A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

21/09/2016 06:58

Órgãos se mobilizam para retirar ninho de arara-canindé de palmeira oca

Renata Volpe Haddad
Araras fizeram ninho em cinta metálica colocada em palmeiras para auxiliar no crescimento e hoje, tem risco de despencar e ferir as aves e pessoas. (Foto: Aline Calderan/ Divulgação)Araras fizeram ninho em cinta metálica colocada em palmeiras para auxiliar no crescimento e hoje, tem risco de despencar e ferir as aves e pessoas. (Foto: Aline Calderan/ Divulgação)

Uma cinta metálica colocada há alguns anos em palmeiras para auxiliar no crescimento das árvores virou ninho de araras da espécie Canindé e isso está causando risco para as aves e pessoas que passam pela região do Parque Linear do Segredo, já que a palmeira está oca e o objeto que pesa quase 10 quilos, pode despencar a qualquer momento.

Veja Mais
Tempestade e fortes ventos devem atingir MS nesta quarta, alerta instituto
Durante a chuva de terça-feira, 69 mil raios atingiram Mato Grosso do Sul

Foi montada uma operação para retirar a cinta metálica que liga duas palmeiras e que mobiliza nesta manhã (21) Corpo de Bombeiros, Exército, Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) e a Prefeitura de Campo Grande. O ninho passará por um manejo diferente e o Instituto Arara Azul acionou as equipes de trabalho para poder salvar os ninhos.

Os filhotes de araras têm aproximadamente uma semana de vida e pesam menos de 50 gramas. A cinta metálica que pesa quase 10 quilos e foi instalada há alguns anos, foi colocada pela prefeitura para auxiliar no crescimento das palmeiras.

De acordo com a presidente do Instituto Arara Azul e professora dos programas de mestrado e doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Uniderp, Neiva Guedes, as palmeiras acabaram secando, o que atraiu as araras. "Porém, com o desgaste causado pelo tempo e os fenômenos naturais, a parte superior dos troncos ficou oca o que aumenta as chances de rompimento há qualquer momento. Tal acidente provocaria a queda da cinta metálica, podendo matar as aves e causar um dano à população que trafega no local,” esclarece a bióloga.

Antes da remoção da cinta, biólogos do instituto serão içados pelo caminhão do Corpo de Bombeiros para retirar filhotes dos ninhos que passarão por avaliação de saúde, pesagem e medição no local.

Em seguida, as palmeiras receberão manejo ambiental para garantir mais segurança aos animais. “O envolvimento de vários órgãos públicos e a luta do Instituto pela conservação das araras, há 26 anos, demonstra que ter essas aves na cidade é realmente um orgulho”, completa.

A ação acontece entre 8h30 até às 11h e a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) também está envolvida e organizará o tráfego no local.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions