A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

20/03/2012 16:45

Incêndio em terreno baldio de 3 mil metros assusta moradores

Elverson Cardozo e Francisco Júnior
Fumaça tomou conta da região, incomodou e assustou moradores. (Foto: Marlon Ganassin)Fumaça tomou conta da região, incomodou e assustou moradores. (Foto: Marlon Ganassin)

Incêndio em um terreno baldio que, segundo os bombeiros, tem cerca de 3 mil metros quadrados, assustou moradores na tarde desta terça-feira (20), no bairro Santo Antonio, em Campo Grande. A região ficou tomada pela fumaça e fuligem. Apesar do susto, ninguém ficou ferido.

Veja Mais
Cidade tem manhã chuvosa, mas volume continua abaixo da média
Clima chuvoso e com máxima de 36ºC nesta sexta-feira em MS

O incêndio começou por volta das 15h30 em um terreno localizado na rua Afrânio Peixoto, nas proximidades do Instituto Federal. A área está repleta pelo mato e, segundo moradores, o fogo se alastrou rapidamente.

Equipes do Corpo de Bombeiros já estão no local e mantém as chamas sob controle. A suspeita é de que o incêndio tenha sido criminoso.

A técnica de enfermagem Lenise Ramires, de 39 anos, saiu mais cedo do serviço depois que soube da situação. A moradora tem uma casa para alugar próxima ao local. A residência ficou tomada pela fuligem.

Perigo - Proprietária de um imóvel localizado em frente ao terreno abandonado, Silvia Seren, de 36 anos, também teve a casa invadida pela fuligem. A dona de casa relata que a área é da prefeitura e que, por várias vezes, já ligou ao órgão responsável para solicitar limpeza. “A população está cansada de brigar e ninguém fazer nada”, afirma.

O terreno, segundo moradores, está abandonado há tempos. A proliferação de mosquitos e insetos causa preocupação. Silvia relata ainda que, além do risco à saúde, a área é freqüentada por usuários de drogas.

Zenilda Langer, de 41 anos, que também é moradora do bairro, já foi vítima de assaltantes. O criminoso, relatou, estava escondido dentro do terreno baldio.

Miriam Gileno, de 65 anos mora no bairro há 25. Ela também reclama da situação e diz que está cansada de acionar a Prefeitura para que realize limpeza no terreno.




Quero externar minha indignação à respeito de situações como esta, principalmente ao fato de que este terreno nada mais , nada menos pertence à prefeitura municipal de Campo Grande; como contribuintes recebemos multas por não manter nossos terrenos livres de matagais, e infelizmente vemos que órgãos público que deveriam dar exemplos para a população deixam de cumprir o que determina à lei.
 
Roberto Souza em 21/03/2012 09:19:02
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions