A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

17/08/2012 17:42

Ibama cogita aumentar número de brigadistas em Corumbá

Gabriel Neris

Atualmente, são 47 pessoas trabalhando contra os focos de incêndio, entre brigadistas, voluntários e militares do Corpo de Bombeiros e PMA

De acordo com o INPE, Corumbá registrou até quinta-feira 1.191 focos de incêndio em agosto (Foto: Ibama)De acordo com o INPE, Corumbá registrou até quinta-feira 1.191 focos de incêndio em agosto (Foto: Ibama)

Os 1.191 focos de incêndio registrados pelo satélite do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) no mês de agosto, em Corumbá, deixaram o sinal de alerta ligado na Coordenação Nacional do Prevfogo.

O coordenador estadual do Prevfogo, Márcio Yule, disse que “existe uma sinalização” para acionar novos brigadistas de várias partes do país e também de Mato Grosso do Sul.

Porém, a preocupação de Yule é em relação ao deslocamento dos combatentes. “A preocupação é a logística. Não adianta ter 500 homens se eu não tiver 100 barcos para deslocar. Preciso pensar na logística de distribuição de alimentos e alojamento também”, conta.

Segundo o coordenador do Prevfogo, o helicóptero emprestado pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) tem sido imprescindível para os combates a chamas.

“Em Corumbá os acessos são difíceis. Existe lugar que não tem estrada e para chegar de barco são 1h40. Sem o helicóptero a gente não tinha feito nada”, enfatiza.

“Existem brigadistas se alimentando na área de combate. A dificuldade é grande por causa da temperatura alta, a baixa umidade do ar e a ventania. São condições prejudiciais ao controle”, complementa.

Outro perigo citado pelo coordenador estadual do Prevfogo é a presença de animais silvestres durante o combate ao incêndio. “Em alguns casos o brigadista entra em perigo. À noite aparecem onças, cobras. O fogo a gente apaga e alguém queima de novo, a vida do brigadista não”.

Hoje, são 47 pessoas trabalhando contra os focos de incêndio, entre brigadistas, voluntários e militares do Corpo de Bombeiros e PMA (Polícia Militar Ambiental).

Corumbá segue na primeira colocação do ranking entre municípios. Nas últimas 48 horas até ontem (16) foram registrados 103 focos de incêndio. Ao longo do ano foram 2.183 focos na Cidade Branca.




Não é possível que em pleno século XXI, com tanta tecnologia, recursos financeiros e criatividade, a classe ruralista não tenha alternativa melhor para renovar pastagens do que esta técnica rudimentar. Puro egoísmo. Resolvem seus problemas e prejudicam a saúde de populações, navegação, aviação, turismo... O dinheiro que gasta-se com brigadistas poderia ser melhor aplicado com educação ambiental.
 
Fabio Pellegrini em 17/08/2012 08:59:27
Bom tudo bem o IBAMA ta fazendo um bom trablaho nas queimadas, porem na area do direito do contribuinte esta nota zero.. A procurdoria do IBAMA tem agindo somente em função de arrecadação sem considerar os direitos constituido na carta magna.. O procurador chefe parece que representa a procuradoria da Venezuela, pais vizinho que se diz democratico porem ditadura pura, veja as decisão e confiram
 
CARLOS LIMA em 17/08/2012 07:11:20
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions