A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

08/06/2012 12:19

Ibama flagra danos ambientais em área disputada por kadiwéus e fazendeiros

Aline dos Santos
Trator foi apreendido pelo Ibama. (Foto: Divulgação)Trator foi apreendido pelo Ibama. (Foto: Divulgação)

Fiscalização do Ibama nas terras disputada por índios kadiwéus e fazendeiros no Pantanal constatou irregularidades ambientais. Na fazenda Baía dos Carneiros, foi constatada a supressão de 1,75 hectares de vegetação nativa.

Veja Mais
Vacinação do gado será prorrogada em área invadida por kadiwéus
Com fazendas invadidas, pecuarista relata prejuízo de R$ 300 mil e teme aftosa

O desmatamento era executado com utilização de trator. Foi emitida multa de R$ 1.750 para a empresa que ocupa a área, que tem sede no Paraná. Um trator e três motosserras foram apreendidos.

Na Fazenda Esteio, havia exploração ilegal de madeira. Foi constatada a extração de 339 peças de madeira das espécies nativas. A multa foi de R$ 4.222,20 e outras duas motosserras foram apreendidas. As propriedades rurais ficam localizadas em Porto Murtinho.

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), uma pista de pouso de 760 metros de comprimento por 30 metros de largura foi construída na área desmatada. A vistoria do MPF aconteceu entre 14 e 16 de maio. A área foi ocupada por indígenas em 27 de abril, que denunciaram os crimes ambientais.

A invasão de 23 fazendas, denominada pelos índios como retomada, foi deflagrada após o STF (Supremo Tribunal Federal)considerar nulos os títulos de terra localizados em área indígena no sul da Bahia. Conforme os fazendeiros, os kadiwéus estavam armados e expulsaram os funcionários.

Segundo o Cimi (Conselho Indigenista Missionário), os índios estão recuperando áreas invadidas pelos fazendeiros, que acabaram conseguindo título de posse da terra, apesar de ser área indígena. A demarcação da reserva dos kadiwéus foi em 1981.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions