A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

30/08/2011 18:59

Onça fujona é solta na natureza e será monitorada via satélite

Francisco Júnior

Animal fugiu duas vezes do Cras

Especialistas não divulgaram local onde o animal foi solto. (Foto: Edemir Rodrigues)Especialistas não divulgaram local onde o animal foi solto. (Foto: Edemir Rodrigues)

A onça-pintada que ficou famosa por fugir várias vezes do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) foi solta na manhã desta terça-feira na natureza.

A equipe que fez a soltura não divulgou a região em que o animal, uma fêmea de 1 ano e quatro meses e 58 quilos, foi deixado. Os especialistas temem que isso possa colocar em risco a vida dele. “É um local similar ao seu habitat, de onde ele é proveniente”, garantiu Peter Crawshaw, especialista em felinos do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade.

Segundo ele, não é comum a soltura de felinos que ficaram por longos períodos em cativeiro, mas essa onça em especial provou ter condições de ser inserida novamente na natureza. “Ela é um predador oportunista. Ela é uma lutadora. No período em que esteve foragida mostrou que é capaz de sobreviver. Ela até engordou”, relatou o especialista.

Antes da soltura, uma coleira com rádio transmissor foi colocada no animal para que ele seja monitorado. Com esse equipamento, os especialistas saberão a localização exata da onça, já que a transmissão de dados é feita via satélite. “Com o rádio transmissor podemos saber de todo o movimento do animal, se ele está morto”, explicou relatando que é a primeira vez no Brasil que um animal é submetido a este tipo de monitoramento.

Mesmo com toda essa tecnologia, uma equipe formada por especialistas do Cras e do Centro Especializado de Pesquisas de Mamíferos Carnívoros irá realizar o acompanhamento do animal in loco.

Fugas – A primeira fuga do animal das dependências do Cras aconteceu no dia 29 de outubro do ano passado. A situação provocou até o fechamento do Parque do Prosa. Foi realizada uma operação de busca com policiais militares ambientais, técnicos do Cras e mateiros, homens acostumados a lidar com esse tipo de animais nas fazendas.

Quase dois meses depois, foi recapturada, mas ficou na jaula apenas dois dias. No dia 30 de dezembro, novamente fugiu e foi recapturada só dois meses depois. O caso das duas fugas é inédito no país, assim como uma eventual readaptação de filhotes de onça-pitada a natureza.




parabêns ao CRAS. e que Deus proteja esse animal tão bonito, como diz Carlos Damasceno ,é um tamanho de um troféu porque é parcialmente domesticada, deve ser mais facil de capturar.se for possivel deêm noticias dela para nos leitores amigos da natureza.
 
Teresa Moura em 31/08/2011 11:07:25
Estranho o Cras não divulgar a região em que foi solta, como se alguém fosse varrer uma reserva toda em busca de uma onça e acha-lá, sendo que nem eles com equipamentos especiais e profissionais capacitados conseguiram achar ela dentro do parque das nações indigenas que é relativamente pequeno.
Eis a dúvida, será que esse animal foi mesmo solto na natureza ou foi para o tráfico de animais?
 
Sergio Padilha Ohland em 31/08/2011 08:38:06
Ufa! que beleza, esse animal de volta ao seu habitat.
Era se tempo do estado dispor desse tipo de equipamento (colera com rádio transmissor ). O Mato Grosso do Sul, com uma das maiores riquezas do planeta, que é sem dúvidas a Fauna Pantaneira, precisa de mais atenção, no sentido de viabilizar recursos para os orgãos que desenvolvem trabalho com nossos animais silvestres/pantaneiros.
Espero que esse animal, tenha muitos anos de vida e muitos filhotes.
Boa Dorte a equipe, que irá assistir ao felino.
 
neyde de oliveira em 30/08/2011 11:14:07
Tomara que as "autoridades" no assunto não estejam decretando a morte desse "bichano'; Será que não é por isso que não divulgam para onde ela foi levada? penso que ela já estava domesticada até demais e o que fizeram com ela foi uma tremenda sacanagem, e olha que foi com aval de entendido no assunto. Tá muito esquisito esse "desfazimento" do bicho; Que Deus a proteja pela mãe natureza como criatura sua.
 
Anderson Roque em 30/08/2011 10:31:06
Acho um absurdo soltar o animal com uma coleira enorme no pescoço, com certeza
ela não vai conseguir sobreviver na natureza, onde estão os defensores do animais???
 
suely souza em 30/08/2011 08:29:22
PARABÉNS AO CRAS, AGORA É SÓ TORCER PARA QUE DEPOIS DESTE TRABALHO TODO PARA A BICHINHA PODER FICAR LIVRE NENHUM INCONSEQUENTE METIDO A CAÇADOR ACHE A COITADA E FAÇA DELA UM TROFEU DE CAÇA!
 
CARLOS DAMASCENO em 30/08/2011 07:29:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions