A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

27/11/2014 13:36

Policiais recebem capacitação para atuar na proteção ambiental

Priscilla Peres
Militares participaram de curso teórico e prático no Pantanal. (Foto: Bolivar Porto/IHP)Militares participaram de curso teórico e prático no Pantanal. (Foto: Bolivar Porto/IHP)

Curso de qualificação sobre conservação da natureza realizado pela Polícia Militar de Mato Grosso do Sul teve como objetivo capacitar militares para atuar de forma a proteger o Meio Ambiente. Dessa forma, o perfil dos PMAs (Policiais Militares Ambientais) expandiram seus conhecimentos e a proteção dos biomas brasileiros.

Veja Mais
Jiboia de 1,5 metro é encontrada dentro de armário no Monte Líbano
Sucuri de 4 metros é encontrada em hotel, enrolada a filhote de cachorro

Participaram da 12ª edição do curso “Estratégias para a Conservação da Natureza”, nos dias 14 e 22 de novembro, policiais ambientais de vários estados do país e teve aulas teóricas e práticas realizadas no Pantanal. O aprimoramento técnico incluiu metodologias educacionais de preservação e conscientização.

“A educação ambiental desenvolvida pela Polícia Ambiental torna-se hoje muito mais preocupada com a formação do sujeito ecológico, numa perspectiva conservacionista, ante o caráter informativo de fortemente repressivo, para uma atuação preventiva com conhecimento técnico”, afirma o coronel Ângelo Rabelo, ex-comandante da PMA/MS e fundador do Instituto Homem Pantaneiro. Segundo ele, a repercussão positiva que o curso acumulou ao longo dos anos foi determinante para esse processo de transformações.

Um dos primeiros resultados da mudança de pensamento foi a criação da Guarda Ambiental Nacional, pelo governo federal, em 2008, e na atualidade a PMA passar a ter papel estratégico e relevante na conservação dos biomas e, sobretudo, na proteção e controle das bacias hidrográficas. Em alguns estados, como Paraná, Rio de Janeiro e Santa Catarina, as unidades da PMA estão se instalando dentro das reservas e parques.

“Com a crise hídrica em algumas regiões, como São Paulo e o Nordeste, diante da pressão humana nos centros urbanos, a PMA passa a ser um ator efetivo do processo de recuperação e proteção das últimas manchas de nascentes”, observa Rabelo.

Em Mato Grosso do Sul, a PMA tem um exemplo prático da importância na formação de uma força ecológica com outras instituições. A unidade de Corumbá desenvolve um trabalho de fiscalização eficiente no Rio Paraguai, entre a cidade e o Parque Nacional do Pantanal, com o apoio logístico da Rede de Conservação da Serra do Amolar. De Janeiro a novembro, a PMA apreendeu nesta região remota e de fronteira 553 quilos de pescado, abordou 117 pessoas e fiscalizou 47 embarcações de pesca.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions