A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

12/01/2014 08:34

Pontos que valem a passagem ainda são pouco visitados em MS

Mariana Monge
Vista do pico do Morro do Paxixi, do onde é possível contemplar o começo da planície do PantanalVista do pico do Morro do Paxixi, do onde é possível contemplar o começo da planície do Pantanal

Fora das rotas turísticas de Mato Grosso do Sul, o mapa do Estado “esconde” pontos de riquezas naturais que são pouco explorados, porém, dignos de pelo menos uma “paradinha” para desfrutar das belas paisagens.

Veja Mais
Domingo será de calor e chuvas com trovoadas em todo o MS, alerta instituto
Temporal com chuva de 30 milímetros e vento forte alaga ruas de Dourados

Na estrada que liga Campo Grande a Aquidauana, a mais ou menos 150 quilômetros da Capital, o Morro do Paxixi abriga verdadeiras belezas naturais e é um perfeito camarote para quem aprecia o espetáculo do pôr-do-sol sul-mato-grossense.

O passeio pode ser feito em uma tarde. A caminhada ecológica começa no pé do morro e termina no pico, em um local que dá visão privilegiada para contemplar o sol se despedir do dia. E o Campo Grande News foi conferir de perto este presente da natureza.

Início da estrada que leva ao Morro do Paxixi, local onde também começa a trilha para os aventureiros que optam em fazer o percurso a pé ou de bicicleta (Foto: Marcos Ermínio)Início da estrada que leva ao Morro do Paxixi, local onde também começa a trilha para os aventureiros que optam em fazer o percurso a pé ou de bicicleta (Foto: Marcos Ermínio)

O acesso até o morro é pelo distrito de Camisão. Após sair da rodovia, a maior parte da estrada é de terra e a condição da pista é boa. A paisagem é praticamente a mesma observada nos caminhos que ligam as cidades no Estado, com muito pasto, boiadas e vegetação.

Passando Camisão, começa de fato o trajeto que leva até o Morro do Paxixi. A estrada estreita se divide em parte de terra e outra de asfalto. É possível fazer boa parte do percurso de carro, mas, para os mais aventureiros, também pode ser feito de bicicleta ou a pé.

No meio do caminho, há duas cachoeiras. A primeira é menor e de fácil acesso, sendo possível avistá-la sem dificuldade. Mas para chegar até a segunda, que é bem maior, é necessário passar por uma trilha mais complicada, por isso não é muito visitada.

A jornalista e empresária Angela Werdemberg, que acompanhou a equipe de reportagem nesta aventura ecológica, já fez a trilha diversas vezes, e conta que vale muito a pena enfrentar os obstáculos para chegar até a segunda cachoeira, só basta um pouquinho mais de coragem e tempo.

Contudo, nas duas quedas d'água dá para tomar banho e se refrescar do calor habitual que faz em Mato Grosso do Sul. Independente do sol escaldante que faz na região, principalmente no Verão, a água das cachoeiras é bem gelada. E do outro lado da primeira cachoeira, há uma paisagem muito bonita que completa a trilha, com rochas, um riacho e rica em vegetação.

A primeira cachoeira (Foto: Marcos Ermínio)A primeira cachoeira (Foto: Marcos Ermínio)
Paisagem do outro lado da cachoeira (Foto: Marcos Ermínio)Paisagem do outro lado da cachoeira (Foto: Marcos Ermínio)

O percurso continua pela estrada estreita. De uma lado, barranco, árvores e até um bambuzal. Do outro, o paredão do Morro Paxixi. A trilha sobe e em diversos pontos fica bastante íngreme. Mas nada desanimador, pois toda a paisagem e as surpresas do percurso compensam qualquer cansaço.

De carro é possível chegar somente até o trecho onde estão localizadas diversas antenas de rádio, televisão e celular, no pé do morro. A partir de lá, a estrada começa a ficar ruim e arriscado para seguir de carro, mas o sinal de telefonia móvel pega, muitas vezes, até melhor do que na cidade.

A pior parte do percurso é chamada de "Pedra Solta", devido à quantidade de pedras que há no trecho. "Este é o pedaço da estrada que os ciclistas mais gostam, porque é o mais difícil e perigoso para passar de bicicleta", comenta Ângela.

No pé do morro, antenas de rádio e televisão (Foto: Marcos Ermínio)No pé do morro, antenas de rádio e televisão (Foto: Marcos Ermínio)
O trecho mais complicado da estrada, chamado de Pedra Solta (Foto: Marcos Ermínio)O trecho mais complicado da estrada, chamado de "Pedra Solta" (Foto: Marcos Ermínio)

De Camisão até o Morro do Paxixi são aproximadamente 6 quilômetros. Mas a vista contemplada do pico compensa toda a caminhada, ou pedalada. Do alto do morro, que está no final da Serra de Maracajú, é possível avistar o começo da planície do Pantanal. De fato uma paisagem privilegiada do Cerrado sul-mato-grossense.

Ao final da tarde, assim que o sol começa a se despedir do dia, o clima fica mais ameno, o vento sopra suave e mais fresco, chega até a assoviar. "A melhor época para ir é em outubro, quando o sol se põe bem de frente para o morro", aconselha Angela.

Mesmo sendo adepta à trilha do Morro do Paxixi, Angela afirma que não se cansa de ir ao local para ver o por-do-sol (Foto: Marcos Ermínio)Mesmo sendo adepta à trilha do Morro do Paxixi, Angela afirma que não se cansa de ir ao local para ver o por-do-sol (Foto: Marcos Ermínio)

Para completar a cena, os pássaros tomam conta do céu, em uma dança com o ar.A cantoria, vinda de todos os lados e várias espécies, como piriquitos e araras, também faz parte do show gratuito da natureza.

Até o sobrevoo dos urubus, que se aninham no paredão do morro, é uma cena impagável. A imagem da ave preta e grande, que para muitos chega a ser repugnante, se torna admirável ao ser vista de perto.

Enfim, o sol se põe e o céu se transforma em uma aquarela, em meio às nuvens que perecem se dissolver com o ar, sendo arrastadas pelo vento.

A noite cai e dá lugar à lua e às estrelas. É hora de retornar. Para o caminho de volta é bom ter em mãos uma lanterna, já que o trajeto será feito no escuro.

Embora seja a hora de os animais silvestres saírem da toca, Angela afirma que nunca encontrou nenhum pelo percurso. Mas isso ela ainda não conseguiu definir se considera sorte ou azar.

O ecoturismo noturno também promete uma vista incrível do céu, longe das luzes urbanas. E assim termina o passeio. Independente se for feito de carro, bicicleta ou a pé, a natureza garante a recompensa de cada quilômetro percorrido.

Pôr-do-sol visto do pico do Morro do PaxixiPôr-do-sol visto do pico do Morro do Paxixi



Coordenadas:
Camisão: -20.483818,-55.6351
Morro antenas: -20.444923,-55.637642
Mirante do morro: -20.448748,-55.648102
Bom passeio!
 
Áureo Torres em 17/02/2014 22:23:42
Se quiserem conferir +fotos da Serra acesse o face com o end Serra de Maracaju Morro do Paxixi Aquidauana-ms e conferir as fotos.
 
Serra de Maracaju Morro do Paxixi/Aquidauana-MS em 15/01/2014 06:36:16
Nunca subi o morro, ja ouvi falar diversas vezes e fiquei ainda mais interessado.
 
Romeu Luitz em 13/01/2014 09:16:39
Excelente matéria. Mais excelentes são as fotos de Marcos Ermínio. Parabéns.
 
Etevaldo Vieira em 13/01/2014 08:43:47
Quem quiser ver mais fotos....
tirei algumas lá.. pode ver por aqui...
http://www.panoramio.com/photo/56427930
 
Marcos Ruiz em 13/01/2014 07:40:17
Mas, o bom mesmo e subir lá de bike, ai sim fica completo o passeio.
 
CLAUDIO MOREIRA em 12/01/2014 20:52:14
Parabens pela linda materia, estamos precisando de noticias boas, espero tenha novamente outras noticias como essa, ate dou uma dica para vcs do campograndenews vá ate boca da onca em bodoquena façam materia sobre o local é excelente. abraços
 
Alberto Cezar em 12/01/2014 16:52:06
Intão...já estive no Paxixi algumas vezes tb, mas pelo que me lembro no pé do morro começa uma fazenda e por sinal tinha uma porteira que indicava: área particular, teve até uma vez que o capataz da fazenda não gostou muito de estarmos ali na cachoeira kkkkkkk, na qual, a água passa por cima do asfalto pra forma-lá, mas realmente é um espetáculo de lugar.
 
cristiana rosa em 12/01/2014 16:36:25
Sou apaixonado por este lugar. Conheço bem a região e, ainda assim, não me canso de visitá-la. Inclusive escolhi fazer minhas coletas de mestrado no Paxixi, e tive resultados muito compensadores.
O Morro do Paxixi deve ser conhecido, mas, acima de tudo, preservado!
 
Eder Barbier em 12/01/2014 16:04:26
Conheço este córego no morro do paxixi há uns 12 anos.Dou manutenção numa antena de telefonia móvel no alto do morro.Sou de campo grande e ainda temos em parceria um rancho na estrada parque de Piraputanga. Depois da lage que aparece na foto tem uma queda d'agua de aproximadamente uns 40 metros de altura mas sem nenhuma proteção. È muito perigoso alguém despencar para baixo.
Poderia ser feita uma proteção naquele local. Fica a dica para o prefeito de Aquidauana.
 
Hercules Hillesheim em 12/01/2014 15:30:47
Já estive lá por duas vezes, mas faz algum tempo. Está na hora de voltar e aproveitar o restante das férias, são locais maravilhosos!
 
Denise l. Moura em 12/01/2014 15:27:03
Olha uma boa reportagem mas o que se ve mais nesses lugares turisticos sao uma exploracao ao turista o que faz com que a pessoa nao retorne mais ainda mais que o governo so faz propaganda enganosa e sera que o trem do Pantanal ainda esta funcionando até Miranda pois segundo eles seria até Corumbá !!!
 
Silvio Luiz Novaes Moreira em 12/01/2014 12:31:00
Ótima matéria.. por isso que sempre eu falo da Minha querida terra natal: O PEDACINHO DO CÉU QUE ESCAPOU DAS MÃOs DE DEUS: CORUMBÁ... aí têm alguns, digamos, sábios ou espertos que fazem questão de colocar nas colunas sociais que vão pra "ZOROPA".... deixando essa beleza natural de lado... é por isso que há tempos eu postei aqui, que, temos que ser mais ufanistas, nem bairrista...e sim Ufanista mesmo.... pelo Estado.. ufanista em todos os segmentos em todos os sentidos.. aqui é o melhor, mais bonito, tem as pessoas mais bonitas.... os melhores lugares.. o melhor futebol, o melhor carnaval, enfim.. Mato Grosso do Sul é melhjor em TUDO! Repito.. parabens pela matéria...... li com gosto mesmo! E olha que sou, digamos meio chato rsrsrsrrsrs.
 
Gilson Giordano em 12/01/2014 12:17:43
Conheci o Paxixi a uns 10 anos atrás e desde então sempre indiquei o lugar para quem busca opções de turismo, a região de Palmeiras, Piraputanga e Camisão são ótimos para quem busca turismo ecológico próximo a Campo Grande.
 
Sergio Costa em 12/01/2014 11:56:06
É ISSO Q PRECISAMOS QUANDO ABRIMOS UM JORNAL PARA LER,DE INFORMAÇÕES ATRATIVAS ONDE POSSA NOS ORIENTAR PARA OQUE TEMOS DE BOM PARA DESFRUTAR ,NÃO ESSA PALHAÇADA DE PICUINHAS POLITICAS PARABÉNS CAMPO GRANDE NEWS PELA MATÉRIA
 
ariomar herrera em 12/01/2014 11:46:14
Excelente matéria parabéns, Bonito também é um ponto turístico muito bom, mas deveria ser mais barato. Que bom descobrir outras opções.
 
Cleiton Souza em 12/01/2014 11:37:33
Parabéns ao Campo Grande News. Excelente matéria mostrando o que há de bom em nosso pujante Estado. Até parece simples, mas a verdade é que infelizmente é mais comum mostrar SOMENTE as coisas ruins.
 
Lenirdo Pedroso de Almeida em 12/01/2014 10:53:23
Que matéria maravilhosa! Nosso Estado não deve nada em beleza para outros. Precisamos valorizar mais nossas riquezas naturais, pena que o turismo local não seja incentivado, o que o torna muito caro.
 
Hilda França em 12/01/2014 09:35:07
Tudo que se refere a minha terra eu amo. Pena que não posso ir morar la de novo. Mas sempre que dá vou uma ou 2 vezes por ano. Amo os Bailes, os almoços dançantes aos domingos, a feira e tudo mais. Enfim é tudo muito lindo. Tenho muito orgulho de ter nascido em Campo Grande.
 
Sonia Maria Camargo Goes em 12/01/2014 09:19:38
Excelente matéria!! Temos que valorizar a natureza tão perto de nós.
 
Marilene Lima em 12/01/2014 09:04:33
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions