A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

13/06/2012 08:38

Metas sustentáveis de produção e consumo serão temas de debate na Rio+20

Carolina Gonçalves, da Agência Brasil

Representantes de governos e da sociedade civil de vários países começam a discutir hoje (13) os caminhos que devem ser adotados para atender a uma população crescente no mundo, sem que a produção de mais alimentos e a demanda maior por água e energia, por exemplo, signifiquem mais prejuízos ao meio ambiente, principal fonte geradora desses recursos.

Veja Mais
Temporal com chuva de 30 milímetros e vento forte alaga ruas de Dourados
Corpo de bombeiros trabalha em alerta para chuva e novos estragos

Durante toda a Rio+20, que começa hoje e vai até o dia 22 no Rio de Janeiro, chefes de Estado e de Governo, representantes do setor privado e de organizações sociais vão tentar solucionar questões como produzir mais, usando mais energias renováveis, menos recursos naturais e gerando menos resíduos. Essa produção é uma das metas que o governo brasileiro espera ver formalizadas pelos mais de 120 países que confirmaram presença na conferência.

A equação acaba esbarrando em outras estratégias defendidas pelo Brasil, como a de um consumo sustentável, que alerta as populações para o seu dever na construção desse modelo de desenvolvimento mais consciente. O que se espera é mostrar que não são apenas os governos e as empresas que têm responsabilidade sobre a crise ambiental, que pode representar prejuízos ao desenvolvimento se não forem adotadas mudanças de postura e comportamento.

O Brasil, por exemplo, é um dos maiores produtores de alimentos do mundo. Acredita-se que o estabelecimento de padrões sustentáveis para a agricultura, com o uso de fertilizantes orgânicos e o controle biológico de pragas, poderia, por exemplo, preservar solos e recursos naturais.

O governo brasileiro quer mostrar que essa prática, que poderia assimilar tecnologias como a fixação de nitrogênio, já desenvolvidas por instituições como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), pode ainda ser associada ao reflorestamento de algumas áreas nas propriedades rurais e à proteção de recursos hídricos. Essa soma, segundo especialistas, resulta em melhores condições nas propriedades, que permitem que a própria natureza continue oferecendo condições para os bons resultados agrícolas.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions