A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

17/10/2014 14:07

Expansão de serviço de esgoto pode aliviar poluição do Rio Anhanduí

Caroline Maldonado
Integrantes da Comissão de Acompanhamento do Enquadramento do Rio Anhanduí visitou os principais córregos de Campo Grande (Foto: Divulgação/Águas Guariroba)Integrantes da Comissão de Acompanhamento do Enquadramento do Rio Anhanduí visitou os principais córregos de Campo Grande (Foto: Divulgação/Águas Guariroba)

Único rio que passa por Campo Grande, o Anhanduí é foco de uma articulação entre o a Prefeitura Municipal, o Governo do Estado e a concessionária de água e esgoto Águas Guariroba, que pode melhorar o estado da água poluída, segundo a gestora do Imasul (Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul), Celina Aparecida Dias. Dados estão sendo colhidos para descobrir se as águas são beneficiadas com a expansão do serviço de esgoto, a partir do programa Sanear Morena 3, que teve início esse ano e está previsto para abranger toda na cidade até 2025.

Veja Mais
Prefeitura atribui poluição de rio Anhanduí a esgoto clandestino
Câmara realiza hoje última audiência pública em Anhanduí

A Comissão de Acompanhamento do Enquadramento do Rio Anhanduí visitou nesta quinta-feira (16), os principais córregos de Campo Grande em pontos de coleta de amostras do Programa Córrego Limpo, realizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur) em parceria com a Águas Guariroba. Dentre os córregos vistoriados, estão o Segredo e o Prosa, cujo o encontro faz nascer o Rio Anhanduí, em frente ao Horto Florestal, na avenida Ernesto Geisel.

De acordo com Celina, as amostras coletas serão utilizadas em uma avaliação para saber como está a evolução da qualidade das águas. “A expansão do esgotamento sanitário em Campo Grande é importantíssima para a evolução da qualidade dos rios. Temos dados anteriores ao Programa Sanear Morena, que é o projeto da empresa concessionária para ampliar a rede de esgoto a cidade, e eles mostram como era a situação destes córregos”, afirma a gestora do Imasul.

O trabalho de enquadramento do Rio Anhanduí segue as normas estabelecidas pelo decreto 357 do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), sobre a classificação dos rios. “Posteriormente, iremos juntar todos estes dados, inclusive do Programa Córrego Limpo, para que possamos avaliar o que vem acontecendo ao longo dos últimos anos e ver se este enquadramento está sendo respeitado”, explica Celina.

Segundo o gestor de Meio Ambiente e Qualidade da Águas Guariroba, Fernando Garayo, o papel da concessionária como integrante da comissão é contribuir com informações e acompanhar de perto o que está sendo cumprido no quadro de metas para o reenquadramento do Rio Anhanduí e seus afluentes. “A Águas Guariroba se utiliza dos recursos hídricos da cidade, e temos as nossas ETEs (Estações de Tratamento de Esgoto) que contribuem para a preservação destes rios urbanos para que eles não sejam impactados com o agente poluidor que é o esgoto. Nesta comissão, estamos acompanhando de perto a evolução da qualidade dos córregos proporcionada também pela expansão do serviço de esgotamento sanitário na cidade”.

Também integram a Comissão de Acompanhamento do Enquadramento do Rio Anhanduí representantes da Sanesul, Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul) e Fiems (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul).




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions