A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

01/09/2015 12:37

Focos de queimadas crescem 24% em relação a todo o ano passado

Viviane Oliveira
Incêndio em uma área grande de Corumbá. As chamas se alastraram o fogo se tornou de grande proporção. (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)Incêndio em uma área grande de Corumbá. As chamas se alastraram o fogo se tornou de grande proporção. (Foto: Anderson Gallo/Diário Corumbaense)

O número de queimadas de janeiro até agora já ultrapassa em 24% o total de ocorrências registradas durante todo o ano passado em Corumbá, distante 419 quilômetros de Campo Grande. Em 2014, foram contabilizados 1.055 focos, enquanto este ano já são 1.317. Cerca de 90% dos incêndios são causados pelo homem.

Veja Mais
Queimadas aumentam 73,7% em relação a 2014 e população é principal causadora
Domingo será de calor e chuvas com trovoadas em todo o MS, alerta instituto

De acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), somente no mês de agosto foram registrados 758 focos de incêndio na Cidade Branca, município que lidera o ranking de queimadas no Estado. Em segundo lugar aparece Aquidauana com 159 e, em terceiro, Porto Murtinho com 140. No total, em todo Estado já são 2.650 focos, o que significa aumento de 8% em relação ao ano passado, quando foram 2.439.

A maioria das queimadas são causadas pelo homem e como o tempo está muito seco e ventando, o fogo se propaga rapidamente, causando prejuízo ao meio ambiente e a saúde. O gerente estadual do PrevFogo, do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis), Breno Afonso Souza da Silva, afirma que do dia 1º de julho até agora, foram 150 chamados para conter incêndios florestais.

A maior parte ocorreu no mês passado, quando foram 100 casos. “As pessoas aproveitam o tempo seco, tanto na área rural, quanto urbana, para colocar fogo em lixo e restos de podas, mas nós orientamos durante palestra que pode ser feita a limpeza da área usando a compostagem e a selagem”, destaca.

Na área urbana da cidade, a situação não é diferente e até a primeira quinzena de agosto foram 44 casos em terrenos baldios. “As vezes o próprio morador que ateou o fogo aciona o Corpo de Bombeiros, porque não imaginava a proporção que o incêndio tomaria, diz o sargento da corporação, Vander Gomes.

Ele acrescenta que em média, os bombeiros da cidade atendem de 3 a 4 chamados por dia. Vale lembrar que incendiar terrenos baldios e pastagem é crime e quem for flagrado colocando fogo pode responder por crime ambiental, além de pagar multa.

Tempo seco - O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu alerta para perigo de incêndio florestal. Hoje, por exemplo, a previsão é de temperatura na casa dos 38ºC em Corumbá e umidade relativa do ar em 25% no período da tarde. O ideal para a saúde humana é umidade em 60%. Não há previsão de chuva para os próximos dias no Estado.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions