira. Ele afirmou que para realizar uma obra dessas é necessário autorizações da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano) e Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação), mas provavelmente eles não têm essa licença.

Ele comentou que o desmatamento desta área verde trará prejuízos para os campo-grandenses. “Tirar essa área trará prejuízos para Campo Grande, tira qualidade de vida”, disse o presidente da Ecoa.

Para o coordenador do Fórum de meio ambiente e desenvolvimento sustentável de Mato Grosso do Sul, Haroldo Martins Borralho, a situação é absurda. “Quem corta uma árvore em casa pode ser multa em R$ 4 mil até R$ 15 mil, mas porque o Exército não é multado?”, indagou.

“Esse é o pulmão da capital, uma joia, uma preciosidade que não podemos perder”, completou Haroldo. Ele relatou que são 460 hectares de área preservada e afirmou que o exército não tem licença ambiental para desmatar o local.

O local é composto por vegetação do cerrado e, de acordo com Haroldo, vários tipos de árvores como guavira serão perdidas. Ele também afirmou que a região possui muitos tatus e é ponto de chegada e partida de aves migratórias.

CMO – De acordo com a assessoria de imprensa do CMO (Comando Militar do Oeste) será construído o 9º Batalhão de Comunicações, que foi “devidamente aprovado pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis)”. Eles afirmaram que a área desmatada corresponde a 20 hectares.

O desmatamento foi realizado por uma empresa terceirizada e acompanhado por um biólogo e um engenheiro agrônomo. A autorização de supressão de vegetação foi expedida no dia 27 de novembro de 2013, pelo presidente do Ibama, Volney Zanardi Junior.

O desmatamento já ocorre há três dias (Foto: Marcos Ermínio)O desmatamento já ocorre há três dias (Foto: Marcos Ermínio)
O ambientalista contou que serão 460 hectares desmatados (Foto: Marcos Ermínio)O ambientalista contou que serão 460 hectares desmatados (Foto: Marcos Ermínio)



Eu acho uma perda de tempo ficar discutindo sobre a devastação daquela área, aqui no bairro onde eu moro, (Residencial Sírio Libanês) que fica a 1,5 Km desta área devastada, temos vários terrenos abandonados onde a vegetação nativa está crescendo abundantemente.
Se lá, a vegetação está sendo devastada pelo homem, a natureza esta dando a sua própria resposta aqui no meu bairro, brevemente teremos uma floresta em cada terreno abandonado.
 
HELDER LUCHI em 13/02/2014 22:42:05
Pela reportagem, a obra tem licença sim. E para quem não sabe para que serve exército e é contra a guerra, lembre-se que o conflito nem sempre é começado por nós. O agressor também não dá aviso prévio e nem espera você se preparar. Se os nossos vizinhos resolvem fatiar o Brasil entre eles, não é o Itamaraty, nem os sociólogos, nem os pseudo-filósofos que vão nos defender e manter a soberania nacional.
E engraçado que não vejo ecologistas fazendo movimento sobre som alto. Será que poluição sonora não existe? Cadê os ecologistas para conscientizar o Poder Público e a população sobre os efeitos nocivos do som alto? Será que melhora a qualidade de vida? E a fauna urbana? Não é afetada?
 
Guilherme Arakaki em 10/02/2014 02:11:42
Fui professora no CMCG até 2006. Trabalhei com EDUCAÇÃO AMBIENTAL e foi nesta área, hoje devastada, que levei meus alunos no projeto de iniciação científica junior. Desenvolvemos trabalhos científicos, apresentamos em congressos da SBPC, levamos escolas públicas pelas trilhas. Ficaram as lembranças do sorriso das crianças que avistavam o tamanduá, arara, tucano, as flores e frutos. Ficou a lembrança da felicidade dos meus alunos em estar cooperando para a proteção dessa área ecológica.
Terminei de escrever um livro sobre todo o nosso trabalho nesta área. Será lançado ainda este ano. Não mudarei nada o que escrevi, mas deixarei uma nota ao final sobre o acontecido. Espero que a nossa sociedade tenha perdido uma batalha, mas que não perca a guerra da destruição da BIODIVERSIDADE NACIONAL.
 
Marcia Melos em 07/02/2014 08:38:09
Infelizmente o nível de conhecimento ambiental de Campo Grande ta pior do que eu pensava, o povo ta assando de tanto calor devido o desmatamento, lixo queimadas etc, e continua a apoiar ações de destruição da natureza. Lamentável! Mas é bom saber que nenhuma I Instituição esta acima da lei, e da Constituição, a área é da Uniao e deve sim ser submetida aos orgãos ambientais, municipal, Estadual, e Federal, ora essa! são militares a serviço do povo e não pra fazer o querem! Essa área deveria ser um parque urbano, de preservação ambiental e lazer, para esse fim traria mais qualidade de vida gerando emprego e renda. Temos que parar de idolatrar qualquer corporação seja ela quem for, elas existem pra atender o povo. Se ta desmatando vamos ficar alerta, com essas e outras áreas, com bom senso
 
EVANIZE DE BARROS LIMA em 06/02/2014 17:24:55
Tem muito milico se doendo, aff. O exercíto tem sua importância sim, mas como todo orgão ele deve demonstrar respeito, dar o exemplo. Acho que muitos comem projeteis, inalam fumaça, tomam dieseu. O mundo hoje deve se preocupar com os recursos ambientais, pois se o povo usasse o conhecimento para fins científicos o mundo seria outro, mas creio que existem pessoas no nível mais baixo de raciocínio, que é o de querer sempre guerriar. Odeio o sistema militar, mas possuo amigos que gostam e assim o respeito, porém é muita ignorância chamar as pessoas que são contra a política do ferre e fogo de eco chatos. Pense antes de comentar reflita os seus atos, grande parte do conhecimento poderá ser revertido em progresso e não em retrocesso. Exemplo disso é a política militar implantada na Coréia do Norte, onde o povo morre de fome e insistem em mostrar um conto de fadas.
 
Johnny M. Larroque em 06/02/2014 16:16:13
Uma coisa é certa, eu passo ao lado toda noite e o ar é bem diferente e a região e bem mais amena, eu penso que poderia adquirir áreas mais distantes da cidade para construção de quarteis. temos que acreditar na paz e não em guerra.
 
cecilio idalgo em 06/02/2014 15:53:54
Senhores, ali é área federal. Município e Estado, em princípio, não têm qualquer ingerência lá. Tanto que a Prefeitura precisou contornar terras da UFMS para concluir uma avenida...

A Arma de Comunicações geralmente fica a serviço de grandes comandos militares. É plausível então que o 9º BCom seja construído em Campo Grande, e mesmo assim está próximo o suficiente da fronteira p/ um eventual deslocamento.

No mais, faço minhas as palavras do sr. Fauster Paulino. Parece que certos "líderes populares", para chamar a atenção para si, criam caso com pouca coisa. Aliás, teve um desses me dando Feliz Natal por SMS lá de João Pessoa/PB sem eu nunca ter lhe informado meu celular; se for mesmo quem estou pensando, já mostra que seu ativismo "social" deve ter verbas p/ turismo em praias distantes.
 
Marcel Ozuna em 06/02/2014 14:51:55
CREIO QUE O EXÉRCITO, ÚNICO EXEMPLO EXCELENTE DESTE PAÍS, ESTEJA, FAZENDO DESMATAMENTO, SEM PROJETO AMBIENTAL, CREIO QUE ESTEJA LEGAL, PARA NÃO DAR O QUE FALAR, QUE DEUS ABENÇOE.
 
PEDRO BRAGA em 06/02/2014 13:21:09
acho estranho, neste domingo colocaram fogo em uma area enorme da prefeitura de campo grande, não apareceu nem um ambientalista para saber do pulmão das pessoas q moram no bairro, crianças e adultos com alergias, fuligem, fumaça. em campo grande as pessoas se preocupam com poluição visual, poluição sonora, queimadas não!!!!!
 
SILVIA RIBEIRO em 06/02/2014 13:11:02
Disse tudo Fabrizio Rodrigues.
Infelizmente estamos rodeados de pessoas com a cultura nivelada ao que passa em novelas e seriados.
 
André Castanho em 06/02/2014 11:19:56
E para finalizar, vocês já ouviram na palavra estratégia? Sim ela existe e está no dicionário (e imagino poucos devam ter aberto um algum dia) e que por acaso é uma palavra-chave que norteia as ações do exército brasileiro. Com certeza uma das instituições com maior credibilidade no país não faria isso sem as devidas licenças e também não precisaria divulgar isso nos intervalos das novelas pro cidadão desinformado. Faltam escolas, creches, hospitais, transportes, segurança pública...sim concordo que há muito o que fazer mas atribuir isso como responsabilidade do exército não faz sentido. Nesse caso essas demandas deveriam ser feitas aos órgãos responsáveis da cidade e do estado. Ah me esqueci, algumas pessoas nem sabem quem são os responsáveis e nem o que as instituições fazem... triste.
 
Fabrizio Rodrigues em 06/02/2014 10:57:44
Nunca vi tanto comentário idiota em uma única matéria.
Porque mais quartéis? Simplesmente por que nossas forças armadas estão defasadas com relação a contingente. Por que em Campo Grande e não nas fronteiras? Primeiro por que o quartel nada mais é do que escola de soldados e não devem ficar onde precisa proteger mas sim onde está a população. Aposto que ninguém iria querer mandar um filho daqui de CG a uma fronteira para servir durante 1 ano (mínimo) longe da família.
Com relação a desmatamento. A área não pertence nem ao Município e nem ao Estado. Pertence a União. É área de treinamento e as forças armadas podem fazer o que quiser.
Se cada um que se incomoda com a derrubada de uma árvore plantar uma muda em sua casa, provavelmente seriam muito mais produtivos do que falando asneiras aqui.
 
André Castanho em 06/02/2014 10:52:55
Tomara que esse novo quartel sirva para tirar muitos jovens das ruas, porque ali aprenderiam a ter educação e respeito,
será que estão pensando nisso?
 
Teresa Moura em 06/02/2014 10:46:48
Muitos aqui (a maioria pelo jeito) desconhecem o trabalho realizado pelo Exército (e pelas forças armadas como um todo), mas provavelmente os que aqui criticam o exército por sua expansão não devem ter a mínima ideia do seu trabalho e só enxergam os soldados realizando a manutenção da sua infraestrutura (é o mínimo, ou você não limpa a sua casa e vive num chiqueiro?) e não o verdadeiro trabalho realizado. É básico e interessante que o cidadão conhecesse as instituições governamentais para apontar melhorias ou críticas; agora ser cego e criticar sem propriedade alguma é fácil e ignorante. Portanto faça o mínimo do seu dever cívico e conheça as instituições do seu país antes de falar que na "Zooropa" e nos "States" as coisas funcionam lá mas não aqui. Isso NÃO ajudará em nada.
 
Fabrizio Rodrigues em 06/02/2014 10:46:45
Concordo como Fernando Correa... os cidadãos gostam muito de reclamar e esconder suas próprias omissões...que tal se cada um fizesse a sua parte? reciclando lixo e deixando um pouco de árvores nas calçadas? Todo mundo gosta muito de falar mal de militares, mas quando o sapato aperta é algum ambientalista que vem dar o socorro? Os militares tem seu valor sim, bem como o trabalho dos ambientalistas sérios também tem e muito! Todo mundo quer ter seu terro limpinho e gramado e reclamar do terreno dos outros...RESPEITO é por onde começa a civilidade e é disso que estamos precisando com urgência!
 
Magda Correa em 06/02/2014 10:09:43
PLANTE 1 ÁRVORE
Tenho para venda a R$ 2,00 a unidade ou a R$ 1,50 em maiores quantidades, 10.000 mudas de IPÊ ROXO. Quem interessar, envie email para karllosfernando@ibest.com.br
A questão não é desmatar e sim REPLANTAR.
 
CARLOS FERNADO em 06/02/2014 09:49:32
Para os que deteem o desconhecimento, e lógico, para aqueles que não servirão ao serviço militar, nosso país, assim como qualquer outro, precisa de segurança, está na lei mais antiga que existe. Essas pessoas dormem tranquila em sua cama porque existe uma proteção soberana e com certeza não é a polícia. Para os que não tem o que fazer, vão achar algo para fazer e parem de ficar falando bobagens, porque o pulmão de nossa cidade é o Parque dos Poderes, a reserva, porque essa área do Exército é uma área como qualquer outra e só tem mato porque nunca foi preciso. E se houvesse um loteamento como vários que tem em Campo Grande?
 
Rozivaldo Gomes em 06/02/2014 09:34:48
Sr. Fernando, o senhor só foi infeliz ao expor os seguintes posicionamentos "(...)a área é deles, que façam o que bem entender!(...) não é bem assim, trata-se de uma ação humana em uma área de preservação ambiental. Por a acaso o senhor já ouviu falar em Desenvolvimento Sustentável, Bioarquitetura e Planejamento estratégico de desenvolvimento urbanístico. Pois então, é o possível construir respeitando a natureza. Segunda colocação "(...) Sou super a favor do exercito fazer o que bem entender(...)" Senhor Fernando a Ditadura não acabou? Quero deixar claro que admiro o trabalho da nossa Defesa, por exemplo, a missão no Haiti. Entretanto, não concordo com sua colocação, acho que é uma visão muito egocêntrica!
 
Gleica Medeiros em 06/02/2014 09:28:11
"Pulmão da capital" ahahahah
Esses "ambientalistas" deveriam procurar algum serviço, tem um terreno baldio ao lado de casa, se quiser, empresto a enxada
 
Lucas Engel em 06/02/2014 09:16:51
Geraldo Raspante o Joaquim Barbosa, aquele que é amigo do empresário brasileiro que está foragido no exterior ou então aquele que julga casos semelhantes mas da destinação para eles conforme o seu interesse... Esse Joaquim Barbosa não me agrada, cumpriu com o seu dever em relação ao mensalão, mas só o fez porque era de interesse dele e dos seu aliados, e não fez mais do que sue obrigação
 
Pedro Gomes em 06/02/2014 09:13:04
Então, falar sem conhecimento de causa é fácil, o Exército não está aqui para defender a cidade de Campo Grande, está em Campo Grande para defender a fronteira do País. Recordem que temos um grupo guerrilheiro já atuando no Paraguai e em outros países da América Latina. O Exército faz o serviço deles sim, ao contrário que muita gente pensa. E é por isso que o Brasil não tem FARC e outros grupos semelhantes atuando em nosso território.
As Forças Armadas do Brasil trabalham bem e não iriam iniciar uma construção desse vulto sem as devidas licenças.
Confio neles hoje e sempre confiarei.
 
Emmanoel Tolentino em 06/02/2014 09:11:10
a uns anos atras falaram que ali era uma reserva para nao mexerem mas imagine se hum fazendeiro destroi uma reserva imagina o exercito que tem mais poder
por que nao construir la perto do aeroporto la tem campo sem mata nativa
e ja foi feito outro quartel
a proposito fernando correa descordo do seu comentario vc derepente e militar e daqui uns tempo vai embora daqui
 
rogerio dornelles em 06/02/2014 09:07:35
A área não é urbana? porque não? o que há de errado? "esses eco-chatos!!!!"
 
NILTON TEODORO em 06/02/2014 09:03:53
Bando de ecochatos. Exercito não precisa de autorizações de autarquias municipais e estaduais para construir dentro de seu próprio terreno, que pertence à união, às forças armadas. E tem que construir mesmo. Uma área que todo ano dá problema porque uns cabeça de pano ve o mato seco e tacam fogo. Sem falar que essa idéia de "pulmão" é mais ultrapassada que usar pantalona. Todo aluno primário sabe hoje em dia que arvores tiram o CO2 do ar de dia e devolvem a noite a mesma quantidade. E que naquela região não tem nenhum "animal em extinção" pois é área de treinamento do exercito. Não é nem nunca foi área de preservação ambiental. E estes ecochatos reclamam pois não é a casa deles que fica a mercê de cobras, lagartos, insetos vetores de doenças. parecem a turma dos diretos huma
 
WILSON ROBERTO FERREIRA MENDES em 06/02/2014 08:57:39
Além de não ter licença municipal, estranhamente é uma das poucas áreas na cidade que não foi obrigada a fazer calçada e colocar piso tátil. Por que será???
 
Maria Lima em 06/02/2014 08:54:13
Sem dúvidas vai mudar a temperatura dos bairros adjacentes. É o preço que se paga pelo progresso.
 
Fabio Pellegrini em 06/02/2014 08:52:58
Mais respeito com quem defende o país quando todo o resto falha.
Militar não faz greve, militar dá suporte quando todo o resto falha. Quando o bicho pega, quando a coisa fica feia.
Vai construir quartel onde? Em cima das árvores? Aonde for feito vai ser desmatado. é normal isso desde os primórdios da civilização.
Quem aqui tem conhecimento TÉCNICO e não amador pra dizer o que o Brasil precisa ou não em relação às forças armadas?
Quero ver repetirem que tem muito quartel quando começar a guerra civil. Do jeito que a coisa está feia não vai demorar muito, todo mundo que acompanha o cenário nacional sabe disso.
Ecochatos não vão defender o país qndo a coisa ficar bem feia. Serão os primeiros a sair correndo com seus cartazes feitos de papel não-reciclado!!
 
Afonso Benites em 06/02/2014 08:44:25
Segundo a ONU, cada indivíduo é responsável por quatro metros quadrados de vegetação. Quantos indignados aqui não tem sequer um vaso de flores no ap ou na residência. Como Biólogo ou meu exemplo, meu quintal tem 43 espécies vegetais, na maioria frutíferas. Essa é a hora e a vez do ditado: O que tu fazes, fala tão alto que não ouço o que tu dizes...
 
Valter Loeschner em 06/02/2014 08:43:11
Fernando, não é bem assim a área é deles e eles fazem o que quiserem, se for assim os fazendeiros vão desmatar as fazendas por completo e aí ferrou meu amigo, tanto que existe lei em que a propriedade tem que ter uma porcentagem, não sei se é de 15% ou mais, da área total que não pode ser desmatada, se desmatar o proprietário além da multa milionária tem que replantar tudo de novo, se for próximo à rio então o cara tá enrolado.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 06/02/2014 08:39:05
TAÍ,UMA SOLUÇÃO PROS TERRENOS SUJOS,MANDAR O EXERCITO LIMPAR,ACHO QUE SERIA UMA SAIDA .........................
 
solange obara em 06/02/2014 08:25:44
Na verdade, o que precisa é tirar esses homens dos quartéis e dar a eles uma função digna, por exemplo, colocá-los nas ruas para dar segurança à população.
 
jose spencer em 06/02/2014 08:10:22
Acho totalmente desnecessário esse desmatamento, esse tipo de atitude é uma falta de respeito e de caráter. Nossa capital tem que ter políticas verdes, onde o meio ambiente natural deve ser respeitado, vários países pelo mundo, principalmente na Europa adotam políticas ambientais, nós aqui no estado vendemos o turismo sustentável mas praticamos uma política contraria, enfim vivemos em um paradoxo onde o faz de conta prevalece não apenas para inglês ver e sim para o mundo todo! É uma vergonha! Sem contar que nossa maravilhosa cidade esta em um abandono total, será que falta vergonha ou competência por parte de quem administra a nossa cidade? A pergunta fica no ar...
 
Johnny M. Larroque em 06/02/2014 07:54:42
A área é militar, então não esperem que vire parque de passeio.
E, alguém vai bater de frente com o exercito? Ele estão por cima da lei.
 
Romeu Luitz em 06/02/2014 07:54:17
deixa eu com uma área particular i la e desmatar só para ver o que eu levaria como e o quartel nada disso vai acontecer???
 
jose souza em 06/02/2014 07:52:12
PRA QUE MAIS QUARTEL: FALTA HOMENS, EQUIPAMENTOS, ALIMENTAÇÃO......
 
PAULO SOUZA BRASIL em 06/02/2014 07:50:31
Não fale bobagem Maximiliano, os quartéis não são apenas para defesa do Estado; é uma questão de segurança da área de fronteira e Mato Grosso do Sul é um ponto altamente estratégico, defender nossa divisa é defender o país.
 
Nicolas Silva em 06/02/2014 07:40:12
Meu Deus, para que mais regimento etc...?
Uma que em epoca de paz, as forças armadas poderiam sim, ajudar na segurança da população!
o recurso poderia ser para um exemplo classico, hospitais!
E NOSSO BRASIL
 
Anderson Silva em 06/02/2014 07:32:58
Brasil precisa do exercito e nas fronteira, para impedir o contra bando,não e está gastando com obras faraônicas, por esses povo para trabalhar está dando muitas despesa, para o governo.
 
Hélio guedes de souza em 06/02/2014 06:50:30
Se ali não fosse area militar já nao existiria mais nada de mato,talvez fosse uma obra inacabada do Pedrossian,tipo a rodoviaria ou um bairro de pobre.
 
antonio alves em 06/02/2014 04:25:29
A área em questão não é área de preservação ambiental e muito menos o pulmão de Campo Grande. Não compete a SEMADUR, PLANURB ou SEINTRHA licenciar esse tipo de empreendimento e sim o IBAMA, que emitiu a Licença de Instalação e a Autorização de Supressão Vegetal. A construção de um novo quartel neste local irá valorizar os imóveis do entorno dentro de um raio de aproximadamente até 2km. Irá gerar muitos empregos diretos e indiretos por um período aproximado de três anos.
Todos os estudos ambientais solicitados pelo IBAMA foram feitos e aprovados, pois sem isso não teria a LI e nem a ASV.
 
Pedro Henrique Cardoso em 06/02/2014 02:16:44
Se Campo Grande não sediasse o CMO e BACG entre outros, nossa capital acredito que nem existiria!...A população precisa "estudar" um pouco a história de nossa cidade antes de pensar e falar bobagem!!
 
Paulenir de Barros em 06/02/2014 00:34:53
Porque o quartel não se muda lá para os fundos da vila popular? na altura da fazenda da embrapa?atualmente ele está muito dentro da cidade,tem que preservar as areas verdes da nossa cidade,se não as temperaturas podem ser mais quente,pois quanto mais asfalto mais calor.
 
antonio costa em 06/02/2014 00:22:19
A função das Forças Armadas é defender a Soberania da nação brasileira e não somente do estado de MS.
 
Bruno Casanova em 05/02/2014 23:57:07
Meus professores, na escola, sempre diziam que a Amazônia era o "pulmão" do mundo. Eu sempre acreditei nessa idiotice. Depois, aprendi que isso não passava de vaticínio escatológico. Outra coisa que aprendi - também fora da escola - é desconfiar de matéria tendenciosa. Muitos "especialistas" são ouvidos, mas na notinha de rodapé, o CMO aparece e esclarece tudo. Afinal, o terreno é deles e eles tinham autorização para fazer desmatar a área.
 
Ivan Ilitich em 05/02/2014 23:53:00
Justamente, pra que mais um quartel, constrói ae uma escola um hospital!
 
ygor bueno em 05/02/2014 23:45:35
Não sabia que isso está ocorrendo. É uma das maiores VIOLÊNCIAS contra a Fauna e Flora que protege a Vida dos animais, aves, e vegetais "albergados" na área urbana da nossa capital. Atitude desastrosamente MAQUIAVÉLICA. Ambientalistas vamos para a Afonso Pena colher assinaturas, pelo menos pra tentarmos conter essa desastrosa agressividade do ANIMAL HOMEM, contra os verdadeiros animais, puros e inocentes.
 
João Batista Paiva em 05/02/2014 23:37:23
Esperávamos uma construção desta natureza, pelas forças armadas brasileira exatamente onde está necessitando de proteção!!!!!!!!!! COMBATE AS DROGAS NAS FRONTEIRAS BRASILEIRAS.
Mas são das obras que vem as sobras. R$R$R$R$R$R$RR$
 
ROBSON LEIRIA MARTINS - Líder Comunitário e Advogado - Aero Rancho em 05/02/2014 22:49:45
Depois o pessoal fica falando: ai, ele é militar, como se fosse um diferencial enorme. Lamentável.
 
Fernando Giardino em 05/02/2014 21:57:52
Concordo plenamente com o Maximiliano, para que mais quartéis? Eles só atrapalham o desenvolvimento da cidade. Deveriam ser levados para lugar mais distante e em seu lugar criar-se-iam vários parques ecológicos nos moldes do Parque das Nações Indígenas e Horto Florestal.
 
Hugo Alves em 05/02/2014 21:56:43
acho uma obra desnecessária uma vez que ha quantos ih quantos anos existe esse 9º batalhão, destruir uma área verde, pra que gente, só para fazer os recrutas ficarem limpando o dia inteiro, cabeça vazia já viu né, só pensa besteira.
 
helton cortez em 05/02/2014 21:27:54
As nossas forças armadas estão sucateadas e ultrapassadas, o investimento em novo quartel é justificável e aplaudido, serão desmatados apenas 20 hectares, e outra porque esses ambientalistas não vão protestar lá no lixão de Campo Grande onde há um gigantesco desastre ambiental. Só querem protestar onde é perto da casa deles.
 
Marcos Wild em 05/02/2014 21:14:38
éeeeeeeee com tudo acabando no mundo, o nosso estado tinha que dar exemplo e preservar o que ainda resta! com tanto predio do exercito e ainda estao criando mais um, deve ser porque guerra avista sem dizer o que faz tantos veiculos, onibus e carretas novas naquele local, para onde vai tudo aquilo? ``ìndignado``
 
paulo henrique de alencar lima em 05/02/2014 21:14:24
Eu não entendo para que mais quartel em Campo Grande. Deveriam levar todos para as fronteiras. Eu nasci e me criei em Campo Grande , tenho 60 anos de idade e nunca entendi o porque de tantos quarteis na cidade. Anos e anos vendo os soldados fazendo nada, quando muito cortando gramas do quartel ou cuidando do jardim da casa de algum oficial. Isso mesmo cuidando do jardim da casa de algum oficial e sendo pago com o dinheiro do povo. Para que quartel? Está área em questão deveria ser desapropriada pela prefeitura e preservada como reserva. Cade a ambiental? Estão desmatando um pedaço de Campo Grande!! Os senhores não vão agir? Os senhores não vão multa-los? Estão com medo de ´perder o emprego? Tenham vergonha na cara!!
 
Alfredo Carvalho em 05/02/2014 21:05:08
Vai um cidadao comum derrubar uma arvore na frente da sua casa. Eh processado e ate preso. Ja o governo, o exercito, os bandidos fazem o que querem. Eh isso ai Brasil!!!
 
Jose Goncalves Ferreira em 05/02/2014 20:44:08
Já há um projeto de um deputado federal de MS, propondo ao Exército a troca dessa área com uma outra área, cedida pela prefeitura de Campo Grande, mais afastada. Ficando o Exército com a área dos quartéis, Colégio Militar e vila de casas de militares já construídas.
Toda a área verde seria urbanizada pela Prefeitura da Capital.
 
JOSÉ ROBERTO MOURA em 05/02/2014 20:35:10
Parabéns ao Ibama. Estão fazendo seu trabalho certinho.
Não falta muito para Campo Grande virar SP. Só fumaça, concreto e rios mortos.
 
Francis P. Lucas em 05/02/2014 20:26:26
ja ouviram falar do sisfron??? então, é o maior nucleo de defesa aerospacial feito em 20 anos, e uma das bases sera este batalhão. isto ja esta no plano de DEFESA NACIONAL a decadas!!!! mais facil mudar campo grande de estado do que o quartel.
 
jorge pereira em 05/02/2014 20:24:46
Quem licencia o exército é o IBAMA, conforme a legislação vigente. Pois existe a questão de segurança nacional. Apesar de não ter visto a licitação para supressão desta área. Posso ter perdido alguma coisa neste sentido.
Quanto ao corte de árvores, dito no artigo, a SEMADUR só pode legislar nas plantas que estão na área externa das casas. No interior do imóvel ela não legisla. Ocorreu um fato no condomínio onde eu morava, e tentei fazer uma denuncia a SEMADUR e recebi esta informação.
 
Andrielly Alves em 05/02/2014 20:05:50
Esses ambientalista não teem o que fazer,vão verificar a qualidade de vida da população que nem rede de esgoto e agua tratada tem,os corregos da cidade todos poluidos,alguem está de olho nas terras do exercito. fiquem esperto
 
odevair de brito oliveira em 05/02/2014 19:55:58
Onde estavam os ambientalistas quando foi noticiado que a construção de grandes prédios estava "matando" nascentes em Campo Grande?
 
nilza Caruso em 05/02/2014 19:40:31
"mas provavelmente eles não têm essa licença."
nem sabe do que ta falando.
 
Felipe Corrêa em 05/02/2014 19:26:07
É um absurdo, o exercito já desmatou para construir uma vila e recentemente desmatou mais ainda, construiu mais casas, nós trabalhadores pagamos aluguel ou prestação das nossas moradias e os militares ganham os seus salário e que paguem aluguel, agora desmataram pra construir um prédio, que quase não se percebe, mas tá lá no meio e agora observamos o aumento das aves em nossos quintais, aqui em casa não sobra uma goiaba pra ninguém, é maritaca, sabias, araras, tucanos e outros.......precisamos ir pra frente do quarte protestar...
 
Ana Maria Lopes Campos em 05/02/2014 19:10:38
Apoiado Maximiliano.
Realmente não precisa.
 
Adriana Oliveira Cândido em 05/02/2014 19:07:23
Para que mais um quartel em nossa cidade. Precisamos construir mais escolas profissionalizantes para nossos jovens.
 
Ronilço Guerreiro em 05/02/2014 19:01:56
você acha que a autoridade máxima de segurança publica no brasil, precisa pedir autorização pra prefeitura pra construir algum prédio, ainda mais em propriedade que todos sabem que é das forças armadas? eles conversam é com os (donos dos porcos) e não dão ouvidos a ambientalistas comprados de meia tigela, que vivem tagarelando as custas de ONGs.
 
Renato Freitas Nascimento em 05/02/2014 18:37:17
NÃO SEI PARA QUE TANTO QUARTEL EM CAMPO GRANDE TINHA QUE SER NA FRONTEIRA DEPOIS FICAMOS COM FRONTEIRA DESPROTEGIDA ELES NÃO SÃO PARA PROTEGER NOSSAS FRONTEIRAS
 
claudinei braz de lima em 05/02/2014 18:28:55
Por que será que "ambientalista" gosta de mentir para conquistar adeptos? Vejam que disseram ser 460 hectares, quando na verdade são apenas 20 hectares. Faça cortesia com chapéu próprio. Compre terras plante floresta e pare de criticar outras pessoas ou instituições.
 
FAUSTER ANTONIO PAULINO em 05/02/2014 18:24:55
Linnnndo demais, daqui a pouco se vai outro parque de poderes....horto florestal, parque das nações indígenas e por ai afora, deveriam ser ser como na canção, guardiães da pátria; daí......., de quem mais esperar ações no sentido . Quem sabe Joaquim Barbosa......
 
Geraldo Raspante em 05/02/2014 18:16:53
Gente... a área é deles, que façam o que bem entender!
Se Campo Grande não tem mais árvores é por culpa dos moradores que sempre quererm tira-las do caminho pra colocar uma saída pra carro. Outra culpada é a prefeitura que deixa as empresas de energia arrancarem fora as árvores... Quem quer planta, que coloque uma árvore na frente de casa.
Sou super a favor do exercito fazer o que bem entender. Esses nossos ambientalistas deveriam eh estar preocupado é com as capivaras no parque das naçoes... lá é que falta árvore pra elas. Outro problema é que tem muito asfalto.
 
FErnando Correa em 05/02/2014 18:15:36
Pra que mais quartel em Campo Grande? Chega de forças armadas, o que tem já é suficiente para defender o estado.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 05/02/2014 17:55:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions