A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

08/02/2011 08:54

Fazendeiro é multado em R$ 30 mil por causa de erosão na propriedade

Ricardo Campos Jr.

Matas ciliares, nascentes de córregos e várzeas foram degradadas

Erosão provocou assoreamento em cursos d'água na fazenda. (Foto: Divulgação/PMA)Erosão provocou assoreamento em cursos d'água na fazenda. (Foto: Divulgação/PMA)

Policiais militares ambientais multaram o proprietário rural Paulo Cardim, 60 anos, em R$ 30 mil por causa de vários processos erosivos na fazenda dele, localizada na cidade de Deodápolis (distante 252 quilômetros de Campo Grande). Foi constatada degradação de matas ciliares, nascentes de córregos e várzeas.

O gado era criado dentro de áreas de preservação permanente e o pisoteio nessas regiões provocou as erosões. Por lei, segundo a PMA (Polícia Militar Ambiental), é obrigatória a conservação do solo nos locais que sofrem intervenções por causa da pecuária.

A área foi interditada e 200 cabeças de gado apreendidas. Cardim, além da multa, foi notificado a apresentar um PRAD (Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas) junto aos órgãos ambientais num prazo de 60 dias.

Ele vai responder por crime ambiental e, caso seja condenado, poderá pegar de 1 a 3 anos de prisão.

De acordo com a Polícia Ambiental, a recuperação das áreas degradadas pode ser feita voluntariamente desde que acompanhada por um responsável técnico e comunicada ao órgão ambiental competente.




VAMOS ORIENTAR PRIMEIRO, NOTIFICAR PARA QUE O PRODUTOR RESOLVA O PROBLEMA DENTRO DE UM PRAZO RAZOAVEL. SE ELE NÃO RESOLVER, AI SIM, DEVE-SE MULTAR E PROCESSAR. OS ORGÃOS DE MEIO AMBIENTE DO GOVERNO DO ESTADO, NÃO ORIENTAM, NÃO TEM RECURSOS E NEM CONDIÇÕES DE TRABALHO. O GOVERNADOR TEM QUE DAR MAIS RECURSOS PARA ESTES ORGÃOS. NÃO SE PODE MULTAR E PRENDER PRODUTORES RURAIS HONESTOS.
 
NELSON DIAS NETO em 08/02/2011 09:32:29
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions