A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 11 de Dezembro de 2016

05/05/2016 14:01

Prefeitura "desqualifica" profissionais e diz que denúncias são mentiras

Priscilla Peres
Em imagem aérea é possível ver lixo despejado em área próximo a florestal. (Foto: Breno Teixeira)Em imagem aérea é possível ver lixo despejado em área próximo a florestal. (Foto: Breno Teixeira)

A prefeitura de Bonito - distante 257 km de campo Grande, classificou como "filho de empresário" e "fotógrafo amador" o empresário Felipe Caran e o biólogo Breno Teixeira, que denunciaram irregularidades ambientais no município e que foram ouvidos pelo Campo Grande News nesta semana.

Veja Mais
Descaso ambiental não condiz com paraíso ecológico, diz promotor
Empresário denuncia esgoto e lixo a céu aberto em paraíso do ecoturismo

A nota oficial foi publicada no site da prefeitura e afirma que "as denúncias e as matérias" são "inverídicas" e justifica que investiu cerca de R$ 700 mil em convênios e parcerias para desenvolvimento de projetos ambientais, educação ambiental e outros.

Breno Teixeira é formado em Biologia pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e trabalhou na construção da fábrica de celulose da Eldorado Brasil, em Três Lagoas. "Trabelhei anos na área e fiz vários cursos sobre o tema. Estou tranquilo por que não escrevi nenhuma mentira. Mesmo que como um fotógrafo amador, uma imagem vale mais do que mil palavras".

O empresário Felipe Caran disse estar "chateado" e "se sentindo desrespeitado como eleitor e cidadão" e que está "tomando medidas cabíveis". Ambos postaram em suas redes sociais denúncias sobre a questão ambiental do município.

Defesa - Sobre o comentário do biólogo Breno, de que o lixão é um grande ameaça ao lençol freático, a prefeitura se defende dizendo que firmou convênio com uma ONG local, para monitorar a qualidade dos córregos urbano e do rio Formoso.

"Já foram realizadas várias coletas, sem encontrar contaminação importante. A Sanesul realiza periodicamente análises da água dos córregos urbanos, encontrando contaminação por coliformes fecais em períodos de alta temporada e/ou com muita chuva. Com a ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) acredita-se que este problema será selecionado".

A prefeitura afirma que vai investir mais de R$ 2 milhões este ano na ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto municipal. "O Córrego Saladeiro é o mais próximo da área do aterro e de acordo com Relatório de Ensaio de Análise de Água nos dois pontos amostrais o laudo conclusivo aponta que a amostra está em conformidade com os limites estabelecidos na resolução CONAMA 357/2015".

Ao Campo Grande News, a Fundação Neutrópica disse que não sabe da denúncia de esgoto sendo despejado em córrego e que nunca investigou a questão do lixão. Disse apenas que faz o controla da coleta de água.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions