A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

13/09/2012 16:45

Ipês tomam conta da cidade e compensam calor em Campo Grande

Elverson Cardozo
Raquel de Paula, aluna do colégio Evangélico. Na quadra da escola, um pé de ipê chama a atenção de quem passa. (Foto: Minamar Junior)
Raquel de Paula, aluna do colégio Evangélico. Na quadra da escola, um pé de ipê chama a atenção de quem passa. (Foto: Minamar Junior)
Ipê tem aproximadamente 50 anos. (Foto: Minamar Junior)Ipê tem aproximadamente 50 anos. (Foto: Minamar Junior)

Eles estão por toda parte, colorindo a cidade e encantando os moradores. Há quem diga que os ipês é uma das características mais marcantes de Campo Grande e deveriam até encabeçar a lista de patrimônios regionais tombados, tamanha beleza.

Veja Mais
Como é ser o dono do ipê "mais bonito do mundo"?
Temporal com chuva de 30 milímetros e vento forte alaga ruas de Dourados

Exagero ou não, o fato é que é que eles dão um novo aspecto à cidade, viram pontos turísticos e acabam compensando o dias de agosto/setembro, que são marcados pelo tempo seco, época em que costumam florescer.

A natureza, generosa, fez com que alguns nascessem em locais pouco prováveis, mas, no final das contas eles acabaram decorando a fachada de uma casa, servindo de arranjo gigante no comércio, emoldurando canteiros, avenidas e até embelezando um bairro inteiro.

Quem tem um em casa cuida para não perder porque sabe o poder que ele têm em dar destaque ao imóvel. Na Vila Espanhola, para achar a residência do militar aposentado José Guilherme Colombo, de 63 anos, basta seguir o rastro das flores que tomam conta de um trecho da rua dos Andradas.

Dois dos três pés de ipês plantados em frente à residência estão em sua “plenitude”, com define o morador. Há 1 semana, ele tem o prazer de avistar enormes cachos de flores nas cores rosa e branco. “Acho que é um hibridismo”, arrisca.

De tanto que encanta teve gente que queria cortar o galho para fazer arranjo de casamento, comenta o aposentado. “Aí não, né?”, brinca, ao afirmar que já perdeu as contas de quantos admiradores pararam para tirar foto ao lado da árvore que ele viu crescer, desde que se mudou de Minas Gerais para Campo Grande.

Na Vila Progresso, um pé da mesma espécie serve de decoração tanto para um conjunto de salas comerciais que estão para alugar na rua Antônio Correa, quanto para o Motel Ipacaraí, que fica na rua de baixo.

Ipê da rua Antônio Correa, na Vila Progresso. (Foto: Elverson Cardozo)Ipê da rua Antônio Correa, na Vila Progresso. (Foto: Elverson Cardozo)
Ipês localizados na rua dos Andradas, na Vila Espanhola. (Foto: Elverson Cardozo)Ipês localizados na rua dos Andradas, na Vila Espanhola. (Foto: Elverson Cardozo)

Já o Rita Vieira parece ser o bairro dos ipês amarelos. Só na rua Ana Brasília há três deles, em casas, terrenos baldios e até no meio do mato. Um dos maiores fica dentro de uma área que comporta mais de cinco apartamentos, na rua Olinda Alves.

A árvore, de tão grande, chega a ultrapassar o telhado do imóvel. Proprietário de um mercado localizado na esquina, Marco Antonio de Silveira, de 55 anos, não perde a oportunidade de registrar tudo com a câmera fotográfica. “É o ipê mais bonito de Campo Grande”, comenta.

Mas a vivacidade do amarelo também está presente no centro da cidade. De longe dá para ver o gigante que sauda, há anos, funcionários, professores e alunos do Colégio Evangélico, localizado na rua das Garças, nos fundos de uma igreja instalada na avenida Mato Grosso.

A árvore, que tem cerca de 30 metros e aproximadamente 50 anos, fica na quadra da escola. “Eu vi esse pé de ipê crescer”, comenta a diretora Maria Madalena Messias, de 74 anos, que já se acostumou a receber visitas de biólogos, curiosos e de jornalistas.

Lourdes Ferreira Veira, de 55 anos, secretária do colégio, conta que há 24 anos tem o prazer de ver o ipê florescer. “Primeiro cai as folhas, depois começam as flores, mas é rápido, dura uns 15 dias, no máximo”, explica.

Na rua Olinda Alves, no Rita Vieira, ipê ultrapassa conjunto de apartamentos. (Foto: Minamar Junior)Na rua Olinda Alves, no Rita Vieira, ipê ultrapassa conjunto de apartamentos. (Foto: Minamar Junior)

Do lado de fora da escola, o que mais se vê é gente registrando o “espetáculo temporário”. Alguns não se contentam e pedem para entrar no pátio da escola. João Carlos Soares da Silva, de 41 anos, mais conhecido como professor Joca, levou a mãe para uma sessão de fotos. “Isso aqui é o espetáculo do ano”, comenta.

A pequena Raquel de Paula, de 10 anos, aluna do colégio, também se rendeu aos flashes e pousou para o Lado B. Se pudesse, contou a garota, teria um em casa. “Mas tem que ver se meu pai vai deixar”, disse.

O que preocupa a diretora da escola é saber que terá de deixar o terreno daqui um tempo porque a área, alugada, será entregue ao proprietário. “Mas eu também vou plantar lá onde a gente for”, finalizou.

Segundo a bióloga Fernanda Scolari, de 29 anos, a vegetação de Campo Grande é secundária, mas na maior parte de Mato Grosso do Sul predomina o cerrado, por isso é comum encontrar ipês no Estado.

Um pé geralmente atinge entre 20 a 25 metros e pode durar anos. “Tem estudo científico de ipê que durou mais de 100 anos”, explicou. “Se tem figueiras centenárias na Afonso Pena porque não pode ter ipês centenários na cidade?”, completou.

Os ipês, antes de florescerem, derrubam as folhas. É a principal diferença com relação às outras espécies, como o Jacarandá. Mas a beleza, além de rara – porque acontece uma vez ao ano -, dura pouco, no máximo 15 dias e depende, acima de tudo, de fatores externos como o clima e o vento. Uma muda de ipê pode variar de R$ 18,00 a R$ 30,00.

Confira a galeria de imagens preparada pelo Lado B




O ipê do colégio evangélico (antes colégio Batista) é maravilhoso e trás muitas lembranças dos meus tempos de escola, em que sentava em baixo dele e aproveitava a sombra e o frescor junto com meus amigos. Hoje o observo pelo vidro do batistério da minha igreja, e é PERFEITO. Bela lembrança.
 
Renata Lopes em 14/09/2012 12:59:03
Bem que poderiam plantar mais ipes em Campo Grande para que a cidade fique bem mais bonita do que já é......
 
Bruna Fernandes em 14/09/2012 09:19:45
Isso é realmente uma beleza única. Existe 2 Ipês amarelos as margens da BR 163, entre Campo Grande e Anhanduí, que estão divinamente lindos tbm. 1 quase em frente ao posto Locatelli e outro mais próximo do Anhanduí. Lindosssssssssssssssss!!!
 
nandyalla aranda em 14/09/2012 09:14:46
Onde estão os compositores de letras de musicas ,que ainda não fizeram uma mostrando toda essa beleza dos Ipes floridos,é muito lindo,aproveitem antes que as flores se soltem para formarem um lindo video.Alô duplas Sul-Matogrossenses.
 
Teresa Moura em 14/09/2012 08:46:26
Eu, como engenheira, faço um apelo a todos os engenheiros e arquitetos: antes de fazer um projeto, vamos analisar bem a existência de ipês nos terrenos, e procurar convencer os proprietários a preservá-los.
 
Monica Lopes em 14/09/2012 08:12:21
É um privilégio ter um espetáculo desses em nossa cidade. Certa vez meu filho, com então 3 anos, viu um ipê no perque dos poderes, no auge de seu amarelo, e me perguntou: "mamãe quem pintou a árvore de amarelo?" Eu respondi: foi papai do céu.
 
Monica Lopes em 14/09/2012 08:07:11
Que bonito em? Isso é coisa do arquiteto do universo.
 
osmiro capistrano da costa em 14/09/2012 08:03:57
SIMPLESMENETE LINDO. ADORO APRECIAR A BELEZA DAS FLORES DO IPÊ.
MAS TEM GENTE QUE NÃO GOSTA. NÃO SABE O VALOR QUE A NATUREZA TEM. VOCÊS ACREDITAM QUE O PROPRIETÁRIO DE UMA CASA PRÓXIMO A MINHA, SIMPLISMENTE CORTOU O PÉ DE IPÊ AMARELO SÓ PARA FAZER UMA M... DE UMA CALÇADA E DEIXAR AQUELE BURACO NO MEIO, TALVEZ PARA PLANTAR OUTRA. NÃO ENTEDI A DELE. SE O BURACO FICOU NA CALÇADA PQ CORTOU O IPÊ?
 
ELIZABETE APARECIDA SILVA em 14/09/2012 07:56:39
Vou sair pela cidade, tirar fotos dessas maravilhas e compartilhar com pessoas de outros Estados...gostaria que essa imagem tocasse o coração das pessoas para que evitem queimadas e a destruição do meio ambiente.
 
Diogo Nojera em 13/09/2012 10:12:25
Eu estudo no Colégio Evangélico desde os 4 anos, agora estou com 9 e acho ele perfeito. Gosto de brincar com as flores que caem, pena que só floresce uma vez ao ano, mas vale à pena ver esta beleza!!!
 
Giovanna Goes em 13/09/2012 09:56:19
TODOS OS DIAS, por três vezes, temos o privilégio de passar por um dos belíssimos exemplares clicados nesta reportagem. Com certeza nos fazem sentir e perceber a vida de uma forma diferente!
 
Cultura Caipira Blog em 13/09/2012 09:46:23
Isto é a nossa natureza, devemos ver esta beleza, e respeitá-la
 
Lude Simioli Junior em 13/09/2012 09:20:35
Simplesmente OBRA DIVINA, o quão é maravilhoso contemplar tamanha perfeição!!!
 
Rafael Medina em 13/09/2012 05:56:11
Simplesmente maravilhosos!!!
 
Tânia Barbosa em 13/09/2012 05:01:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions