A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

04/11/2013 15:19

Operação Pré-Piracema autua mais de 25 pessoas em menos de 10 dias

Mariana Lopes
Policiais militares ambientais estão nos rios de MS desde o dia 25 de outubro, na Operação Pré-Piracema (Foto: PMA)Policiais militares ambientais estão nos rios de MS desde o dia 25 de outubro, na Operação Pré-Piracema (Foto: PMA)

Em menos de 10 dias da Operação Pré-Piracema, realizada na bacia dos rios Paraná e Paraguai, em todo o território de Mato Grosso do Sul, a Polícia Militar Ambiental autuou mais de 25 pessoas por pesca ilegal ou crime ambiental.

Veja Mais
Previsão é de semana chuvosa em Campo Grande e na maior parte de MS
Dia amanhece garoando e previsão é de chuva na maioria das cidades do Estado

A operação iniciou no dia 25 de outubro e termina amanhã (5), às 8h. A PMA ainda não tem balanço do que foi apreendido durante a fiscalização policial.

Nesta terça-feira, inicia o período da Piracema e a pesca fica proibida em todos os rios do Estado até o dia 28 de fevereiro de 2014.

Na bacia do rio Paraguai será permitida somente a pesca de subsistência para moradores ribeirinhos, que dependem da proteína do peixe para sobreviver. Eles podem capturar três quilos ou um exemplar, e é proibida a comercialização.

No rio Paraná e Paranaíba, a Piracema começou antes, no dia 1º de novembro, mas termina na mesma data, 28 de fevereiro. Nos lagos das Usinas do rio Paraná fica permitida a pesca de 10 kg de pescado e mais um exemplar de peixes não nativos da bacia e exóticos, como Tucunaré, Curvina, Porquinho, Tilápia.

Nos lagos das Usinas do Rio Paraná, para o pescador profissional não há limite de cota para a captura das mesmas espécies, porém, será proibida a utilização de petrechos de emalhar, podendo usar somente, molinetes, linhadas, caniços simples e carretilhas.

O pescador deve respeitar 1,5 mil metros de distância das barragens das usinas. Nesses locais e para essas espécies será permitida a pesca embarcada ou desembarcada.

Fiscalização – Sobre a estratégia de fiscalização, a Polícia Militar Ambiental manterá a mesma adotada nos anos anteriores, contando com todo o efetivo da PMA, que é de 329 policiais.

Serão montados postos nos rios que passam por Água Clara, Rochedo, Santa Rita do Pardo, Aquidauana, Coxim, Miranda, Jateí e Amambai. Também haverá fiscalização com um posto itinerante, que atuará especialmente na área de fronteira com o Paraguai e Bolívia, tanto no rio Paraguai, como no rio Apa.

Será também fiscalizada a região de divisa com o Mato Grosso, pelo Rio São Lourenço e Piquiri, fiscalizando também a área do entorno do Parque Nacional do Pantanal.

De acordo com a assessoria de imprensa da PMA, será priorizada a montagem de Postos Avançados, fixos, nas principais cachoeiras e corredeiras nos rios do Estado e da União, para monitorar os cardumes.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions