A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

11/03/2016 13:32

MP abre inquérito para investigar se há rejeitos de minério em barragem

Renata Volpe Haddad
Conforme denúncia de empresário, peixes do rio Paraguai morreram devido a rejeitos de minérios que estão na água. (Foto: Divulgação)Conforme denúncia de empresário, peixes do rio Paraguai morreram devido a rejeitos de minérios que estão na água. (Foto: Divulgação)

A 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Corumbá, distante 419 km de Campo Grande, instaurou Inquérito Civil na última terça-feira (8) para averiguar a situação estrutural das barragens de rejeitos de minério localizadas no Morro do Urucum e Morro Santa Cruz de responsabilidade da empresa Vale.

Veja Mais
Imasul monta plantão para monitorar rios e alertar sobre risco de enchentes
Imasul anuncia vistorias semestrais em barragens de minérios do Estado

Conforme a publicação, a promotora de Justiça, Ana Rachel Borges de Figueiredo Nina, determinou ainda o parecer técnico do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) para o saneamento das irregularidades.

Oito técnicos do Imasul vistoriaram em dezembro, 14 barragens nas minas de Antônio Maria Coelho e Morro Urucum, pertencentes à companhia Vale e, numa análise preliminar técnica e visual, não constataram quaisquer indícios que sinalizem a possibilidade de uma ocorrência como a que atingiu a região de Mariana, Minas Gerais, onde 15 pessoas morreram com o rompimento da barragem.

Além da vistoria, foi coletado amostras de água em rios próximos ao local das barragens, para análise em laboratório.

Denúncia - O empresário, Reginaldo Costa, 30, alegou que fez uma denúncia para o Ministério Público, pois com a cheia do rio Paraguai, rejeitos de minério que estavam na borda do rio, foram arrastados para dentro da água.

"Como trabalho com pescarias no Pantanal, estou em contato direto e há 40 dias percebi que o rejeito de minério está indo pro rio o que causou a morte de muitos peixes, mas nas estradas também é possível ver os rejeitos", explica o empresário ao Campo Grande News.

Conforme Costa, ele mobilizou algumas pessoas e denunciou o caso ao ministério. "Quero que isso se resolva, porque está agredindo muito o meio ambiente e o Pantanal", afirmou.

Ainda segundo o empresário, ele não chegou a entrar em contato com a Vale. "Mobilizei muitas pessoas e cheguei a receber ligações da Vale, mas não atendi porque não me interessa o que vão dizer, porque eu sei o que eu vejo todos os dias no Pantanal", informou.

Ministério Público - De acordo com a assessoria da promotora de Justiça, Ana Rachel Borges de Figueiredo Nina, a denúncia sobre a mortandade dos peixes nunca chegou ao ministério e o inquérito foi instaurado devido ao relatório do Imasul encaminhado ao MP no final de fevereiro. 

Imasul anuncia vistorias semestrais em barragens de minérios do Estado
 A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, anunciou que as barragens de resíduos minerais localizadas nos municípios de Ladário e Co...
Imasul fará fiscalização preventiva nas barragens da Vale no Estado
O Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) programa para o próximo dia 7 de dezembro uma ação fiscalizadora nas barragens que armaze...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions