A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

28/12/2010 10:32

Onça “fujona” pode ser levada para zoológico em Foz do Iguaçu

Fernanda França e Ana Maria Assis
Onça está gordinha e com aparência bastante saudável. (Foto: João Garrigó).Onça está gordinha e com aparência bastante saudável. (Foto: João Garrigó).

A onça pintada que fugiu do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) no dia 29 de outubro, e foi recapturada hoje, pode ser levada para um zoológico em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Segundo o secretário de Meio Ambiente do Estado, Carlos Alberto Said de Menezes, a possibilidade começará a ser estudada a partir de agora. Por enquanto, a onça ficará alojada em uma jaula nova, mais reforçada que a anterior, que foi rompida por uma anta possibilitando a fuga.

Conforme o biólogo Vander Fabrício de Jesus, gerente de Pesca e Fauna do Cras, esta seria uma boa opção, já que o animal chegou muito jovem ao Centro de Reabilitação e não teve tempo de aprender a caçar.

De acordo com ele, a onça foi entregue para cuidados com apenas 2 meses de idade. Na natureza, elas não saem do ninho antes de completar 60 dias.

As onças continuam dependendo da mãe durante 1 ano, idade em que são desmamadas e começam a aprender a caçar. Ficam adultas com cerca de 2 anos, passando então a andar sós.

Como a onça que chegou ao Cras não passou por toda essa experiência, não tem condições de voltar ao habitat.

“Como ela sempre teve contato com humanos, se ela for solta no Pantanal, pode acabar procurando a sede de uma fazenda. Ou pode ser morta tentando caçar um animal”, avaliou o biólogo.

A possibilidade da onça estar rondando o Cras ganhou força depois que a filha do caseiro informou ter visto o animal no portão dos fundos do Centro de Reabilitação, no dia do Natal.

Com essa pista, os biólogos começaram a distribuir armadilhas nesta área.

“A onça foi vista a menos de 50 metros do portão”, detalhou o secretário de Meio Ambiente, ressaltando que foram paralisadas apenas as buscas intensivas na reserva do Parque dos Poderes, mas as pistas e rastros do animal continuaram a ser investigados nas proximidades do Cras.

Os policiais ambientais receberam vários chamados dando pistas da onça, em locais distantes do Cras, mas todos falsos, o que levou biólogos, veterinários e a própria PMA a concluir que a onça retornaria.

O animal está com uma aparência muito saudável, e segundo os biólogos do Cras, deve ter se alimentado nestes dois meses de pequenos animais, como queixadas, quatis e pacas.

Ainda não foi divulgado se a onça ganhou peso e nem detalhes de seu estado de saúde, já que ela ainda passará por uma triagem.

Ao todo, o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres conta com 11 onças, sendo 10 pardas e esta única pintada.

Carcaça

Uma carcaça de queixada, semienterrada, foi localizada pela PMA no interior do Centro de Reabilitação.

Isto indica que a onça pode ter se alimentado do animal há alguns dias. Entretanto, somente uma análise poderá confirmar se ela esteve ou não anteriormente nas dependências do Cras.

Zoológico

O Zoológico Bosque Guarani, de Foz do Iguaçu, já entrou em contato com os responsáveis pelo Cras, solicitando a doação da onça.

O local é um exemplo de recuperação de uma área que, antes degradada, foi transformada em um espaço de lazer, educação ambiental e turismo.

Possui área de 40.000 m² e 20 recintos, que são percorridos por meio de trilhas cercadas por onças, tucanos, araras, papagaios, emas, garças, sabiás, cisnes e gralhas, entre outros bichos.

O local conta com intensa vegetação, com cerca de 963 árvores nativas e três lagos, onde foi aproveitada uma nascente.

O acervo de animais do zoológico tem 49 espécies de aves, com um total de 223 exemplares, 3 espécies de répteis, totalizando 16 exemplares e 5 espécies de mamíferos, com 16 exemplares.

Mesmo sem achar onça, passeio em parque será retomado
Os Passeios no Parque Estadual do Prosa com visitação ao Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) em Campo Grande serão retomados no dia 1...
PMA confirma que onça já deixou reserva do Parque
A PMA (Polícia Militar Ambiental) encerra hoje definitivamente as buscas à onça pintada que fugiu no Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestr...



Sr. Vander, me desculpe.. respeito muito o trabalho de vocês, mas dizer que " Para solta-la na natureza precisamos monitorar o animal por muito tempo e ainda não possuímos estrutura suficiente para tal trabalho", quer dizer que é melhor transferir nosso CRAS para um anexo ao zoológico de Foz, cuidem dos animais para eles. Não há re-habilitação no CRAS, sempre pensei que os animais eram devolvidos à natureza. O Governo de MS vai construir um BIG Aquário.. seria mais um zoo, só que aquático, para vcs observarem? A bióloga da Arara Azul é um exemplo maravilhoso de ação por preservação. Boa sorte!!
 
Pedro Antônio em 30/12/2010 08:54:53
Essa onça sobreviveu muito bem em liberdade durante esses dois meses. Não deveria estar nem mais no CRAS. O papel do CRAs é re-habilitar esses animais e não prepará-los para serem atrações em zoológico. Não deviam nem cogitar essa hipótese.
 
Cristiane Cabral em 30/12/2010 08:45:02
pelo jeito a fuga da onça fez muito bem a ela esta ainda mais linda ,por favor deixem ela aqui ela e nossa ..........................
 
rosilene santos da silva em 29/12/2010 10:22:43
Deveria existir uma lei municipal que obrigasse a colocação microships em animais selvagens que estejam em área urbana. Assim quaisquer fugas seriam monitoradas e as capturas seriam muito mais facilitadas.

 
CARLOS KRAUSE em 29/12/2010 10:01:27
Mais um comentário inevitável, se fosse o caso de nos “livrarmos” deste animal era muito fácil solta-lo por aí, pois era soltar e voltar para casa. A mesma foi encontrada na Bacia do Rio Paraná e esse é apenas mais um motivo que impede a mesma de ser solta no pantanal. O trabalho não é feito assim, existe a responsabilidade de profissionais trabalhando dia e noite (biólogos, veterinários, zootecnista, além do corpo técnico e tratadores) para manter o CRAS funcionando e a equipe é pequena, considerando a demanda. Além disso, o CRAS atende estagiários de vários cursos superiores e recebe profissionais que trabalham voluntariamente. Volto a afirmar que zoológico é último caso e se for mesmo essa opção vários critérios deverão ser considerados. O zoológico de Foz do Iguaçu trabalha com a reprodução da onça pintada, um projeto de conservação desta espécie. Para solta-la na natureza precisamos monitorar o animal por muito tempo e ainda não possuímos estrutura suficiente para tal trabalho.
 
Vander Fabrício de Jesus em 29/12/2010 10:01:11
Ridicula a descisão de mandar a onça pra zoologico, ou permanece no Cras ou manda pra natureza, que absurdo, e nem vem com ideia de construir zoologico em Campo Grande, nosso zoologico é a propria cidade, quer ver arara olha pra cima no final da tarde, quer ver tartaruga vai no parque das nações, quer ver qualquer bicho na natureza vá ao parque dos poderes e ande a pé, não há necessidade de termos zoologico. Assim como não ha necessidade de mandar nossa onça para qualquer zoologico do país.
 
MAXIMILIANO NAHAS em 29/12/2010 08:30:29
Infelizmente, para quem não conhece o trabalho de reabilitação do CRAS, é difícil entender os critérios de reintrodução de um animal desse porte na natureza. A equipe do CRAS trabalha com animais silvestres vítimas do tráfico, de atropelamentos e maus tratos. Não é a intenção deste Centro manter animais presos em jaulas ou zoológicos. Esta onça manteve-se viva ao se alimentar de animais mortos que eram enterrados numa área destinada a esta finalidade, animais esses que não puderam ser salvos por já chegarem mortos ou muito debilitados ao CRAS. Infelizmente a maior parte do pantanal é área privada. Poucas RPPNs e UCs tem suporte para receber grandes felinos, ou por já possurem uma população estável ou por serem muito pequenas. Onças são territoriais e dificilmente permanecem nas áreas onde são soltas. Esta onça perdeu uma etapa básica de aprendizagem de caça e procura proximidade com os seres humanos, com a qual não se intimida, se for solta vai procurar sedes de fazendas e animais de criação para se alimentar. Soltá-la pode por em risco pessoas e o próprio animal, por enquanto a mesma é filhote e se sustenta com presas pequenas, mas quando adulta necessitará de presas maiores. A realidade é que esta espécie tem sofrido a redução de seu habitat de maneira drástica e nenhum fazendeiro tem interesse em um animal desses em sua propriedade. Caso alguém saiba como alimenta-la com bolachas pode passar no CRAS para nos ensinar.
 
Vander Fabrício de Jesus em 29/12/2010 08:28:07
Animal deve viver na natureza sera que esse cara que estudou por anos não sabe???
Depois de varios dias, a onça esta alimentada e é o que importa. correto!!!
Agora se ela vai topar com fazendeiros que não gostam dela nas suas propriedades...... o Problema é de quem?
Quem estava la Primeiro? quem destruiu o habitat dela pela ganancia?
VAMOS REFLETIR!!!!!!!!!!!

PS:

1-Hein... só pra saber... quanto em dinheiro o CRAS recebe ao encaminhar esse animal para um zoológico? Porque não é possível uma entidade estar tão empenhada e focada em enviar a onça para outro estado.

2-Esse biologo vai nesse translado da onça??? Se ele for pede pra ir junto com ela dentro da jaula (já que ele sabe o que é melhor pra ela). E o mais importante não esqueça dos pacotes de bolachas.
 
anderson silva em 29/12/2010 04:31:35
Parabéns aos func. e Biologos do IMASUL Instituto de Meio Ambiente de Mato grosso do Sul.
 
Erika Ximenes em 28/12/2010 11:59:14
Se ela sobreviveu todo esse tempo e está saudável, está muito claro que ela se adaptaria solta na natureza (de onde nunca deveria ser tirada). Solte ela no pantanal e a natureza se encarrega do resto, o certo é que uma jaula não é o lugar do felino.
 
VALTER ANTUNES DE OLIVEIRA em 28/12/2010 11:51:41
É impressão minha ou o biólogo Vander Fabrício de Jesus disse que é bom para a onça ir para um zoológico porque ela não sabe caçar???? Nesse tempo que a onça ficou alojada na mata, ela viveu de que? Água de chuva?? Biscoito de água e sal?? Se for, é bom para as pessoas que querem engordar já que onça voltou até mais "gordinha".
Vá entender esses biólogos rs... Isso é só uma desculpa esfarrapada para se livrarem do felino.
 
Eder Granja em 28/12/2010 11:07:09
Sera que o CNAF, não poderia encoleira-la e solta-la em alguma area de reserva aqui no Estado. Pelo visto esse animal tem condições de sobrevivência na natureza, pois sobreviveu dois meses e esta em ótimo estado. É melhor do que deixa-la em prisão perpétua no zoológico.
 
Oldemar Rodrigues em 28/12/2010 10:43:56
Zoológico não é o lugar dela.....
 
Leonardo Reis em 28/12/2010 10:42:37
A Cidade de Corumbá tem mais de 64mil km² (maior que o estado do RJ)....solta ela no centro dessa área...Outra coisa; tem uns intelectuais(se acham) de outro estado palpitando demais aqui em MS..
 
Guilherme Arruda em 28/12/2010 09:59:01
Porque ao invés de doarmos a onça, não criamos um zoológico em campo grande, com animais do pantanal, anexo ao futuro aquário (maior do mundo), pois quando viajo vejo jacarés no aquário do Guarujá; araras, tucanos, papagaios no zoo de Gramado. Em Pomerode-SC tem um belíssimo zoo e a cidade é infinitamente menor que Campo Grande, porém com a mentalidade superior; Portanto, não podemos doar e depois como turistas, pagarmos para ver, os animais que são nossos. vamos acordar MS!!! e políticos responsáveis, agregar valores ao que é nosso, é trabalhar pelo bem comum.
 
Eduardo Barros em 28/12/2010 08:53:56
Pessoal isso é um absurdo! Levar o pobre animal para um Zoológico é uma estratégia para se livrar do mesmo. O lugar da pintada é no pantanal, claro que encoleirada para os biólogos estarem cientes de onde o felino se encontra. A onça ficou 2 meses sozinha, então ela tem sim totais chances de sobreviver na natureza! E MATO GROSSO DO SUL vamos cuidar da nossa maior riqueza, os nossos animais!
 
Renato Cavalheiro em 28/12/2010 07:03:11
A onça e nossa e matogrossense do sul, porque vai transferir ela pra outro presidio? quem cavou o tunel da fuga foi a anta, cade os direito dos animais, a onça e nooosssaa...,...,
 
carlos albuquerque em 28/12/2010 06:28:00
Eu sempre me pergunto: Será que os animais que o CRAS rebece e cuida, em algum momento não tem realmente condições de voltar ao seu habitat natural? Se sim por que não fazê-lo? Se fazem por que não sabemos? Ou precisam justificar os salários de tantos funcionários do CRAS permanecendo com os animais em cativeiro com a desculpa esfarrapada de não mais se adaptarem à natureza. E essa onça se chegou as CRAS com 2 meses e só viveu lá como ela sobreviveu 60 dias longe das jaulas? Ou será que o meu colega ai de cima está certo ela comeu bolachas?
 
Pedro Gomes em 28/12/2010 04:04:58
Acho que seria bom para a onça, se ela for levada para Foz do Iguaçu, ficar na reserva ecológica do parque. Deixar presa dentro de uma jaula no zoo seria horrível . Não sou bióloga, mas, por favor, façam o que for melho para o animal; afinal, ela sobreviveu sem a ajuda humana.
 
Monica Pereira em 28/12/2010 03:48:00
Na verdade ela resolveu voltar, ainda bem que nossa PMA tem que capturar bicho , se fosse para capturar bandido...

 
Silvio Davalo em 28/12/2010 03:25:23
Gordinha !!!!
kkkk
Ela deve ido ao shopping...
pertinho da reserva....
 
Antonio Carlos em 28/12/2010 03:09:25
Onde estão as sociedades protetoras dos animais nessa hora?? agora é hora de intervirem para nao deixar q essa onça vá para um zoológico!! façam alguma coisa!!
 
Ana Paula de Medeiros em 28/12/2010 03:07:59
será que esta onça que fugiu existiu mesmo, ou só foi para sensacionalismo da mídia em mato grosso do sul.e por que quando eles capturaram a onça não chamaram toda a imprensa para mostrar, já mostraram a onça na jaula. na minha opinião essa historía da onça foi para boi dormi. logo no começo culparam a pobre da anta de soltar a onça
 
rafael hiane em 28/12/2010 01:04:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions