A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

31/05/2011 12:17

Onça-pintada que escapou do Cras por duas vezes continua enjaulada

Marta Ferreira

Sete meses após ter ficado famosa por fugir do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), na reserva do Parque dos Poderes, a única onça-pintada abrigada no local continua lá, apesar da intenção já manifestada pela direção do centro de soltar o felino na natureza.

A onça, resgatada ainda bebê em uma fazenda de Água Clara, já tem um ano e meio e hoje é um animal adulto.

A decisão de soltá-la na natureza foi tomada depois de uma segunda fuga, ocorrida em dezembro.

Primeiro, ela fugiu no dia 29 de outubro, o que provocou até o fechamento do Parque do Prosa, onde fica o Cras, para visitas, além da realização de uma operação de busca com policiais militares ambientais, técnicos do Cras e mateiros, homens acostumados a lidar com esse tipo de animais nas fazendas.

Onça continua em jaula do Cras, após ter fugido por duas vezes. (Foto: João Garrigó)Onça continua em jaula do Cras, após ter fugido por duas vezes. (Foto: João Garrigó)

Quase dois meses depois, foi recapturada, mas ficou na jaula apenas dois dias. No dia 30 de dezembro, novamente fugiu e foi recapturada só dois meses depois.

Ou seja, nos últimos sete meses, a onça passou quase quatro meses em liberdade,e conseguiu sobreviver.

O que impede a soltura? Segundo o coordenador do Cras, o biólogo Elson Borges, a onça ainda não foi solta porque falta o resultado de um exame que vai definir de qual região ela é originária, se da Bacia do Paraguai ou da Bacia do Paraná.

Trata-se de um mapeamento genético, feito por um laboratório do Rio Grande do Sul. Esse exame é importante porque a onça só será solta na região de onde é originária, para evitar misturas genéticas.

Como ela foi encontrada na Bacia do Paraná, a hipótese mais provável é que seja de lá, mas o Cras decidiu confirmar isso por meio do mapeamento genético.

A soltura vai obedecer os padrões do Cenap (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros), que forneceu um radio-colar, com o qual será possível monitorar os movimentos da onça.

A notícia de que ela será solta já motivou reclamações de moradores da região mais provável, o Parque do Ivinhema, e após isso, o Cras informou que não será tornado público o local exato onde ela será devolvida ao habitat natural.




Querida Onça,

a hora de vc beber água num riacho bem fresquinho já já vai chegar...coisa mais linda
 
Luciana Villamaina em 31/05/2011 12:57:51
Parabenizo a ação do Cras de confirmar a real origem do animal, pois isso prova que eles realmente estão preocupados com a segurança da onça e que ela está sendo bem cuidada. Não acredito que ela irá causar nenhum problema a população ou qualquer coisa do tipo, uma vez que, quando solta não prejudicou a ninguém, além do mais, o acompanhamento do Cras será muito severo.
 
Ellen H. Gomes - CAC em 31/05/2011 10:01:14
Tudo está invertido: a onça presa e a Beatriz Rondon solta.
Bem,pensando melhor acho que presa ela esta mais segura.Já pensou se estivessem soltado o pobre felino na fazenda da DESTINTA SENHORA...rs,rs,rs....
 
neyde de oliveira em 31/05/2011 09:02:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions