A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

17/12/2010 20:34

Ibama treina agentes ambientais para atuarem na Mata Atlântica

João Humberto
Mapa de localização do assentamento dentro da APA do Rio Paraná. (Divulgação).Mapa de localização do assentamento dentro da APA do Rio Paraná. (Divulgação).

Agentes ambientais voluntários do Ibama/MS (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis em Mato Grosso do Sul) vão ser treinados para atuar dentro da APA (Área de Proteção Ambiental) da bacia do Rio Paraná. A área fica no sudoeste do estado e compreende inúmeras ilhas e várzeas que somam pouco mais de um milhão de hectares.

Localizados no bioma Mata Atlântica, na APA das Ilhas e Várzeas do Rio Paraná, o complexo de assentamentos Santo Antonio vai ser o cenário do curso de capacitação que termina neste final de semana no município de Itaquiraí.

Cerca de 40 agentes serão formados no assentamento, com a missão de proteger e flagrar desmatamentos, caça ilegal ou outros crimes ambientais como a pesca predatória nas lagoas, várzeas e rios que cortam toda essa região.

O conjunto de assentamentos Santo Antonio envolve quatro áreas que somam cerca de 17 mil hectares localizados parcialmente em Itaquiraí. No local escolhido para o treinamento dos agentes pelo Núcleo de Educação Ambiental do Ibama moram mais de 600 famílias. Em todo o complexo são 1.166 lotes.

Conforme Natalina da Rocha Vieira, coordenadora estadual do programa de agentes ambientais voluntários do Ibama/MS, os assentamentos ficam ao lado do Parque Nacional de Ilha Grande e estão instalados em uma área originalmente de Mata Atlântica. Por causa disso, há a necessidade de formar uma consciência maior de preservação ambiental na população local, especialmente por se tratar de pessoas que moram na APA.

David Lourenço, superintendente do Ibama/MS, destaca que o curso já é resultado da expedição realizada pela Superintendência em 22 de outubro do ano passado, que percorreu mais de 200 quilômetros ao longo do Rio Paraná, entre Porto Primavera e Mundo Novo. Problemas ambientais de várias naturezas foram encontrados.

“Flagramos construções irregulares às margens do Rio Paraná, canais de drenagem em área de preservação e desmatamentos em nascentes que já ameaçam os recursos pesqueiros da região”, afirma David.

O programa de agentes ambientais voluntários do Ibama vai completar a formação de 150 agentes neste ano. A prioridade é formar e capacitar populações que ocupam áreas de proteção ambiental e se caracterizam por se tratar de populações mais fragilizadas socialmente como ribeirinhos, assentados e índios. (Com informações da assessoria).

Ibama capacita ribeirinhos para protegerem o Pantanal
O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) concluiu neste final de semana a formação de 111 ribeirinhos para ...
Ministério, Ibama e ONGs pedem ação conjunta no Pantanal
Em reunião hoje pela manhã, na sede do Ibama em Campo Grande, representantes do Ministério do Meio Ambiente e de ONG's que atuam no Pantanal discutir...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions