A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

30/03/2014 08:42

MPE investiga se condomínio de luxo está secando lago na Capital

Aline dos Santos e Edivaldo Bitencourt
Lago fica atrás de residencial de luxo. (Foto: Simão Nogueira)Lago fica atrás de residencial de luxo. (Foto: Simão Nogueira)

O MPE (Ministério Público Estadual) investiga degradação ambiental no córrego Cabaça, em Campo Grande. Conforme o inquérito civil 04/2014, pela localização indicada pelo denunciante a degradação seria provocada pelo empreendimento Villas Damha.

Veja Mais
Em 7 dias, choveu 56% do esperado para o mês em município do interior
Quinta-feira de tempo instável, com chuvas durante todo o dia e máxima de 37ºC

Conforme o autor da denúncia, que pediu para não ser identificado, um lago, que abastece o córrego, estaria sendo “seco” de forma propositada. O curso de água fica próximo às BR-163, após o viaduto da avenida Marquês de Pombal.

A agonia do lago, onde já funcionou o pesqueiro Lagoa Dourada, é acompanhada há oito anos por Josi do Carmo, 34 anos. “Se dá pena? Nossa e como. Tinha muito animal, capivara, jacaré. Está reduzindo muito”, conta a moradora do local.

Na margem mais próxima à BR, onde o lago encolhe, o calor era abrasador e acompanhado pelo ruído do tráfego pesado de caminhões. Do outro lado, mais próximo à rua Adolfino de Almeida, no Estrela Parque, o cenário era bem diferente na mesma manhã de sexta-feira.

Quero-queros implicavam com as garças, enquanto as árvores garantiam a brisa e os pássaros, a música ambiente. O lago fica atrás da Villa Damha, um dos vários empreendimentos que se espalham pela região.

Considerando que a denúncia é grave e necessita de apuração imediata, o Ministério Público estabeleceu prazo de dez dias para que a Procuradoria-geral do município apresente cópia integral do processo de licenciamento do empreendimento Villas Damha, localizado na avenida Marquês de Pombal. No residencial de luxo, há imóvel comercializado por R$ 500 mil. 

O poder público também deve apresentar vistoria no local e se manifestar sobre os fatos em apuração.

A Damha Urbanizadora informou, por meio da assessoria de imprensa, que não promoveu nenhuma ação para secar o lago. "A barragem do lago não fica dentro da área da empresa", infomrou. "A Damha também não recebeu nenhuma notificacao do Ministerio Publico Estadual", informou.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions